Meteorologia

  • 30 MAIO 2024
Tempo
16º
MIN 16º MÁX 30º

Guarda Costeira dos EUA desconhece origem dos sons subaquáticos

“Não sabemos a origem do ruído”, admite o Contra-Almirante John Mauger, da Guarda Costeira dos EUA, que está a liderar as operações.

Guarda Costeira dos EUA desconhece origem dos sons subaquáticos
Notícias ao Minuto

14:05 - 21/06/23 por Notícias ao Minuto

Mundo Submarino desaparecido

O Comandante da Guarda Costeira dos EUA, Contra-Almirante John Mauger, ampliou os esforços de busca pelo submersível Titanic desaparecido após os ruídos de batidas terem sido detetados por sonobóias no oceano.

Contudo, reconhece que não se sabe qual é a origem dos sons subaquáticos detetados.

“Não sabemos a origem desse ruído, mas partilhámos essa informação com especialistas da Marinha para classificá-lo”, disse ele à CBS.

Questionado sobre o quão comum era captar ruídos, o contra-almirante disse que é um "local incrivelmente complexo".

"Há muito metal e objetos diferentes na água ao redor deste local", disse ele, descrevendo a área dos destroços do Titanic. “É por isso que é tão importante contratarmos especialistas da Marinha que entendam a ciência por trás do ruído e possam classificar ou nos fornecer melhores informações sobre qual pode ser a fonte desse ruído”.

Nas próximas 24 horas, a Guarda Costeira continuará a trazer embarcações adicionais, veículos operados remotamente e aeronaves para fazer buscas na área.

O submersível tinha uma reserva de oxigénio para quatro dias quando se fez ao mar, na manhã de domingo, segundo David Concannon, conselheiro da OceanGate Expeditions, que supervisionou a missão.

A comunicação perdeu-se quando a embarcação estava a cerca de 700 quilómetros a sul de St. John's, capital e a maior cidade da província canadiana de Newfoundland and Labrador, segundo o Centro de Coordenação de Salvamento Conjunto do Canadá, citado pela agência de notícias norte-americana Associated Press.

Na terça-feira, França anunciou que o instituto Ifremer de ciências oceânicas enviou um navio, o Atalante, equipado com um robô subaquático, o Victor 6.000, para procurar o submersível.

O Victor 6.000 deve chegar ao seu destino hoje e mergulhar até uma profundidade de cerca de 4.000 metros para realizar operações de busca.

Os restos do Titanic - que afundou após colidir com um icebergue, em 1912 - estão a uma profundidade de cerca de 3.800 metros e a uma distância de aproximadamente 640 quilómetros a sul da ilha canadiana de Newfoundland.

Leia Também: Submarino. Passageiros sentam-se no chão e a casa de banho não tem porta

Recomendados para si

;
Campo obrigatório