Meteorologia

  • 01 JULHO 2022
Tempo
28º
MIN 15º MÁX 28º

França assegura que a "Ucrânia fará parte da UE"

"Temos de alimentar a esperança europeia", disse o ministro francês delegado para os Assuntos Europeus, Clément Beaune.

França assegura que a "Ucrânia fará parte da UE"
Notícias ao Minuto

17:19 - 24/05/22 por Notícias ao Minuto

Mundo Guerra na Ucrânia

A Ucrânia acabará por fazer parte da União Europeia (UE), garantiu esta terça-feira o ministro francês delegado para os Assuntos Europeus, Clément Beaune. De acordo com a Reuters, o governante pretendeu tranquilizar Kyiv ao dizer que uma iniciativa desenhada com o intuito de estreitar os laços entre o bloco europeu e os países aspirantes não substituiria as suas propostas de adesão ao mesmo.

As declarações foram proferidas depois de, no início deste mês, o presidente francês Emmanuel Macron ter sugerido a criação de uma "comunidade política europeia" que criaria uma nova estrutura, a qual permitiria uma cooperação mais estreita com os países candidatos à adesão à União Europeia.

"Estou convencido de que a Ucrânia fará parte da União Europeia", disse Clément Beaune aos jornalistas. "Sabemos com honestidade que leva tempo e neste tempo não nos podemos permitir, simplesmente, a esperar. Temos de alimentar a esperança europeia", acrescentou.

O ministro francês, que no início desta semana disse que a adesão da Ucrânia poderia levar entre 15 a 20 anos, apontou ainda que o projeto apresentado pelo seu governo "não era uma alternativa" à adesão europeia. Clément Beaune referiu, de seguida, que o próximo passo passaria por discutir os detalhes desta iniciativa com parceiros europeus.

A este propósito, Catherine Colonna, a nova Ministra dos Negócios Estrangeiros de França, veio já dizer que a ideia passa por complementar um alargamento da União Europeia, proporcionando vantagens aos países não-candidatos e apoio aos que procuram a adesão.

"É preciso agora fazer mais, e mais rapidamente, para alguns parceiros. Esta comunidade política europeia pretende reforçar rapidamente as relações com todos os países europeus da nossa vizinhança", explicou.

A iniciativa foi recebida cautelosamente por alguns Estados-membros, dada a falta de detalhes a propósito da mesma. A própria Ucrânia expressou também a sua preocupação acerca da possibilidade desta proposta poder estar a ser ponderada como uma alternativa à adesão ao bloco europeu.

A Comissão Europeia irá dar o seu parecer sobre o pedido de candidatura da Ucrânia ao bloco europeu já no mês de junho. Porém, mesmo que o processo seja aprovado, deverá levar vários anos e poderá ser ainda vetado por qualquer Estado-membro.

A guerra na Ucrânia, iniciada pela Rússia em 24 de fevereiro, entrou hoje no quarto mês sem um balanço independente de vítimas, civis e militares. A ONU confirmou a morte de quase 4.000 civis, com a ressalva de que o número real deverá ser consideravelmente superior.

Leia Também: Adesão da Ucrânia à UE "provavelmente levará 15 ou 20 anos"

Recomendados para si

Seja sempre o primeiro a saber.
Sexto ano consecutivo Escolha do Consumidor e Prémio Cinco Estrelas para Imprensa Online.
Descarregue a nossa App gratuita.

Apple Store Download

;
Campo obrigatório