Meteorologia

  • 18 MAIO 2024
Tempo
13º
MIN 13º MÁX 20º

Rishi Sunak compromete-se em "fortalecer a Ucrânia a longo prazo"

O primeiro-ministro britânico adiantou, em resposta aos jornalistas, que "tudo está em cima da mesa" no apoio do Reino Unido à Ucrânia, destacando o alargamento da formação aos soldados com treino à Força Aérea ucraniana.

Rishi Sunak compromete-se em "fortalecer a Ucrânia a longo prazo"
Notícias ao Minuto

18:05 - 08/02/23 por Notícias ao Minuto com Lusa

Mundo Reino Unido

O primeiro-ministro britânico Rishi Sunak, adiantou, em conferência de imprensa numa base do exército em Dorset, Inglaterra, onde soldados ucranianos estão a ser treinados pelas forças armadas britânicas, que concordou com Volodymyr Zelensky em "fortalecer a Ucrânia a longo prazo".

Após ter discutido com Zelensky, o chefe de governo britânico começou por destacar que "as necessidades mais imediatas são [sistemas de] defesa antiaérea e mísseis de longo alcance".

Segundo Sunak, citado pela Sky News, haverá uma mudança na "estratégia para acelerar e intensificar o apoio à Ucrânia" com o envio de tanques, mas "nada está fora de questão” no apoio militar dos britânicos a Kyiv.

"Tudo está em cima da mesa", apontou, lembrando, que "o primeiro passo" é o alargamento da formação aos soldados com treino à Força Aérea ucraniana. "O primeiro passo para poder fornecer aviões avançados é ter soldados ou pilotos capazes de os utilizar", referiu, avançando que o Reino Unido vai começar a trabalhar nesse sentido em breve.

"Devemos armar a Ucrânia no curto prazo, mas devemos fortalecer a Ucrânia no longo prazo", acrescentou.

O primeiro-ministro britânico sublinhou ainda que o envio de caças para o país depende da “cadeia de fornecimento” dos equipamentos.

A visita do presidente Zelensky ao Reino Unido simboliza a "amizade duradoura" das duas nações na perspetiva de Sunak, que advertiu que a Ucrânia não pode ser deixada "vulnerável" novamente.

Descrevendo a invasão como "desnecessária", o primeiro-ministro britânico reforçou que o governo do Reino Unido "irá mais longe e mais rápido" para ajudar o governo ucraniano.

Pela sua parte, Zelensky admitiu que precisa de "muito equipamento diferente" e que a prioridade é ter mais veículos blindados, pois "o inimigo tem milhares de unidades". 

"Precisamos de veículos blindados, precisamos de tanques, precisamos de aviões de combate. E, obviamente, passámos muito tempo a falar sobre isto", adiantou aos jornalistas, acrescentando que espera discutir estas questões de armamento nos próximos dias com os líderes da União Europeia (UE).  

Os países ocidentais resistiram até agora fornecer meios aéreos à Ucrânia, mas França e Reino Unido não excluíram esta hipótese.

Na semana passada, o primeiro-ministro polaco, Mateusz Morawiecki, não descartou que Varsóvia possa entregar caças F-16 a Kyiv "em coordenação com os países da NATO", apesar da reticência do presidente dos EUA, Joe Biden.

Outros aliados disseram estar prontos para o fazer, incluindo a Eslováquia, que tem Mig-29 soviéticos, e os Países Baixos, que começaram a substituir a sua frota de F-16 por F-35.

Um porta-voz de Sunak revelou esta quarta-feira que este deu instruções ao ministro da Defesa, Ben Wallace, para analisar que aviões britânicos poderiam ser fornecidos, mas salientou que "esta é claramente uma solução a longo prazo e não uma capacidade a curto prazo". 

Nos últimos seis meses, receberam formação em território britânico 10.000 militares ucranianos e em 2023 o Reino Unido prevê treinar mais 20.000. 

Sunak prometeu estender o programa de treino a pilotos, para que aprendam a manobrar aviões de combate e outros equipamentos militares mais modernos usados por países da NATO, como 'drones' ou tanques. 

Volodymyr Zelensky visitou esta quarta-feira o Reino Unido, onde foi recebido pelo primeiro-ministro britânico, Rishi Sunak, antes de fazer um discurso no Parlamento e encontrar-se com o Rei Carlos III no Palácio de Buckingham.

Esta foi segunda visita ao estrangeiro desde o início da guerra, depois da visita a Washington em dezembro.

O Presidente ucraniano segue ainda hoje para Paris, onde vai reunir no Palácio do Eliseu com o Presidente francês, Emmanuel Macron, e o chanceler alemão, Olaf Scholz.

Rishi Sunak falou em conferência de imprensa conjunta com o presidente da Ucrânia, Volodymyr Zelensky, após uma visita a uma base militar no sul de Inglaterra onde soldados ucranianos estão a ser treinados pelas forças armadas britânicas.

[Notícia atualizada às 19h12]

Leia Também: O momento em que o rei Carlos III se encontra com Volodymyr Zelensky

Recomendados para si

;
Campo obrigatório