Meteorologia

  • 24 MAIO 2024
Tempo
18º
MIN 13º MÁX 25º

Nova ajuda? EUA "a provocar a Ucrânia a novas hostilidades" para lucrar

Segundo o porta-voz do Kremlin, Dmitry Peskov, os EUA lucram diretamente ao ajudar a Ucrânia.

Nova ajuda? EUA "a provocar a Ucrânia a novas hostilidades" para lucrar
Notícias ao Minuto

14:27 - 18/04/24 por Notícias ao Minuto

Mundo Dmitry Peskov

O porta-voz do Kremlin, Dmitry Peskov, comentou, esta quinta-feira, o novo pacote de ajuda à Ucrânia apresentado pelos republicanos da Câmara de Representantes dos EUA, afirmando que, ao prestar assistência à Ucrânia, Washington provoca Kyiv para continuar as hostilidades e lucra diretamente.

"Devido às suas divergências políticas internas, Washington procura diferentes modalidades para continuar a fornecer ajuda à Ucrânia. Em qualquer caso, em qualquer forma de prestação desta assistência, de facto, estamos a falar em provocar a Ucrânia a novas hostilidades até ao último ucraniano, garantindo assim lucros para os EUA", afirmou Peskov, quando comentava o último projeto de lei sobre a atribuição de ajuda financeira à Ucrânia, citado pela Tass.

Segundo o porta-voz do Kremlin, "não importa o que digam, os americanos não se esquecem de si mesmos". "E quaisquer regimes [de ajuda] garantem, em primeiro lugar, uma situação em que uma parte muito significativa dos fundos destinados permanece no complexo militar-industrial dos EUA, sendo depois paga sob a forma de impostos ao Estado americano, e assim por diante", acrescentou.

E continuou: "Agora a Ucrânia não deve apenas lutar por isso [a assistência prestada], garantindo lucros aos americanos, deve lutar até ao último ucraniano. Os EUA também estão a endividar a Ucrânia: a política colonial favorita dos EUA".

No entanto, Peskov sugere que isso não é capaz de "influenciar de forma alguma o desfecho da situação nas frentes". "Todos os especialistas veem a olho nu a situação na frente – longe de ser favorável para o lado ucraniano. Portanto, esta [assistência americana] não poderá mudar nada", sublinhou. 

Recorde-se que os republicanos da Câmara de Representantes dos Estados Unidos (câmara baixa do Congresso) apresentaram, na quarta-feira, um pacote de ajuda à Ucrânia no valor de 61 mil milhões de dólares (57 mil milhões de euros).

Duas propostas de lei diferentes preveem também mais de 26 mil milhões de dólares (cerca de 24 mil milhões de euros) para ajudar Israel e vários milhares de milhões de dólares para Taiwan.

Estes documentos serão no sábado à tarde submetidos a votação na câmara baixa do Congresso norte-americano para desbloquear as verbas, tendo o presidente dos Estados Unidos, Joe Biden, apelado para uma decisão rápida.

Leia Também: Rússia abateu cinco balões ucranianos numa aparente inovação de Kyiv

Recomendados para si

;
Campo obrigatório