Meteorologia

  • 21 FEVEREIRO 2024
Tempo
14º
MIN 10º MÁX 20º

Nagorno-Karabakh: Mais de 100 mil pessoas abandonaram o território

Mais de 100 mil refugiados de Nagorno-Karabakh já chegaram à Arménia, afirmou o porta-voz do primeiro-ministro arménio.

Nagorno-Karabakh: Mais de 100 mil pessoas abandonaram o território
Notícias ao Minuto

10:42 - 30/09/23 por Lusa

Mundo Nagorno-Karabakh

De acordo com dados oficiais, cerca de 120 mil arménios viviam naquele enclave, antes de o Governo separatista de Nagorno-Karabakh ter anunciado a sua dissolução e que a república não reconhecida deixaria de existir até 01 de janeiro de 2024.

"Restam, no máximo, algumas centenas de funcionários públicos, voluntários, operacionais da proteção civil e pessoas com necessidades especiais, que também se estão a preparar para partir", afirmou o antigo provedor de Justiça de Karabakh, Artak Beglarian, numa publicação na rede social X (antigo Twitter).

As Nações Unidas anunciaram o envio neste fim de semana de uma equipa de missão a Nagorno-Karabakh para avaliar as necessidades humanitárias, apesar de aquela organização não ter tido acesso à região durante 30 anos.

O Governo separatista do Nagorno-Karabakh anunciou na quinta-feira que se vai dissolver e que a república não reconhecida vai deixar de existir até ao dia 01 de janeiro de 2024.

O anúncio foi feito depois de o Azerbaijão ter levado a cabo uma ofensiva militar para recuperar o controlo total da região separatista e ter exigido que as tropas arménias em Nagorno-Karabakh depusessem as armas e o governo separatista se desmantelasse.

Já no início deste mês, o Conselho Europeu tinha alertado para a "rápida deterioração" da situação humanitária na região, tendo apelado ao Azerbaijão e à Arménia para salvaguardar a população e diminuir as tensões.

As duas ex-repúblicas soviéticas do Cáucaso enfrentaram-se em duas guerras, no início dos anos 1990 e em 2020, pelo controlo do enclave de Nagorno-Karabakh, uma região montanhosa cuja população é maioritariamente arménia e que se separou do Azerbaijão há mais de 30 anos.

No final da curta guerra em que, no outono de 2020, o Azerbaijão recuperou territórios dessa região separatista, Baku e Erevan concluíram um cessar-fogo promovido pela Rússia.

As tensões intensificaram-se este ano, quando Baku anunciou, em 23 de abril, ter instalado um primeiro posto de controlo rodoviário à entrada do corredor de Latchin, único eixo que liga a Arménia ao enclave separatista, já submetido a um embargo que causou escassez de bens de primeira necessidade e cortes de energia elétrica.

Leia Também: Arménia emite novo apelo ao TIJ para a proteção da população do enclave

Recomendados para si

;
Campo obrigatório