Meteorologia

  • 24 MAIO 2024
Tempo
14º
MIN 13º MÁX 25º

Michel Houellebecq perde processo para proibir filme 'porno' onde aparece

Um tribunal neerlandês rejeitou, na terça-feira, um pedido do escritor francês Michel Houellebecq para proibir um filme, "Kirac 27", em que o autor surge desfraldado, a beijar uma jovem na cama, classificando-o de pornográfico e difamatório.

Michel Houellebecq perde processo para proibir filme 'porno' onde aparece
Notícias ao Minuto

12:12 - 29/03/23 por Lusa

Mundo Países Baixos

No 'trailer' do filme, feito pelo coletivo holandês Kirac, o escritor é apresentado em pijama deitado numa cama ao lado de uma mulher de camisa de noite, a fumar e a rir, segundo descreve o The Guardian, imagem que levou Houellebecq a afirmar que a sua reputação tinha sido prejudicada e que tinha sido retratado como uma "estrela pornográfica".

O tribunal "recusa as injunções pedidas e ordena a Houellebecq que pague as despesas do processo, estimadas até à data em 1.393 euros", disse o juiz interino do tribunal de Amesterdão.

"É incompreensível que Houellebecq tenha participado nas gravações, se achava o contrato realmente problemático", lê-se na sentença.

O acordo assinado pelo escritor previa que ele aparecesse num filme que "podia ou não incluir conteúdo explícito", sendo a única restrição do acordo que o filme não mostrasse Houellebecq e os seus genitais na mesma filmagem, especificou o The Guardian.

O juiz rejeitou as alegações de Houellebecq de que só tinha assinado o contrato porque estava deprimido e tinha estado a beber.

O autor considerou o veredicto "muito dececionante", revelou à AFP a sua advogada, Jacqueline Schaap, acrescentando que "Houellebecq está a considerar seriamente um interpor um recurso urgente".

O realizador do filme, Stefan Ruitenbeek, manifestou-se, por sua vez, aliviado com a decisão.

"Sempre tive a intenção de fazer um retrato honesto. Espero que Michel fique satisfeito com o resultado", disse, numa declaração divulgada pelo seu advogado.

Como recordou a AFP, tudo começou num jantar, em Paris, em novembro do ano passado, quando a mulher do escritor, Lysis, sugeriu a Ruitenbeek que Houellebecq fizesse um "filme porno para contrariar a sua amargura".

"Eu disse-lhe que conhecia muitas raparigas em Amesterdão disponíveis a ter relações sexuais com um escritor célebre por curiosidade, e que organizaria o hotel se tivesse autorização para filmar tudo", afirmou o realizador.

Houellebecq, mais tarde, veio a contestar o contrato assinado, alegando estar "cansado, num dia já de si longo e o vinho necessário já tinha sido bebido". "Não tenho a ambição de me tornar numa estrela 'porno' com esta idade", acrescentou o autor de 66 anos.

As relações entre as duas partes romperam-se pouco tempo depois das filmagens, com a agravante a surgir após a divulgação do 'trailer'.

Em fevereiro, Houellebecq perdeu uma ação judicial semelhante num tribunal francês.

Leia Também: Escola da Flórida convidada a ver 'David' após polémica com diretora

Recomendados para si

;
Campo obrigatório