Meteorologia

  • 03 DEZEMBRO 2022
Tempo
MIN 8º MÁX 12º

Finlândia vai ceder 20 militares para formar ucranianos no Reino Unido

A Finlândia vai enviar cerca de 20 militares para o Reino Unido para colaborar no programa de treino militar para membros das Forças Armadas da Ucrânia, informou hoje o Ministério da Defesa finlandês.

Finlândia vai ceder 20 militares para formar ucranianos no Reino Unido

O programa, que vai ser realizado ao longo de 2022 impulsionado pelo Exército britânico, visa proporcionar "formação militar básica" a cerca de 10 mil voluntários ucranianos.

Desta forma, as autoridades finlandesas responderam ao pedido de colaboração lançado a partir de Londres, como destacou o Ministério da Defesa num comunicado.

O Canadá também já havia aderido ao programa e confirmou que iria enviar mais de 220 militares, na sua maioria instrutores, para o Reino Unido durante mais de quatro meses.

O primeiro-ministro britânico, Boris Johnson, prometeu ao Presidente ucraniano, Volodymyr Zelensky, treinar tropas ucranianas no Reino Unido para aumentar as capacidades defensivas da Ucrânia face à invasão russa.

A ofensiva militar lançada a 24 de fevereiro pela Rússia na Ucrânia causou já a fuga de quase 17 milhões de pessoas de suas casas -- mais de seis milhões de deslocados internos e mais de dez milhões para os países vizinhos -, de acordo com os mais recentes dados da ONU, que classifica esta crise de refugiados como a pior na Europa desde a Segunda Guerra Mundial (1939-1945).

Também segundo as Nações Unidas, cerca de 16 milhões de pessoas necessitam de assistência humanitária na Ucrânia.

A invasão russa -- justificada pelo Presidente russo, Vladimir Putin, com a necessidade de "desnazificar" e desmilitarizar a Ucrânia para segurança da Rússia - foi condenada pela generalidade da comunidade internacional, que está a responder com o envio de armamento para a Ucrânia e a imposição à Rússia de sanções que atingem praticamente todos os setores, da banca à energia e ao desporto.

A ONU confirmou que 5.401 civis morreram e 7.466 ficaram feridos na guerra, que hoje entrou no seu 166.º dia, sublinhando que os números reais deverão ser muito superiores e só serão conhecidos quando houver acesso a zonas cercadas ou sob intensos combates.

Leia Também: Serviços secretos dizem ter evitado assassínio do ministro da Defesa

Recomendados para si

Seja sempre o primeiro a saber.
Sexto ano consecutivo Escolha do Consumidor e Prémio Cinco Estrelas para Imprensa Online.
Descarregue a nossa App gratuita.

Apple Store Download

;
Campo obrigatório