Meteorologia

  • 18 ABRIL 2024
Tempo
17º
MIN 16º MÁX 25º

Bloqueio na fronteira polaca é "absolutamente inaceitável", diz Zelensky

O Presidente ucraniano Volodymyr Zelensky transmitiu hoje ao presidente do Conselho Europeu, Charles Michel, que o bloqueio fronteiriço por parte dos agricultores polacos é "absolutamente inaceitável".

Bloqueio na fronteira polaca é "absolutamente inaceitável", diz Zelensky
Notícias ao Minuto

22:31 - 22/02/24 por Lusa

Mundo Guerra na Ucrânia

"A situação na fronteira com a Polónia é absolutamente inaceitável", frisou Zelensky, numa nota nas rede sociais, onde destacou que informou Charles Michel da iniciativa de Kyiv para uma reunião imediata entre todas as partes - Ucrânia, Polónia e também a Comissão Europeia - na fronteira.

O líder ucraniano sublinhou que a Ucrânia "está disposta a realizar consultas" para resolver a situação na fronteira "de forma rápida e justa".

O chefe da diplomacia ucraniana, Dmytro Kuleba, deslocou-se hoje a Varsóvia para garantir a passagem da ajuda ocidental através da fronteira entre os dois países, que está bloqueada por manifestantes polacos.

"Tive uma conversa franca" durante mais de uma hora com responsáveis do Governo polaco, anunciou Kuleba na rede social X (antigo Twitter).

Na mesma mensagem publicada na rede social, Kuleba agradeceu as "decisões que permitirão a entrega sem obstáculos de equipamento militar e humanitário à Ucrânia".

A Polónia tem estado entre os maiores apoiantes da Ucrânia desde o início da invasão russa, mas as relações entre Varsóvia e Kyiv foram dificultadas nos últimos meses por disputas comerciais.

Depois de um longo bloqueio da fronteira por camionistas, os agricultores polacos iniciaram um protesto e bloquearam os pontos de passagem fronteiriços com a Ucrânia.

Os agricultores contestam as importações agroalimentares da Ucrânia, que consideram "descontroladas", assim como criticam a política agricula europeia.

A ofensiva militar russa no território ucraniano, lançada a 24 de fevereiro de 2022, mergulhou a Europa naquela que é considerada a crise de segurança mais grave desde a Segunda Guerra Mundial (1939-1945).

Os aliados ocidentais da Ucrânia têm fornecido armas a Kyiv e aprovado sucessivos pacotes de sanções contra interesses russos para tentar diminuir a capacidade de Moscovo de financiar o esforço de guerra.

Leia Também: Polónia diz que protegerá passagens de fronteira com território ucraniano

Recomendados para si

;
Campo obrigatório