Meteorologia

  • 05 DEZEMBRO 2022
Tempo
13º
MIN 11º MÁX 16º

"Não há aquecimento ou água". O retrato de um dia numa Kyiv às escuras

Cerca de 70% da população da capital ucraniana está sem energia na manhã desta quinta-feira, após uma série de ataques com mísseis russos.

Notícias ao Minuto

09:36 - 24/11/22 por Notícias ao Minuto

Mundo Guerra na Ucrânia

A capital da Ucrânia foi um dos principais alvos da última onda de ataques a instalações de energia, na quarta-feira. Milhões de pessoas ficaram sem luz e foram necessários apagões de emergência para economizar e permitir reparações, essenciais com a chegada do inverno.

O antigo ministro da Economia, Tymofiy Mylovanov, que vive em Kyiv, recorreu ao Twitter para descrever a experiência. 

"Bom dia. Dia 2 do mais recente apagão em Kyiv. Não há eletricidade, aquecimento ou água. No exterior a temperatura é gelada. O apartamento ainda está quente dos dias anteriores. Vamos ver quanto tempo dura", começa por escrever, descrevendo ainda que têm "mantas, sacos-cama e roupas quentes".

Mylovanov referiu que a sua preocupação não é o frio para já, pelo menos até a temperatura chegar até aos 10ºC negativos, "mas a água é outro problema". "O problema são as casas de banho. Temos acumulados 100 litros de água e há neve na nossa varanda. Mas de cada vez que a tentamos ir buscar, deixamos entrar o frio, não é bom", pode ler-se.

"Para já a rede de telemóvel funciona, apesar de a qualidade variar e tenho internet. Ontem fomos a uma mercearia para comprar mais algumas coisas, caso haja escassez". 

O antigo governante prossegue para explicar que "a comida está lá, sem filas. O desafio é pagar. A maioria funciona a dinheiro e só alguns estão ligados para aceitar cartões - que funcionam pela rede de telemóvel". "O sistema bancário está estável, mas vou levantar algum dinheiro caso haja problemas", descreve, como se estivesse a fazer uma lista mental para não esquecer.

O fogão que Mylovanov usa para cozinhar é elétrico e, por isso, "não há comida quente enquanto a eletricidade voltar". "Temos de arranjar uma solução. O nosso plano tem duas partes. Primeiro, vamos comprar o equivalente a uma bateria Tesla para poder carregar quando há eletricidade".

"Isso vai resolver também o problema do aquecimento, pois já temos alguns aquecedores elétricos. Mas a eletricidade pode estar em baixo por muito tempo e, por isso, precisamos de gás ou lenha. Temos de ir às compras. Eles vendem geradores a diesel", elabora.

"Se não pensar muito nisso, o dia parece-me normal, só não tomei o pequeno-almoço", remata.

Recorde-se que os ataques aéreos contra a infraestrutura civil mergulharam as cidades ucranianas na escuridão e no frio com o início do inverno. A Organização das Nações Unidas (ONU) alertou na quarta-feira para o risco de um "inverno catastrófico" para milhões de ucranianos, após os mais recentes "ataques implacáveis e generalizados" por parte da Rússia contra civis e importantes infraestruturas.

A guerra na Ucrânia, que teve início em 24 de fevereiro, provocou já mais de 6.500 mortes entre civis, de acordo com os mais recentes cálculos da ONU. Pelo menos 437 crianças perderam a vida na sequência desta ofensiva, com outras 837 a terem ficado feridas.

Pode ver algumas imagens de Kyiv às escuras na galeria acima.

Leia Também: Kyiv às escuras. 70% da capital ucraniana sem energia elétrica

Recomendados para si

Seja sempre o primeiro a saber.
Sexto ano consecutivo Escolha do Consumidor e Prémio Cinco Estrelas para Imprensa Online.
Descarregue a nossa App gratuita.

Apple Store Download

;
Campo obrigatório