Meteorologia

  • 28 NOVEMBRO 2022
Tempo
17º
MIN 9º MÁX 17º

Borrell propõe que UE use reservas russas para reconstruir a Ucrânia

O mesmo já foi feito pelos Estados Unidos no Afeganistão.

Borrell propõe que UE use reservas russas para reconstruir a Ucrânia
Notícias ao Minuto

08:03 - 09/05/22 por Notícias ao Minuto com Lusa

Mundo Ucrânia/Rússia

O Alto representante da União Europeia para os Negócios Estrangeiros e a Política de Segurança, Josep Borrell, considera que a UE deve considerar em usar as reservas russas congeladas para suportar os custos de reconstruir a Ucrânia depois da guerra.

A proposta foi apresentada numa entrevista publicada esta segunda-feira, no Financial Times.

Para Borrell, seria "lógico" que a UE fizesse o mesmo que os EUA fizeram com os bens do Banco Central afegão depois de os talibãs terem tomado o controlo do país asiático.

"Temos o dinheiro do nosso lado e alguém tem de me explicar porque é que não se pode fazê-lo com o dinheiro russo se foi feito com o afegão", questionou.

Note-se que Washington congelou os fundos afegãos após a tomada do poder pelos talibãs e planeia utilizar alguns para ajudar humanitariamente o povo afegão.

Os países Ocidentais congelaram mais de 299 mil milhões em reservas cambiais da Rússia, em resposta à invasão da Ucrânia.

Desde então, as autoridades europeias têm debatido se os ativos sancionados podem de alguma forma ser usados para reconstruir a Ucrânia quando a guerra terminar. No entanto, nenhuma proposta política concreta foi apresentada.

Na visita à Ucrânia, na passada semana, a líder da Casa de Representantes dos Estados Unidos, Nancy Pelosi, já tinha feito o desafio aos países europeus para que seguissem essa estratégia defendida pelo Governo do Presidente Joe Biden, usando dinheiro russo congelado para a reconstrução das cidades ucranianas.

Em resposta a esta ideia de Borrell, a Rússia defendeu que usar as suas reservas congeladas para cobrir os custos da reconstrução da Ucrânia iria minar a confiança na UE.

"Seria a destruição dos próprios fundamentos das relações internacionais. E essas decisões, se tomadas, afetarão os próprios europeus e o seu sistema financeiro e minarão a confiança na Europa e no Ocidente em geral. Seria a anarquia completa, a lei da selva", disse o vice-ministro dos Negócios Estrangeiros russo, Alexander Gruskó, segundo a agência TASS.

[Notícia atualizada às 13h46]

Leia Também: AO MINUTO: Confirmadas 60 mortes em escola; Civis chegam a Zaporizhzhia

Recomendados para si

Seja sempre o primeiro a saber.
Sexto ano consecutivo Escolha do Consumidor e Prémio Cinco Estrelas para Imprensa Online.
Descarregue a nossa App gratuita.

Apple Store Download

;
Campo obrigatório