Meteorologia

  • 04 MARçO 2024
Tempo
14º
MIN 10º MÁX 17º

EUA aprovam empréstimo de 2.000 milhões de dólares à Polónia para defesa

Os Estados Unidos aprovaram um empréstimo de 2 mil milhões de dólares (1,8 mil milhões de euros) à Polónia para modernizar as suas Forças Armadas, anunciou hoje o Departamento de Estado.

EUA aprovam empréstimo de 2.000 milhões de dólares à Polónia para defesa
Notícias ao Minuto

18:07 - 25/09/23 por Lusa

Mundo EUA

Num comunicado, o Departamento de Estado explicou que aprovou este empréstimo em reconhecimento de Varsóvia ter "demonstrado o seu compromisso inabalável no fortalecimento da segurança regional através dos seus sólidos investimentos em despesas de defesa".

A Polónia, membro da NATO desde 1999, planeia dedicar 3,9% do seu Produto Interno Bruto (PIB) à defesa este ano, quase o dobro da meta da Aliança de 2%.

Além disso, mais de 10.000 soldados dos Estados Unidos estão destacados na Polónia como parte de uma operação da NATO.

A Polónia, o principal aliado europeu da Ucrânia face à invasão da Rússia, desempenha um papel fundamental no esforço da NATO para fortalecer o seu flanco oriental e dissuadir eventuais ataques russos.

Mas este anúncio de Washington surge num contexto de tensão entre Varsóvia e Kiev devido ao veto polaco à importação de produtos agrícolas ucranianos.

Na semana passada, o primeiro-ministro polaco Mateusz Morawiecki anunciou a suspensão das exportações de armas para a Ucrânia para fortalecer o arsenal do seu próprio país.

Já hoje, o Presidente da Polónia, Andrzej Duda, garantiu que o apoio militar do seu país à Ucrânia não inclui as armas recentemente adquiridas, explicando que estas apenas servirão para modernizar as Forças Armadas do seu país.

"Não vamos gastar milhares de milhões em armas para de seguida as oferecer", disse o chefe de Estado polaco, referindo-se à especulação de que os novos sistemas de armas adquiridos pela Polónia se destinavam à resistência ucraniana contra a invasão russa.

"Enviar [para a Ucrânia] qualquer equipamento novo que estejamos a adquirir neste momento, como o sistema de lançamento de obuses K2 ou os tanques K9, está fora de questão. Este equipamento deverá servir para fortalecer o Exército polaco", afirmou Duda, numa entrevista ao jornal polaco Super Express.

"Quando os equipamentos antigos são substituídos por equipamentos modernos, não tenho problema em enviá-los para os ucranianos", acrescentou o Presidente polaco, que lamentou as críticas de alguns setores da população sobre esta decisão.

Duda também se mostrou agastado com as críticas do Presidente da Ucrânia, Volodymyr Zelensky, na semana passada, na Assembleia Geral das Nações Unidas, que repreendeu aliados pelas medidas unilaterais para proibir a importação de cereais ucranianos.

"Na Polónia, muitas pessoas sentiram-se ofendidas. Os polacos, tanto as autoridades públicas como as pessoas comuns, sacrificaram-se muito para ajudar a Ucrânia. Muitos até arriscaram as suas vidas", comentou o Presidente polaco.

"Vou tentar atribuir isso às emoções. Não esqueçamos que Zelensky está sob enorme pressão. Ele envia pessoas para a frente de combate, muitas vezes para a morte. Há pessoas que morrem em combate todos os dias", concluiu Duda.

Leia Também: Polónia avisa que não entregará armas recém adquiridas a Kyiv

Recomendados para si

;
Campo obrigatório