Meteorologia

  • 15 JULHO 2024
Tempo
20º
MIN 18º MÁX 26º

'Vice' MNE russo rejeita negociações com Ucrânia ou seus "manipuladores"

O vice-ministro dos Negócios Estrangeiros da Rússia, Sergei Ryabkov, terá adiantado que nenhum aliado ocidental da Ucrânia apresentou qualquer proposta séria para resolver o conflito, apontando que serão necessários "pequenos passos" para que Moscovo e os Estados Unidos se aproximem de um acordo.

'Vice' MNE russo rejeita negociações com Ucrânia ou seus "manipuladores"
Notícias ao Minuto

08:55 - 30/01/23 por Notícias ao Minuto

Mundo Ucrânia/Rússia

O vice-ministro dos Negócios Estrangeiros da Rússia, Sergei Ryabkov, considerou, esta segunda-feira, que não faz sentido conversar com Kyiv ou com os seus "manipuladores" ocidentais, uma vez que os Estados Unidos decidiram enviar uma nova remessa de tanques para a Ucrânia.

O responsável terá adiantado que nenhum aliado ocidental da Ucrânia apresentou qualquer proposta séria para resolver o conflito, apontando que serão necessários "pequenos passos" para que Moscovo e os Estados Unidos se aproximem de um acordo, cita a agência RIA.

“Estamos prontos para estudar quaisquer iniciativas sérias para resolver a crise ucraniana mas, até agora, ninguém as formulou. Nas condições atuais, num momento em que Washington anunciou a decisão de fornecer tanques [à Ucrânia], e seus os vassalos, incluindo Otava, estão a competir sobre quem fornecerá veículos blindados à Ucrânia, é inútil falar não apenas com os nazis ucranianos, mas também com seus manipuladores”, disse o responsável, atirando que “muitos deles são simplesmente caricaturas na sua ignorância”.

Na ótica de Ryabkov, os Estados Unidos são o principal beneficiário do conflito na Ucrânia, além do seu principal condutor, acusando aquela nação de usar o país como um campo de testes para o seu armamento.

“Os norte-americanos esperam impor aos europeus novos contratos multibilionários para a compra dos seus produtos militares. É um jogo tão cínico que temos a certeza de que vai acabar mal”, complementou.

De notar que o presidente norte-americano, Joe Biden, anunciou, na quarta-feira, o envio de 31 tanques M1 Abrams para a Ucrânia, reforçando, contudo, que este novo apoio "não é uma ameaça" à Rússia. Ainda assim, o porta-voz da Casa Branca em assuntos de segurança nacional, John Kirby, ressalvou que este envio deverá demorar "vários meses".

Lançada em 24 de fevereiro, a ofensiva militar russa na Ucrânia já provocou a fuga de mais de 14 milhões de pessoas, segundo os dados mais recentes da Organização das Nações Unidas (ONU), que classifica esta crise de refugiados como a pior na Europa desde a Segunda Guerra Mundial (1939-1945).

A entidade confirmou ainda que já morreram 7.068 civis desde o início da guerra e 11.415 ficaram feridos, sublinhando, contudo, que estes números estão muito aquém dos reais.

Leia Também: Antes da guerra, Putin terá ameaçado atingir o Reino Unido com um míssil

Recomendados para si

;
Campo obrigatório