Meteorologia

  • 29 NOVEMBRO 2022
Tempo
10º
MIN 8º MÁX 16º

AO MINUTO: Teto máximo ao petróleo? UE sem acordo; "Inverno catastrófico"

Acompanhe aqui AO MINUTO os mais recentes desenvolvimentos sobre a guerra na Ucrânia.

AO MINUTO: Teto máximo ao petróleo? UE sem acordo; "Inverno catastrófico"
Notícias ao Minuto

07:54 - 23/11/22 por Notícias ao Minuto

Ao Minuto Mundo Guerra na Ucrânia

Ao 273º dia de guerra, as mútuas acusações entre Rússia e Ucrânia continuam. Moscovo acusou Kyiv de ter lançado uma nova série de ataques contra a central nuclear de Zaporíjia, numa altura em que os combates se intensificam em Kinbourne e as forças aéreas russas atacaram a região de Kherson por via áerea.

Na sequência dos mais recentes ataques à central nuclear, o presidente ucraniano, Volodymyr Zelensky, revelou que foram criados mais de quatro mil “pontos de invencibilidade”. Esses locais vão servir para providenciar aos civis os serviços básicos em caso de quebras de energia prolongadas.

Com o conflito a escalar, as ajudas não param de chegar à Ucrânia. Além dos mais 2,5 mil milhões de euros anunciados pela União Europeia para reconstruir o país, também os EUA divulgaram um pacote de ajuda de 4.377 milhões de euros.

Fim de cobertura

Ema Gil Pires | há 5 dias

Boa noite. Damos como terminado mais um acompanhamento AO MINUTO sobre os acontecimentos da guerra na Ucrânia. Estaremos de regresso na manhã de quinta-feira, num novo registo. Obrigada por ter estado desse lado.

Zelensky denuncia à ONU "crime contra a humanidade"

Lusa | há 5 dias

O Presidente da Ucrânia, Volodymyr Zelensky, denunciou hoje à ONU o ataque da Rússia à infraestrutura energética do país, o que classificou como um "crime contra a humanidade".

"Com temperaturas abaixo de zero, vários milhões de pessoas sem abastecimento de energia, sem aquecimento e sem água, trata-se, obviamente, de um crime contra a humanidade", afirmou Zelensky, que falava, por vídeo, ao Conselho de Segurança das Nações Unidas, no âmbito de uma reunião de emergência que o próprio solicitou.

Novos ataques russos na Ucrânia fizeram 30 vítimas civis, entre mortos e feridos, e deixaram hoje milhões de pessoas sem eletricidade, acesso a água e aquecimento, quando se registam já temperaturas negativas nalgumas regiões, segundo as Nações Unidas.

Zelensky denuncia à ONU "crime contra a humanidade"

O Presidente da Ucrânia, Volodymyr Zelensky, denunciou hoje à ONU o ataque da Rússia à infraestrutura energética do país, o que classificou como um "crime contra a humanidade".

Lusa | 23:09 - 23/11/2022

Presidente da Moldova culpa Rússia pela falta de eletricidade

Lusa | há 5 dias

Novos ataques com mísseis russos na Ucrânia hoje originaram pela segunda vez um apagão na Moldova e a presidente Moldova afirma que a culpa é da Rússia.

"A Rússia deixou a Moldova no escuro. A guerra da Rússia na Ucrânia está a matar pessoas, destruindo blocos de habitação e infraestruturas energéticas com mísseis. A vida das pessoas não pode ser devolvida, mas o fornecimento de eletricidade pode ser restaurado", disse a presidente Maia Sandu nas redes sociais.

O apagão, que ocorreu às 14h23 horas locais (12h23 em Lisboa) afetou todas as regiões do país, incluindo a capital Chisinau, deixou edifícios sem água e gás e provocou a paragem do trânsito nas ruas.

Presidente da Moldova culpa Rússia pela falta de eletricidade

Novos ataques com mísseis russos na Ucrânia hoje originaram pela segunda vez um apagão na Moldova e a presidente Moldova afirma que a culpa é da Rússia.

Lusa | 22:32 - 23/11/2022

Rússia cessa funções do Comité do Património Mundial da Unesco

Lusa | há 5 dias

A Rússia cessou hoje funções do Comité do Património Mundial a que presidia, órgão central para a preservação dos sítios culturais e naturais do mundo da Unesco, adiantou fonte diplomática.

"Tenho a honra de informar o fim de minha missão como delegado permanente da Federação Russa junto da Unesco [Organização das Nações Unidas para a Educação, a Ciência e a Cultura]", disse hoje o embaixador russo Alexander Kuznetsov numa carta dirigida aos membros do comité, à qual agência notícias AFP teve acesso.

Rússia cessa funções do Comité do Património Mundial da Unesco

A Rússia cessou hoje funções do Comité do Património Mundial a que presidia, órgão central para a preservação dos sítios culturais e naturais do mundo da Unesco, adiantou fonte diplomática.

Lusa | 22:37 - 23/11/2022

UE ainda sem acordo quanto a teto máximo ao preço do petróleo russo

Ema Gil Pires | há 5 dias

Os governos da União Europeia não conseguiram chegar a um acordo, esta quarta-feira, sobre o teto máximo a impor aos preços do petróleo russo transportado por via marítima e retomarão as conversações na quinta-feira à noite ou, eventualmente, na sexta-feira, disseram diplomatas do bloco europeu aqui citados pela Reuters.

"Ainda existem diferenças no que toca ao nível do limite máximo de preços. Precisamos de prosseguir bilateralmente", explicou um desses diplomatas. "A próxima reunião de embaixadores dos países da UE será amanhã à noite ou na sexta-feira", acrescentou.

Recorde-se que, esta quarta-feira, os representantes dos 27 Estados-membros da UE estiveram reunidos em Bruxelas para discutir a proposta do G7, que previa a fixação do preço máximo a impor ao petróleo russo entre os 65 e os 70 dólares por barril. Porém, o valor revelou-se demasiado baixo para alguns países e muito alto para outros.

UE ainda sem acordo quanto a teto máximo ao preço do petróleo russo

Esta quarta-feira, os representantes dos 27 Estados-membros da UE estiveram reunidos em Bruxelas para discutir a proposta do G7.

Notícias ao Minuto | 23:06 - 23/11/2022

Polónia pede à Alemanha para enviar sistema de mísseis Patriot à Ucrânia

Ema Gil Pires | há 5 dias

O ministro polaco da Defesa, Mariusz Blaszczak, disse ter pedido à Alemanha para enviar para a Ucrânia os sistemas de mísseis Patriot que foram oferecidos à Polónia.

"Depois de novos ataques com recurso a mísseis russos, pedi à Alemanha que os sistemas Patriot oferecidos à Polónia fossem transferidos para a Ucrânia e colocados na sua fronteira ocidental", escreveu o governante na rede social Twitter.

"Isso irá proteger a Ucrânia de mais mortes e apagões e aumentará a segurança na nossa fronteira oriental", acrescentou.

ONU alerta para risco de "inverno catastrófico" na Ucrânia após ataques

Lusa | há 5 dias

A Organização das Nações Unidas (ONU) alertou hoje para o risco de um "inverno catastrófico" para milhões de ucranianos após os mais recentes "ataques implacáveis e generalizados" por parte da Rússia contra civis e importantes infraestruturas.

Em mais uma reunião do Conselho de Segurança da ONU para debater a situação na Ucrânia, e convocada de urgência, a subsecretária-geral para Assuntos Políticos e de Consolidação da Paz da ONU, Rosemary DiCarlo, deu detalhes sobre a nova onda de ataques russos com recurso a mísseis e drones que, durante a noite passada, aterrorizou o povo de Kyiv, Odessa, Lviv, Mykolaiv, Kharkiv e Zaporíjia (Zaporizhzhya).

Ucrânia. ONU alerta para risco de "inverno catastrófico" após ataques

A Organização das Nações Unidas (ONU) alertou hoje para o risco de um "inverno catastrófico" para milhões de ucranianos após os mais recentes "ataques implacáveis e generalizados" por parte da Rússia contra civis e importantes infraestruturas.

Lusa | 22:11 - 23/11/2022

Energia restaurada na maioria do território moldavo

Ema Gil Pires | há 5 dias

A energia foi restaurada na maior parte do território moldavo ao final desta quarta-feira, horas após os ataques de mísseis russos sobre a vizinha Ucrânia terem causado apagões em metade do país. A informação foi avançada pelas autoridades locais, aqui citadas pela Reuters.

O vice-primeiro-ministro Andrei Spinu, que tinha relatado anteriormente um "apagão massivo" no país, explicou numa declaração que todo o serviço energético tinha sido restaurado no norte da Moldova. A Premier Energy, uma empresa moldava que serve o centro e o sul do país, disse que 90% do fornecimento de eletricidade tinha sido restabelecido.

Funcionários na região separatista da Transnístria, apoiada pela Rússia, também disseram que a eletricidade estava já a funcionar normalmente.

Guerra na Ucrânia. Energia restaurada na maioria do território moldavo

Governo do país tinha dado conta, esta tarde, de que estavam a ser registadas “quebras de energia massivas” na Moldova.

Notícias ao Minuto | 23:26 - 23/11/2022

Representante da ONU elogia troca de prisioneiros de guerra

Ema Gil Pires | há 5 dias

A subsecretária-geral para Assuntos Políticos e de Consolidação da Paz da ONU, Rosemary DiCarlo, disse ao Conselho de Segurança da ONU, esta quarta-feira, que a troca de 35 prisioneiros russos e 36 ucranianos que foi anunciada hoje foi um desenvolvimento positivo no meio das "notícias sombrias" relacionadas com os ataques russos sobre a Ucrânia.

DiCarlo, em declarações proferidas durante uma reunião do Conselho solicitada pela Ucrânia, encorajou as partes a continuarem a libertar os prisioneiros de guerra e a seguirem o direito humanitário internacional a esse propósito, relata a Reuters.

Kremlin nega diálogo com EUA para promover negociações de paz com Kyiv

Lusa | há 5 dias

O Kremlin negou hoje que a Rússia e os Estados Unidos estejam em contacto para promover negociações de paz com Kyiv, após fonte militar norte-americana ter apontado esse cenário como possível devido ao impasse de Moscovo na Ucrânia.

O chefe do Estado-Maior Conjunto dos EUA, Mark Milley, referiu em 9 de novembro que é improvável que a Rússia alcance uma "vitória militar no sentido próprio do termo, alcançada por meios militares", acrescentando que existe "uma janela de oportunidade de negociação".

Mas o porta-voz do Kremlin, Dmitri Peskov, sublinhou hoje que as palavras de Milley não implicam que Moscovo esteja a manter conversações com os Estados Unidos para propor uma mesa de negociações com a Ucrânia, referiu a agência notícias Interfax.

Kremlin nega diálogo com EUA para promover negociações de paz com Kyiv

O Kremlin negou hoje que a Rússia e os Estados Unidos estejam em contacto para promover negociações de paz com Kyiv, após fonte militar norte-americana ter apontado esse cenário como possível devido ao impasse de Moscovo na Ucrânia.

Lusa | 21:08 - 23/11/2022

Teto ao preço do petróleo russo? Scholz acredita em acordo para breve

Ema Gil Pires | há 5 dias

O chanceler alemão, Olaf Scholz, disse esta quarta-feira estar "muito confiante" que a União Europeia iria chegar em breve a um acordo sobre um preço máximo a aplicar ao petróleo russo, numa altura em que as negociações sobre o tema estão já em curso em Bruxelas.

O G7 propôs já a imposição de um teto máximo para o preço do petróleo russo transportado por via marítima na ordem dos 65-70 dólares por barril, segundo a informação que acaba de ser avançada por um diplomata da União Europeia, reporta a Reuters.

Já os embaixadores dos 27 Estados-membros da UE estão a discutir a proposta do G7, com o objetivo de alcançar uma posição comum até ao final do dia. 

Rússia diz que oleoduto Druzhba já retomou o fluxo de petróleo

Ema Gil Pires | há 5 dias

O fluxo de petróleo através da secção ucraniana do oleoduto de Druzhba foi já retomado no volume programado, depois de ter sido parcialmente suspenso. O anúncio foi feito pela operadora estatal russa Transneft, está a reportar a agência noticiosa TASS.

"Pelas 19h46, hora de Moscovo (16h46 GMT), o fluxo foi retomado", disse o porta-voz da Transneft, Igor Dyomin, aqui citado pela TASS.

Até ao momento, não ficou claro o que causou a suspensão parcial do fluxo.

Rússia pede à ONU que denuncie execuções e critica "frases feitas"

Lusa | há 5 dias

A porta-voz do Ministério das Relações Externas da Rússia instou esta quarta-feira as Nações Unidas a denunciar a alegada execução de prisioneiros de guerra na Ucrânia, em vez de "se esconder atrás de frases feitas".

O porta-voz adjunto do secretário-geral das Nações Unidas, Farhan Haq, disse recentemente que a ONU está "preocupada com qualquer violação dos direitos humanos, independentemente de quem as comete", questionado sobre a alegada execução de prisioneiros.

A porta-voz do Ministério das Relações Externas da Rússia, Maria Zakharova, pediu assim à ONU (Organização das Nações Unidas), através de uma publicação no Telegram, que avalie os acontecimentos com "objetividade e imparcialidade", cumprindo assim os seus "deveres e mandatos".

Rússia pede à ONU que denuncie execuções e critica "frases feitas"

A porta-voz do Ministério das Relações Externas da Rússia instou esta quarta-feira as Nações Unidas a denunciar a alegada execução de prisioneiros de guerra na Ucrânia, em vez de "se esconder atrás de frases feitas".

Lusa | 20:04 - 23/11/2022

UE denuncia vaga de ataques russos contra infraestruturas energéticas

Lusa | há 5 dias

O Alto Representante da União Europeia (UE) para a Política Externa, Josep Borrell, denunciou esta quarta-feira a vaga de ataques russos contra infraestruturas ucranianas que provocaram um "apagão massivo" na vizinha Moldova.

"Condenação firme dos renovados ataques criminais da Rússia contra civis e infraestruturas na Ucrânia. Apagões massivos, também na Moldova", criticou o chefe da diplomacia europeia numa mensagem publicada nas redes sociais.

O representante europeu definiu de "cruel e desumano" deixar milhões de pessoas sem água, eletricidade ou aquecimento durante o inverno e afirmou que face às ações russas, a UE manterá o seu apoio à Ucrânia e à Moldova, este último considerado como o país mais pobre da Europa.

UE denuncia vaga de ataques russos contra infraestruturas energéticas

O Alto Representante da União Europeia (UE) para a Política Externa, Josep Borrell, denunciou esta quarta-feira a vaga de ataques russos contra infraestruturas ucranianas que provocaram um "apagão massivo" na vizinha Moldova.

Lusa | 19:50 - 23/11/2022

Trinta civis entre mortos e feridos e milhões sem luz e aquecimento

Lusa | há 5 dias

Novos ataques russos na Ucrânia fizeram 30 vítimas civis, entre mortos e feridos, e deixaram hoje milhões de pessoas sem eletricidade, acesso a água e aquecimento, quando se registam já temperaturas negativas nalgumas regiões, segundo as Nações Unidas.

Um balanço feito pelo Gabinete das Nações Unidas para a Coordenação de Assuntos Humanitários (OCHA, na sigla em inglês) indica que a escalada de ataques deixou completamente sem eletricidade regiões como Lviv, no oeste, Zaporíjia (Zaporizhzhya) e Odessa, no sul, e Chernihiv, no norte.

Os apagões estão também a afetar grandes partes das regiões centrais de Vinnytsya e Dnipro, Khmelnitsk, mais a oeste, Kharkiv e Sumi no nordeste, Mykolaiv no sul e a capital, Kyiv.

Ucrânia. 30 civis entre mortos e feridos e milhões sem luz e aquecimento

Novos ataques russos na Ucrânia fizeram 30 vítimas civis, entre mortos e feridos, e deixaram hoje milhões de pessoas sem eletricidade, acesso a água e aquecimento, quando se registam já temperaturas negativas nalgumas regiões, segundo as Nações Unidas.

Lusa | 19:42 - 23/11/2022

Kremlin acredita no "sucesso" da ofensiva na Ucrânia

Ema Gil Pires | há 5 dias

O Kremlin disse, esta quarta-feira, acreditar no "sucesso" da ofensiva militar que está a levar a cabo na Ucrânia, reporta a AFP.

"O futuro e o sucesso da operação especial são indubitáveis", disse o porta-voz do Kremlin, Dmitry Peskov, numa visita à Arménia, recorrendo ao termo oficial usado por Moscovo para descrever a invasão sobre a Ucrânia.

Peskov, que acompanhou o presidente do país, Vladimir Putin, na visita à capital arménia, Yerevan, não forneceu mais detalhes sobre a afirmação, num dia em que os ataques russos causaram extensos danos no sistema energético ucraniano.

Lukashenko considera "inadmissível" a "chantagem nuclear" internacional

Lusa | há 5 dias

O Presidente da Bielorrússia, Alexander Lukashenko, considerou hoje "inadmissível" a "chantagem nuclear" no panorama das relações internacionais e manifestou a sua "firme convicção" de que este tipo de ato "não deve ter lugar na política".

Durante uma visita à capital da Arménia, Yerevan, o chefe de Estado bielorrusso destacou que "a ideia de usar armas nucleares está a ser utilizada cada vez mais".

"Não poderíamos imaginar isto há dois ou três anos", afirmou.

Lukashenko considera "inadmissível" a "chantagem nuclear" internacional

O Presidente da Bielorrússia, Alexander Lukashenko, considerou hoje "inadmissível" a "chantagem nuclear" no panorama das relações internacionais e manifestou a sua "firme convicção" de que este tipo de ato "não deve ter lugar na política".

Lusa | 19:28 - 23/11/2022

Berlim quer cedência da Ucrânia? "Um completo disparate"

Ema Gil Pires | há 5 dias

Um porta-voz do governo alemão, Steffen Hebestreit, rejeitou a alegação feita pelo ex-primeiro-ministro britânico, Boris Johnson, de que Berlim queria que a Ucrânia desistisse e cedesse à Rússia, reporta a Associated Press.

"Estou tentado a mudar para o inglês e a dizer que é 'um completo disparate' o que Boris Johnson disse", explicou Steffen Hebestreit, em declarações aos jornalistas.

Fazendo uma provocação direta a Boris, o porta-voz alemão referiu ainda que o antigo líder do Reino Unido tem a sua "própria relação com a verdade".

Podolyak: "Cada novo ataque apenas fortalece o nosso carácter"

Ema Gil Pires | há 5 dias

Mykhailo Podolyak, um conselheiro do presidente da Ucrânia, Volodymyr Zelensky, recorreu a uma publicação na rede social Twitter para deixar uma crítica às expetativas russas sobre o prosseguimento da guerra.

"Se Moscovo acredita realmente que o corte de energia fará com que os ucranianos derrubem o governo e implorem por misericórdia, então após nove meses de guerra o Kremlin ainda não sabe nada sobre a Ucrânia", defendeu Podolyak.

E acrescentou: "Cada novo ataque apenas fortalece o nosso carácter. A Federação Russa sente-o no campo de batalha".

Ataques recentes sobre a Ucrânia causaram sete mortes

Ema Gil Pires | há 5 dias

O número de mortos dos mais recentes ataques russos sobre a Ucrânia subiu para sete, de acordo com as autoridades nacionais, reporta o The Guardian.

Oleksii Kuleba, o chefe da administração militar da região de Kyiv, disse que quatro pessoas tinham morrido na região.

O presidente da câmara Vitali Klitschko acrescentou, por sua vez, que outras três pessoas tinham morrido na sequência do ataque sobre a capital.

Cidadão russo condenado a prisão por sobrevoar Noruega com drone

Lusa | há 5 dias

Um cidadão russo, de 34 anos, foi hoje condenado a cumprir 90 dias de prisão na Noruega, após ter sobrevoado o território com um drone, violando uma proibição imposta face à guerra na Ucrânia.

A Noruega está em alerta após ter identificado veículos aéreos não tripulados a sobrevoar locais estratégicos, como plataformas de petróleo e gás.

De acordo com a decisão de um tribunal em Bergen, Maxim I. foi condenado por pilotar um drone "repetidamente" na região Sul da Noruega, entre 13 e 20 de outubro.

Cidadão russo condenado a prisão por sobrevoar Noruega com drone

Um cidadão russo, de 34 anos, foi hoje condenado a cumprir 90 dias de prisão na Noruega, após ter sobrevoado o território com um drone, violando uma proibição imposta face à guerra na Ucrânia.

Lusa | 18:59 - 23/11/2022

Reunião do Conselho de Segurança da ONU marcada para hoje

Ema Gil Pires | há 5 dias

O Conselho de Segurança da ONU vai realizar, ainda esta quarta-feira, uma reunião urgente para discutir os mais recentes ataques russos sobre a Ucrânia, na sequência do pedido feito pelo presidente do país, Volodymyr Zelensky.

Segundo reporta a Reuters, um porta-voz da missão dos Estados Unidos da ONU disse que o país, a Albânia e a Ucrânia solicitaram a reunião para que pudessem discutir "os ataques massivos de mísseis da Rússia que hoje danificaram infraestruturas civis críticas por toda a Ucrânia".

A reunião está agendada para as 21 horas de Portugal Continental.

Ucrânia. Reunião do Conselho de Segurança da ONU marcada para hoje

A reunião está agendada para as 21 horas de Portugal Continental.

Ema Gil Pires | 19:44 - 23/11/2022

Alguns comandantes russos terão incentivado violência sexual na Ucrânia

Notícias ao Minuto | há 5 dias

Há evidências de que os comandantes russos em várias instâncias estavam cientes da violência sexual cometida por militares na Ucrânia “e, em alguns casos, encorajando-a ou até mesmo ordenando-a”, revela à Reuters um advogado criminal internacional que auxilia a Ucrânia durante a guerra.

O advogado britânico Wayne Jordash disse ao meio que em algumas áreas em redor de Kyiv, no norte, onde as investigações estão mais avançadas, sabe se que parte da violência sexual envolveu um nível mais elevado de organização das forças armadas russas.

O advogado não identificou indivíduos específicos sob escrutínio.

Alguns comandantes russos terão incentivado violência sexual na Ucrânia

Jordash, advogado que faz parte de uma equipa apoiada pelo Ocidente que fornece conhecimentos jurídicos à Ucrânia, disse que é muito cedo para concluir o quão difundida é a prática.

Notícias ao Minuto | 18:43 - 23/11/2022

Pentágono diz que Rússia regista falta de munições; Moscovo desmente

Lusa | há 5 dias

A Rússia regista uma "penúria significativa" de munições para a sua artilharia e que poderão limitar no futuro as suas operações na Ucrânia, declarou hoje o ministro da Defesa norte-americano Lloyd Austin, e apesar dos desmentidos de Moscovo.

"Os russos enfrentam problemas logísticos desde o início" da invasão da Ucrânia, e "ainda estão numa situação fragilizada com a logística", declarou Austin a um grupo de jornalistas a bordo de um avião militar.

"[Os russos] registam uma penúria significativa de mísseis de artilharia", em particular pelo facto de Kiev ter destruído diversas reservas de munições russas", precisou o chefe do Pentágono.

Pentágono diz que Rússia regista falta de munições; Moscovo desmente

A Rússia regista uma "penúria significativa" de munições para a sua artilharia e que poderão limitar no futuro as suas operações na Ucrânia, declarou hoje o ministro da Defesa norte-americano Lloyd Austin, e apesar dos desmentidos de Moscovo.

Lusa | 17:48 - 23/11/2022

Autarca de Kyiv fala do "pior inverno desde a II Guerra Mundial"

Ema Gil Pires | há 5 dias

O presidente da câmara de Kyiv, Vitali Klitschko, anunciou esta quarta-feira que a capital ucraniana enfrenta, atualmente, o "pior inverno desde a II Guerra Mundial", na sequência dos ataques russos sobre as infraestruturas energéticas do país.

Numa entrevista ao jornal alemão Bild, o autarca alertou que os residentes da cidadão devem estar preparados para o "pior cenário" de cortes de energia generalizados num contexto de baixas temperaturas, como é típico do inverno ucraniano.

Caso isso acontecesse, prosseguiu, partes da capital ucraniana poderão vir a ter de ser evacuadas.

Autarca de Kyiv fala do "pior inverno desde a II Guerra Mundial"

O autarca alertou que os residentes da cidadão devem estar preparados para o "pior cenário".

Notícias ao Minuto | 18:02 - 23/11/2022

EUA anunciam 385,9 milhões de euros em assistência militar a Kyiv

Lusa | há 5 dias

O Departamento de Estado norte-americano anunciou hoje mais 400 milhões de dólares (385,9 milhões de euros) em assistência militar à Ucrânia para o país se defender dos "ataques implacáveis do Kremlin à sua infraestrutura energética".

Trata-se da 26.ª entrega de armas e equipamentos norte-americanos à Ucrânia desde agosto de 2021, indicou o secretário de Estado norte-americano, Antony Blinken, em comunicado.

Esses 400 milhões de dólares em equipamento militar incluem armas, munições e equipamentos de defesa aérea, retirados dos estoques do Departamento de Defesa dos Estados Unidos.

EUA anunciam 385,9 milhões de euros em assistência militar a Kyiv

O Departamento de Estado norte-americano anunciou hoje mais 400 milhões de dólares (385,9 milhões de euros) em assistência militar à Ucrânia para o país se defender dos "ataques implacáveis do Kremlin à sua infraestrutura energética".

Lusa | 17:24 - 23/11/2022

Kyiv reclama ter abatido 51 de 70 mísseis russos

Lusa | há 5 dias

A Força Aérea ucraniana reivindicou hoje ter conseguido abater 51 dos 70 mísseis russos disparados e que provocaram falhas generalizadas nas principais infraestruturas de energia do país.

"No total, foram disparados cerca de 70 mísseis de cruzeiro Kh-101/Kh-555 Kalibr. As forças de defesa aérea destruíram 51 mísseis. Além disso, cinco 'drones' do tipo Lancet foram destruídos no sul do país", informou a Força Aérea da Ucrânia, na rede social Telegram.

Kyiv reclama ter abatido 51 de 70 mísseis russos

A Força Aérea ucraniana reivindicou hoje ter conseguido abater 51 dos 70 mísseis russos disparados e que provocaram falhas generalizadas nas principais infraestruturas de energia do país.

Lusa | 17:08 - 23/11/2022

Ucrânia vai pedir reunião urgente do Conselho de Segurança da ONU

Ema Gil Pires | há 5 dias

A Ucrânia vai solicitar uma reunião urgente do Conselho de Segurança das Nações Unidas para discutir os últimos ataques russos contra instalações energéticas do país, anunciou na quarta-feira o presidente Volodymyr Zelensky.

"O assassinato de civis e a destruição de infraestruturas civis são atos de terror. A Ucrânia continuará a exigir uma resposta decisiva do mundo face a estes crimes", escreveu numa publicação na rede social Twitter.

PCP vota contra Rússia como Estado 'patrocinador do terrorismo'

Notícias ao Minuto | há 5 dias

O Parlamento Europeu aprovou, esta quarta-feira, uma resolução que classifica a Rússia como um estado 'patrocinador de terrorismo'. Contaram-se 494 votos a favor, 58 contra e 44 abstenções.

PSD e CDS votaram a favor, o Bloco de Esquerda absteve-se - tal como quatro eurodeputados socialistas (Margarida Marques, Maria Manuel Leitão Marques, Isabel Carvalhais e Isabel Santos) - e o PCP votou contra.

A mesma resolução prevê ainda que o Conselho Europeu inclua na lista de organizações terroristas a organização paramilitar russa 'Grupo Wagner', bem como o 141.º Regimento Especial Motorizado, também conhecido como 'Kadyrovites', entre outros grupos, milícias e forças aliadas ao Kremlin.

PCP vota contra Rússia como Estado 'patrocinador do terrorismo'

No Parlamento Europeu, os eurodeputados do PCP votaram contra uma proposta para classificar a Rússia como um Estado patrocinador de terrorismo. O Bloco de Esquerda absteve-se, tal como 4 socialistas. PSD e CDS votaram a favor.

Notícias ao Minuto | 16:59 - 23/11/2022

Presidente francês anuncia "contacto direto" com Putin nos próximos dias

Lusa | há 5 dias

O Presidente francês, Emmanuel Macron, anunciou hoje que terá um "contacto direto" com o seu homólogo russo, Vladimir Putin, "nos próximos dias" para falar sobre energia nuclear de uso civil e a central de Zaporíjia (Zaporizhzhya).

"Pretendo ter um contacto direto com ele nos próximos dias sobre questões nucleares civis, em primeiro lugar, e sobre a central de Zaporíjia, após uma troca de informações" com o diretor-geral da Agência Internacional de Energia Atómica (AIEA), Rafael Grossi, disse o Presidente francês à imprensa, durante uma visita ao Salon des Maires, em Paris.

Presidente francês anuncia "contacto direto" com Putin nos próximos dias

O Presidente francês, Emmanuel Macron, anunciou hoje que terá um "contacto direto" com o seu homólogo russo, Vladimir Putin, "nos próximos dias" para falar sobre energia nuclear de uso civil e a central de Zaporíjia (Zaporizhzhya).

Lusa | 17:01 - 23/11/2022

Pelo menos seis pessoas morreram na mais recente vaga de ataques

Ema Gil Pires | há 5 dias

O chefe da Polícia Nacional da Ucrânia, Ihor Klymenko, anunciou que pelo menos seis pessoas morreram e 36 outras ficaram feridas na sequência da mais recentes vaga de ataques russos sobre o país.

Porém, a mesma fonte, aqui citada pelo The Kyiv Independent, referiu que o número real de baixas deve ser mais elevado.

O número de feridos no decorrer do mais recente ataque sobre Kyiv subiu já para nove, de acordo com o balanço feito pelo autarca Vitali Klitschko. Isto numa altura em que se sabe já que três pessoas perderam a vida na capital ucraniana.

Começa na Rússia julgamento de célebre opositor à guerra na Ucrânia

Lusa | há 5 dias

Um célebre opositor do Kremlin preso por ter condenado a ofensiva russa na Ucrânia exigiu hoje a sua libertação, no primeiro dia de um julgamento ilustrativo do grau de repressão das vozes críticas na Rússia.

Ilia Iachin, de 39 anos e deputado municipal moscovita na altura em que foi detido, é acusado de ter "divulgado falsas informações" sobre o exército russo com "incitação ao ódio", um crime punível com dez anos de prisão.

O ministério público acusa-o de ter condenado, numa mensagem em direto na plataforma digital YouTube, "o assassínio de civis" na cidade ucraniana de Bucha, perto de Kiev, onde o exército russo foi acusado de cometer atrocidades, o que Moscovo nega.

Começa na Rússia julgamento de célebre opositor à guerra na Ucrânia

Um célebre opositor do Kremlin preso por ter condenado a ofensiva russa na Ucrânia exigiu hoje a sua libertação, no primeiro dia de um julgamento ilustrativo do grau de repressão das vozes críticas na Rússia.

Lusa | 16:54 - 23/11/2022

Kyiv confirma troca de prisioneiros com Moscovo

Ema Gil Pires | há 5 dias

A troca de prisioneiros inicialmente anunciada pela Rússia acaba de ser confirmada por Kyiv. Andriy Yermak, o chefe do gabinete presidencial ucraniano, partilhou na rede social Twitter uma imagem que dá conta de que 35 militares ucranianos e um civil foram libertados do "cativeiro russo".

"Entre eles estão defensores do [complexo siderúrgico de] Azovstal e de Mariupol, bem como guardas nacionais capturados na central nuclear de Chernobyl nos primeiros dias da invasão", pode ler-se na publicação.

Moscovo diz ter libertado 35 prisioneiros russos após conversações

Ema Gil Pires | há 5 dias

O Ministério da Defesa da Rússia disse, esta quarta-feira, que 35 prisioneiros de guerra que tinham sido mantidos em cativeiro na Ucrânia foram devolvidos ao país, na sequência de conversações entre ambos os países.

"A 23 de novembro, como resultado do processo de negociação, 35 militares russos foram devolvidos do território controlado pelo regime de Kyiv, que se encontravam em perigo de vida em cativeiro", alega a tutela, numa declaração citada pelo The Guardian.

Os militares serão transportados por via aérea para Moscovo, para fins de "tratamento e reabilitação em instituições médicas do Ministério da Defesa russo". A mesma fonte explicou ainda que os soldados terão acesso a assistência médica e psicológica.

Volodymyr Zelensky: "Somos um povo inquebrável"

Ema Gil Pires | há 5 dias

O presidente da Ucrânia, Volodymyr Zelensky, recorreu a uma nova publicação nas redes sociais para anunciar que o país irá reconstruir as infraestruturas danificadas no decorrer dos ataques aéreos russos desta quarta-feira. Nesse momento, deixou ainda um elogio ao espírito do povo nacional

"Vamos renovar tudo e ultrapassar tudo isto porque somos um povo inquebrável", disse o chefe de Estado ucraniano, numa publicação na rede social Telegram.

Adolescente entre as vítimas de ataque sobre Kyiv

Ema Gil Pires | há 5 dias

Uma rapariga de 17 anos encontra-se entre as três vítimas dos ataques aéreos russos desta quarta-feira sobre a capital ucraniana, Kyiv, segundo a informação avançada pelo autarca da cidade, Vitali Klitschko. 

A mesma fonte relatou ainda, nas redes sociais, que pelos menos outras 11 pessoas terão ficado feridas na sequência desses bombardeamentos.

Três centrais nucleares foram desligadas da rede após ataques russos

Lusa | há 5 dias

Três centrais nucleares ucranianas foram desligadas hoje da rede elétrica depois de ataques russos que atingiram as infraestruturas de energia e provocaram graves falhas de energia, anunciou a operadora nacional Energoatom.

"Devido a uma falha na frequência no sistema de energia ucraniano, o sistema de proteção de emergência foi ativado nas centrais nucleares de Rivne, Pivdennoukrainsk e Khmelnitsky, o que levou à desconexão automática de todas as unidades geradoras", afirmou a Energoatom na rede social Telegram.

Três centrais nucleares foram desligadas da rede após ataques russos

Três centrais nucleares ucranianas foram desligadas hoje da rede elétrica depois de ataques russos que atingiram as infraestruturas de energia e provocaram graves falhas de energia, anunciou a operadora nacional Energoatom.

Lusa | 15:48 - 23/11/2022

Site do Parlamento Europeu alvo de ataque informático. Russos reivindicam

Marta Amorim | há 5 dias

O site oficial do Parlamento Europeu foi forçado a ficar offline devido a um ciberataque, mais especificamente um ataque DD0S (ataque de negação de serviço, uma tentativa de tornar os recursos de um sistema indisponíveis), de acordo com o grupo de segurança cibernética BetterCyber, citado pela AFP.

O site está supostamente inacessível em vários países da Europa, assim como nos Estados Unidos.

O grupo de hackers pró-Kremlin “KILLNET” reivindicou a responsabilidade pelo ataque no Telegram.

Site do Parlamento Europeu alvo de ataque informático

Incidente ocorre depois de a Rússia ter sido reconhecida pelos eurodeputados como Estado patrocinador do terrorismo.

Marta Amorim | 15:35 - 23/11/2022

Parlamento Europeu lança campanha para recolher na UE geradores para Kyiv

Lusa | há 5 dias

O Parlamento Europeu lançou, esta quarta-feira, uma campanha para recolher, nas cidades da União Europeia (UE), geradores e transformadores de energia para ajudar os ucranianos a passar este inverno, dada a destruição das infraestruturas pela invasão russa da Ucrânia.

Parlamento Europeu lança campanha para recolher na UE geradores para Kyiv

O Parlamento Europeu lançou, esta quarta-feira, uma campanha para recolher, nas cidades da União Europeia (UE), geradores e transformadores de energia para ajudar os ucranianos a passar este inverno, dada a destruição das infraestruturas pela invasão russa da Ucrânia.

Lusa | 14:49 - 23/11/2022

"Está a decorrer novo ataque maciço às infraestruturas", alertou Podolyak

Daniela Carrilho | há 5 dias

O assessor do gabinete do presidente da Ucrânia, Mykhailo Podolyak, ressalvou que um novo “ataque maciço” está a ser efetuado contra a infraestrutura do país.

Enquanto alguém espera pelos resultados do Mundial e pelo número de golos marcados, os ucranianos esperam por outro placard – o número de mísseis russos intercetados. Está a ocorrer um novo ataque maciço às infraestruturas da Ucrânia”, alertou Podolyak, numa publicação no Twitter.

Cidadão russos encontrados em mosteiro de Kyiv após buscas de autoridades

Daniela Carrilho | há 5 dias

Os serviços de segurança ucranianos anunciaram, esta quarta-feira, ter encontrado cidadãos russos e literatura pró-russa em mosteiros de um ramo da Igreja Ortodoxa Ucraniana, dependente do Patriarcado de Moscovo, que tem garantido não estar ligada à ofensiva russa no país.

Saiba mais aqui.

Países da UE e Mediterrâneo juntos em Barcelona para melhorar cooperação

Lusa | há 5 dias

A União Europeia, os seus 27 estados-membros e mais 15 países do Mediterrâneo reúnem-se na quinta-feira em Barcelona com o objetivo de melhorar "a cooperação, o desenvolvimento e a integração" na região euro-mediterrânica.

Países da UE e Mediterrâneo juntos em Barcelona para melhorar cooperação

A União Europeia, os seus 27 estados-membros e mais 15 países do Mediterrâneo reúnem-se na quinta-feira em Barcelona com o objetivo de melhorar "a cooperação, o desenvolvimento e a integração" na região euro-mediterrânica.

Lusa | 11:02 - 23/11/2022

Ataque russo a infraestrutura ucraniana provoca apagão na Moldova

Daniela Carrilho | há 5 dias

Estão a ser registadas “quebras de energia massivas” na Moldova, na sequência dos ataques russos, registados esta quarta-feira em diferentes cidades ucranianas.

O ministro das infraestruturas da Moldova, Andrei Spînu, alertou para quedas de energia “massivas” no país devido aos ataques russos à infraestrutura energética da Ucrânia.

“Um backout maciço após o ataque russo de hoje à infraestrutura de energia da Ucrânia. A Moldelectrica [empresa estatal de energia] está a trabalhar para reconectar mais de 50% da eletricidade do país”, escreveu o ministro das infraestruturas da Moldova, Andrei Spînu, no Twitter.

Popescu pediu que o embaixador da Rússia fosse convocado, depois dos bombardeamentos terem deixado o país novamente “às escuras”.

Número de mortos em Kyiv sobe para três

Daniela Carrilho | há 5 dias

O ataque com mísseis da Rússia na Ucrânia, esta quarta-feira, provocou três vítimas mortais. A informação foi avançada pelo governo militar da cidade de Kyiv, citado pelo The Kyiv Independent.

O prefeito da capital ucraniana, Vitali Klitschko, adiantou ainda que nove pessoas ficaram feridas na sequência dos bombardeamentos.

“Nove pessoas ficaram feridas, oito delas foram hospitalizadas em hospitais de Kyiv. Uma vítima foi atendida por médicos no local”, salientou numa publicação na rede social Telegram.

"Sistemas de defesa aérea” devem ser ativados “o mais rápido possível"

Daniela Carrilho | há 5 dias

O ministro dos Negócios Estrangeiros da Ucrânia, Dmytro Kuleba, pede que se ativem “todos os sistemas de defesa aérea que sejam necessários o mais rápido possível”, na sequência dos novos ataques de hoje.

“A Rússia comemora o seu reconhecimento como Estado terrorista com novos mísseis de terror contra a capital da Ucrânia e outras cidades”, afirma Kuleba, numa publicação na rede social Twitter, acrescentando que “a Rússia deve ser reconhecida como um estado terrorista mundial e a Ucrânia deve obter todos os sistemas de defesa aérea necessários o mais rápido possível”.

Explosões em Lviv. Cidade está sem luz

Daniela Carrilho | há 5 dias

Segundo o The Kyiv Independent, foram reportadas explosões em Lviv, depois de serem noticiados ataques nas regiões de Kyiv, Mykolaiv e Dnipropetrovsk.

O prefeito de Lviv, Andriy Sadovyi, disse que toda a cidade está “sem luz”.

Kyiv pode ter de ser evacuada devido a cortes de energia

Daniela Carrilho | há 5 dias

O ataque russo, que aconteceu há pouco na capital da Ucrânia, atingiu uma infraestrutura de energia e provocou cortes de eletricidade em Kyiv.

“Não há luz em alguns distritos de Kyiv. Especialistas em energia relatam paralisações de emergência. Devido ao bombardeamento, também o abastecimento de água foi suspenso. Os especialistas estão a trabalhar para restaurá-lo o mais rápido possível”, avisou.

O prefeito de Kyiv, Vitaly Klitschko, pediu aos moradores que fiquem em abrigos antiaéreos e se preparem para o “pior cenário” durante o inverno.

“Este é o pior inverno desde a Segunda Guerra Mundial”, disse Klitschko, ao jornal alemão Bild.

 

 

Explosões ouvidas em Kyiv. Há um morto a registar

Daniela Carrilho | há 5 dias

A Rússia voltou à carga e lançou nova vaga de rockets contra o território ucraniano.

Uma série de explosões foram ouvidas, esta quarta-feira, em Kyiv. Os ataques atingiram infraestrutura crítica e edifícios residenciais na capital da Ucrânia, conforme foi confirmado pelo autarca de Kyiv, Vitaly Klitschko.

Uma pessoa morreu na sequência dos ataques russos.

De acordo com o jornal The Guardian, foram ainda ouvidas explosões nas regiões de Mykolaiv e Dnipropetrovsk. A defesa aérea ucraniana conseguiu eliminar algumas ameaças.

"Putin deve ser responsabilizado pelos seus crimes"

Daniela Carrilho | há 5 dias

Na sequência da decisão do Parlamento Europeu de  declarar que a Rússia é um "Estado patrocinador do terrorismo", o chefe do gabinete do presidente ucraniano, Andriy Yermak afirmou gratidão pela votação.

Yermak salienta que este é um "passo crucial que fortalece o isolamento internacional da Rússia e legitimamente confirma o seu status de pária".


Por sua vez, a vice-presidente do Parlamento Europeu, Dita Charanzová, recorreu ao Twitter para afirmar que o "presidente Vladimir Putin deve ser responsabilizado pelos seus crimes".

A votação foi aprovada por 494 eurodeputados, 58 votaram contra e 44 abstiveram-se.

Ouvidos alertas de ataques aéreos em toda a Ucrânia

Daniela Carrilho | há 5 dias

O jornal britânico de Guardian avança que, esta quarta-feira, foram ouvidos alertas de ataques aéreos em todo o país, enquanto há relatos de explosões nas regiões sul e leste do país.

Parlamento da UE declara que Rússia é "Estado patrocinador do terrorismo"

Daniela Carrilho | há 5 dias

O Parlamento Europeu fez uma votação, esta quarta-feira, para designar a Rússia como um “estado patrocinador do terrorismo”.

Os eurodeputados, segundo o jornal The Guardian, consideraram que os ataques militares da Rússia contra alvos civis e contra a infraestrutura de energia, hospitais, escolas e abrigos, violam o direito internacional.

Na sequência desta decisão parlamentar, o presidente da Ucrânia, Volodymyr Zelensky,  já reagiu, realçando que “a Rússia deve ser isolada em todos os níveis e responsabilizada para acabar com a sua política de terrorismo de longa data na Ucrânia e em todo o mundo”.

Papa comparou invasão na Ucrânia a "terrível genocídio" do Holodomor

Daniela Carrilho | há 5 dias

Na sua audiência geral na Praça de São Pedro, no Vaticano, o Papa Francisco afirmou, esta quarta-feira, citado pelo jornal The Guardian, que os ucranianos sofrem o “martírio da agressão” e comparou a guerra ao “terrível genocídio”, conhecido como Holodomor, que assolou o povo ucraniano na década de 1930.

“Oremos pela paz no mundo e pelo fim de todos os conflitos, com um pensamento especial para o sofrimento terrível do querido e martirizado povo ucraniano. A este respeito, no próximo sábado é o aniversário do terrível genocídio do Holodomor, o extermínio por fome em 1932-33 causado artificialmente por Estaline na Ucrânia. Oremos pelas vítimas deste genocídio e rezemos por tantos ucranianos, crianças, mulheres e idosos, que hoje sofrem o martírio da agressão”, afirmou o Papa.

Papa relaciona "sofrimento" dos ucranianos com "genocídio" de Estaline

O Papa Francisco relacionou hoje o sofrimento atual dos ucranianos com o "genocídio causado por Estaline" nos anos 30, quando o ditador soviético foi acusado de causar fome na Ucrânia, que terá vitimado mais de 3 milhões de pessoas.

Lusa | 19:01 - 23/11/2022

Canadá anuncia novas sanções contra autoridades bielorrussas

Lusa | há 5 dias

O Canadá anunciou terça-feira uma nova ronda de sanções contra as autoridades bielorrussas, enquanto a opositora exilada Svetlana Tikhanovskaya visita aquele país norte-americano para pedir a Otava que mantenha a pressão sobre o regime de Alexander Lukashenko.

Canadá anuncia novas sanções contra autoridades bielorrussas

O Canadá anunciou terça-feira uma nova ronda de sanções contra as autoridades bielorrussas, enquanto a opositora exilada Svetlana Tikhanovskaya visita aquele país norte-americano para pedir a Otava que mantenha a pressão sobre o regime de Alexander Lukashenko.

Lusa | 09:48 - 23/11/2022

Pelo menos 438 crianças já morreram na Ucrânia desde o início da guerra

Daniela Carrilho | há 5 dias

De acordo com a Procuradoria-Geral ucraniana, os militares russos causaram a morte a pelo menos 438 crianças desde o início da guerra.

“Até à manhã de 23 de novembro de 2022, mais de 1.279 crianças foram afetadas na Ucrânia na sequência da agressão armada de grande escala da Federação da Rússia. 438 crianças morreram e mais de 841 ficaram feridas”, indicou a Procuradoria, numa mensagem no Telegram.

A procuradoria refere, no entanto, que os números “não são definitivos”.

“Estão a realizar-se trabalhos para determinar [o número real de vítimas] em locais de hostilidades ativas, em territórios temporariamente ocupados e libertados”.

AIEA reúne-se com Rosatom para criar segurança na central nuclear

Daniela Carrilho | há 5 dias

O CEO da Agência Internacional de Energia Atómica (AIEA) reuniu-se com uma delegação russa da Rosatom, em Istambul, Turquia, para discutir a segurança da central nuclear de Zaporíjia.

"O diretor-geral da AIEA, Rafael Grossi, reuniu-se com uma delegação russa liderada por Alexey Likhachev, da Rosatom, em Istambul, hoje, para discutir aspectos operacionais relacionados com a segurança em Zaporíjia e o estabelecimento urgente de uma zona de segurança e proteção nuclear", referiu a AIEA numa publicação na rede social Twitter.

Rússia usa drones do Irão desde setembro. Stock pode estar a terminar?

Daniela Carrilho | há 5 dias

O Ministério da Defesa do Reino Unido afirmou que a Rússia deve estar a usar drones iranianos desde setembro.

No seu comunicado diário, o ministério apontou que os drones “estão a ser utilizados para atingir locais estratégicos da resistência ucraniano e alvejar o sistema elétrico”.

De acordo com o documento, não há relatos da utilização destes drones desde dia 17 de novembro. O que poderá querer dizer que o stock pode estar a esgotar-se e a Rússia terá de pedir mais armamento iraniano.

"Inimigo continua a tentar ganhar com terror"

Daniela Carrilho | há 5 dias

O presidente da Ucrânia, Volodymyr Zelensky, recorreu à rede social Telegram, para comentar o mais recente ataque a uma maternidade na região de Zaporíjia, que matou um bebé recém-nascido.

“O estado terrorista continua a lutar contra civis e objetos civis. Como resultado de um ataque com mísseis na maternidade do hospital de Vilnyansk, uma criança morreu e uma mulher ficou ferida”, refere o líder ucraniano, acrescentando que “provavelmente ainda há pessoas sob os escombros”.

Zelensky referiu ainda que houve um bombardeamento em Kupyansk, na província de Kharkiv. Este ataque, que atingiu “um edifício e uma policlínica”, provocou dois mortos e um ferido.

O inimigo decidiu mais uma vez tentar ganhar com terror e assassinato. Não conseguiu durante nove meses e não conseguirá. Só será responsabilizado por todo o mal que trouxe ao nosso país”, concluiu o presidente ucraniano.

Alegados crimes de guerra sob investigação (e com desfecho indefenido)

Lusa | há 5 dias

O Parlamento Europeu (PE) deverá aprovar, esta quarta-feira, em Estrasburgo uma resolução não vinculativa onde reconhece a Rússia como Estado "patrocinador do terrorismo", enquanto se avoluma a lista de alegados crimes de guerra atribuídos às partes em conflito na Ucrânia.

A resolução visa que Moscovo responda judicialmente por alegados crimes de guerra cometidos pelas suas forças na Ucrânia, que têm vindo a ser documentados desde o início da invasão da Ucrânia há quase nove meses.

Alegados crimes de guerra sob investigação (e com desfecho indefenido)

O Parlamento Europeu (PE) deverá aprovar, esta quarta-feira, em Estrasburgo uma resolução não vinculativa onde reconhece a Rússia como Estado "patrocinador do terrorismo", enquanto se avoluma a lista de alegados crimes de guerra atribuídos às partes em conflito na Ucrânia.

Lusa | 08:18 - 23/11/2022

Mais de 85 mil soldados russos mortos desde o início da invasão

Daniela Carrilho | há 5 dias

De acordo com as Forças Armadas da Ucrânia, pelo menos 410 militares russos terão perdido a vida na sequência do conflito no último dia, num total de 85.410 desde o início da guerra.

Além das perdas humanas, o Exército russo já registou várias baixas a nível de armamento e veículos de combate.

Reino Unido envia helicópteros militares para a Ucrânia

Daniela Carrilho | há 5 dias

O Reino Unido está a enviar um conjunto de helicópteros de combate para a Ucrânia, como três helicópteros Sea King - que estão preparados para combater submarinos e missões de resgate no mar - e o primeiro já chegou a território ucraniano.

A notícia foi avançada, esta madrugada, pela BBC. O anúncio foi feito pelo ministro da Defesa britânico, Ben Wallace, na Noruega, onde os países da NATO estão reunidos para debater o apoio militar para a Ucrânia.

Também foram enviadas mais 10 mil munições, para ajudar a Ucrânia a manter o controle das regiões recém-libertadas, assim como equipamentos de inverno.

Rússia ataca maternidade perto de Zaporíjia. Bebé recém-nascido foi morto

Daniela Carrilho | há 5 dias

A Rússia terá lançado rockets contra uma maternidade em Vilniansk, nos arredores da cidade de Zaporíjia.
A informação foi avançada pelo governador de Zaporíjia, Oleksandr Starukh, através do Telegram, que lamentou a morte de um bebé recém-nascido.

“Durante a noite, os monstros russos dispararam enormes rockets contra a pequena ala de maternidade do hospital de Vilniansk. A dor enche os nossos corações: um bebé que tinha acabado de chegar ao mundo foi morto”, escreveu Starukh na publicação.

Para recordar

Daniela Carrilho | há 5 dias

Início de cobertura

Daniela Carrilho | há 5 dias

Bom dia. Iniciamos um novo dia a acompanhar AO MINUTO os principais acontecimentos da guerra na Ucrânia. Pode recordar tudo o que se passou na terça-feira abaixo:

AO MINUTO: Kyiv investiga execução de russos; "Propaganda muito poderosa"

Acompanhe aqui AO MINUTO os mais recentes desenvolvimentos sobre a guerra na Ucrânia.

Notícias ao Minuto | 07:55 - 22/11/2022

Recomendados para si

Seja sempre o primeiro a saber.
Sexto ano consecutivo Escolha do Consumidor e Prémio Cinco Estrelas para Imprensa Online.
Descarregue a nossa App gratuita.

Apple Store Download

;
Campo obrigatório