Meteorologia

  • 04 DEZEMBRO 2022
Tempo
MIN 8º MÁX 14º

Primeiros russos recrutados chegam às bases, com pouco treino à vista

Britânicos alertam que muitos russos serão destacados para as linhas da frente com pouca preparação e treino de combate.

Primeiros russos recrutados chegam às bases, com pouco treino à vista
Notícias ao Minuto

08:24 - 26/09/22 por Notícias ao Minuto

Mundo Rússia

O Ministério da Defesa do Reino Unido, no seu relatório diário, adiantou esta segunda-feira que os primeiros homens russos a serem chamados para a mobilização militar parcial já chegaram às bases militares russas.

No entanto, os serviços secretos britânicos alertam que a Rússia enfrenta um "desafio administrativo e logístico para providenciar treino às tropas", já que o presidente russo tem pedido uma aceleração do processo - contra as orientações do seu próprio Ministério da Defesa.

Nesse sentido, os britânicos apontam que o exército russo "oferece treino inicial e de baixo nível aos soldados dentro das suas unidades operacionais, em vez de dar treino especializado", o que coloca em risco de vida os homens destacados.

"Muitos dos soldados chamados não terão qualquer experiência militar durante alguns anos. A falta de treinadores militares, e a pressa com que a Rússia começou a mobilização, sugere que muitas das tropas recrutadas serão destacadas para a linha da frente com uma preparação relevante mínima", afirma o Ministério da Defesa do Reino Unido.

Salientando os detalhes de uma preparação normal, na qual explica que os batalhões russos costumam treinar de forma rotativa - um batalhão normalmente ficaria numa base, enquanto as outras duas seriam destacadas -, mas a guerra da Ucrânia e a perda de milhares de soldados levou a que esse método fosse abandonado.

Como tal, a falta de preparação, de treino e de liderança experiente irá "provavelmente resultar numa taxa de atrito elevada".

As forças armadas ucranianas dizem que já foram mortos mais de 56 mil soldados russos - um valor que o Kremlin refuta, dando a conhecer apenas alguns milhares de baixas. De recordar que, em dez anos de guerra no Afeganistão, a União Soviética teve 10 mil baixas, o que enaltece por comparação o impacto da guerra na Ucrânia nas forças russas.

A guerra na Ucrânia já fez mais de 5.900 mortos entre a população civil ucraniana, segundo contam os dados do Alto Comissariado das Nações Unidas para os Direitos Humanos. No entanto, a organização adverte que o real número de mortos civis poderá ser muito superior, dadas as dificuldades em contabilizar mortos em zonas ocupadas ou sitiadas pelos russos - em Mariupol, por exemplo, estima-se que tenham morrido milhares de pessoas.

Leia Também: Aliados de Putin questionam mobilização e admitem "queixas"

Recomendados para si

Seja sempre o primeiro a saber.
Sexto ano consecutivo Escolha do Consumidor e Prémio Cinco Estrelas para Imprensa Online.
Descarregue a nossa App gratuita.

Apple Store Download

;
Campo obrigatório