Meteorologia

  • 06 JULHO 2022
Tempo
19º
MIN 17º MÁX 34º

Veteranos russos consideram guerra um "falhanço"

O aumento das críticas públicas ao Kremlin poderão ser "combustível" para pessoas questionarem as hipóteses da Rússia neste conflito, defende o Instituto para o Estudo da Guerra.

Veteranos russos consideram guerra um "falhanço"
Notícias ao Minuto

23:19 - 26/05/22 por Notícias ao Minuto

Mundo Rússia/Ucrânia

Os membros da Assembleia dos Oficiais Russos escreveram uma carta aberta, na semana passada, a criticar os resultados da invasão das tropas russas na Ucrânia.

De acordo com a análise feita pelo Instituto para o Estudo da Guerra (ISW, na sigla em inglês), o grupo, que é composto por veteranos de guerra pró-Kremlin, considerou que a "operação militar especial" era um não tinha cumprido os objetivos traçados e apelou a Putin que reconhecesse que já não se tratava de "desnazificar" a Ucrânia, mas sim lutar pela posição da Rússia a nível mundial.

O grupo, composto só por russos, classificou ainda a invasão como um "falhanço" e julga que a Rússia terá que se preparar para uma "guerra sangrenta", assim como mobilizar mais forças.

As críticas surgem depois do insucesso que as tropas russas têm tido, quer em termos de avanços territoriais, quer em termos de baixas. De acordo com o New York Times, um dos mais recentes acontecimentos que levou ao aumento das críticas foi a tentativa falhada de atravessar o Rio Donets, que terá resultado em dezenas de veículos russos destruídos, assim como em 400 baixas russas - entre feridos e mortos.

Ainda de acordo com o instituto dos Estados Unidos, apesar das restrições no acesso à informação no país, as críticas entre especialistas têm vindo a aumentar

Também nas redes sociais as críticas entre os russos têm começado a surgir, com um blogger de guerra, com mais de 2.1 milhões de seguidores no Telegram a falar sobre o insucesso. "Sim, eu percebo que é impossível que não haja problemas na guerra, mas quando os mesmos problemas continuam por três meses e nada parece mudar, eu começo - assim como milhões de russos - a ter dúvidas sobre os líderes destas operações militares", disse Yuri Podolyaka durante um vídeo partilhado.

A opinião do blogger vai ao encontro do relatório semanal do ISW, que garante que "muitos apoiantes do Kremlin" começam a "criticar abertamente o Kremlin". "Os comentários podem ser o combustível para duvidaram da Rússia e das suas hipóteses nesta guerra, assim como da competência dos líderes", escrevem.

A Rússia lançou, em 24 de fevereiro, uma ofensiva militar na Ucrânia que já matou quase quatro mil civis, segundo a ONU, que alerta para a probabilidade de o número real ser muito maior.

A ofensiva militar causou já a fuga de mais de 14 milhões de pessoas de suas casas -- mais de oito milhões de deslocados internos e mais de 6,6 milhões para os países vizinhos -, de acordo com os mais recentes dados da ONU, que classifica esta crise de refugiados como a pior na Europa desde a Segunda Guerra Mundial (1939-1945).

Também as Nações Unidas disseram que cerca de 15 milhões de pessoas necessitam de assistência humanitária na Ucrânia.

A invasão russa foi condenada pela generalidade da comunidade internacional, que respondeu com o envio de armamento para a Ucrânia e o reforço de sanções económicas e políticas a Moscovo.

Leia Também: Crise alimentar? Moscovo poderá ajudar "se as sanções forem levantadas"

Recomendados para si

Seja sempre o primeiro a saber.
Sexto ano consecutivo Escolha do Consumidor e Prémio Cinco Estrelas para Imprensa Online.
Descarregue a nossa App gratuita.

Apple Store Download

;
Campo obrigatório