Meteorologia

  • 05 DEZEMBRO 2022
Tempo
13º
MIN 11º MÁX 16º

AO MINUTO: Ucrânia rejeita ceder à Rússia; Ataque no centro de Kyiv

Acompanhe aqui AO MINUTO os mais recentes desenvolvimentos sobre a guerra na Ucrânia.

AO MINUTO: Ucrânia rejeita ceder à Rússia; Ataque no centro de Kyiv

Ao 25.º dia da invasão da Ucrânia pela Rússia, o presidente ucraniano, Volodymyr Zelensky, decidiu prorrogar a lei marcial no país por 30 dias, a partir de 26 de março. Recorde-se que a lei já tinha sido decretada a 24 de fevereiro, no dia em que começou a guerra.

Este domingo fica marcado por um ataque a um lar de idosos em Kreminna, na região separatista do Lugansk. Segundo o governo ucraniano, o ataque foi feito “com um tanque, cínica e deliberadamente” e terá morto 56 idosos que residiam no local. O ministro dos Negócios Estrangeiros da Turquia, Mevlut Cavusoglu, revelou que os dois países estão a aproximar-se de um acordo em quatro das seis questões em negociações para um possível cessar-fogo. 

Segundo o comissariado da Organização das Nações Unidas (ONU) para os Direitos Humanos, pelo menos 902 civis morreram e 1.459 ficaram feridos. A guerra também já provocou mais de 10 milhões de deslocados, cerca de 3,4 milhões dos quais abandonaram a Ucrânia. 

Acompanhe aqui AO MINUTO os mais recentes desenvolvimentos sobre a guerra na Ucrânia:

00h00 - Boa noite. Encerramos aqui este acompanhamento AO MINUTO do conflito na Ucrânia. A cobertura de tudo o que se passa em torno desta guerra será retomada na manhã de segunda-feira.

23h45 - Ucrânia rejeita ceder a exigências da Rússia e não vai entregar Mariupol

A Ucrânia rejeitou ceder, este domingo, ao ultimato da Rússia e recusa-se a entregar a cidade portuária de Mariupol, no sudeste do país. A informação é avançada pelo jornal The Kyiv Independent, que cita fonte do governo ucraniano.

23h44 - Cônsul grego compara Mariupol a Guernica ou Aleppo
 
O cônsul-geral da Grécia em Mariupol, que desembarcou hoje em Atenas, comparou a cidade ucraniana sitiada pelo exército russo a Guernica ou até Aleppo.

23h40 - Bombardeamento no centro de Kyiv provoca um morto

O autarca de Kyiv, Vitali Klitschko, revelou que o bombardeamento a uma zona residencial e comercial do bairro de Podil, na noite de domingo, provocou pelo menos uma vítima mortal. 

“De acordo com as informações que temos até ao momento, várias casas e um centro comercial [foram atingidos”, afirmou o autarca no Telegram, citado pela agência de notícias Reuters.

Neste momento, as equipas de resgate encontram-se a combater um “grande incêndio” no centro comercial 

23h29 - "Grande dor". Bandeira russa e imagem de Putin surgem em quinta de Évora

Uma bandeira da Rússia, um desenho com o rosto do presidente, Vladimir Putin, e diversas frases de apoio surgiram, ontem, numa quinta de uma freguesia no distrito de Évora. A denúncia foi realizada, este domingo, através de uma publicação da página 'Ucranianos em Portugal', na rede social Facebook. 

23h13 - “Inspiram o mundo”. Zelensky agradece apoio de Mila Kunis e Ashton Kutcher 

O presidente ucraniano, Volodymyr Zelensky, agradeceu este domingo o “apoio” do casal de atores Mila Kunis e Ashton Kutcher, que já arrecadou 35 milhões de dólares [cerca de 32 milhões de euros] para organizações de apoio a refugiados. 

“Ashton Kutcher e Mila Kunis foram os primeiros a responder à nossa dor. Eles já arrecadaram 35 milhões de euros, que estão a enviar para a Flexport e a Airbnb para ajudar refugiados. Grato pelo seu apoio. Impressionado com a sua determinação. Eles inspiram o mundo”, escreveu na rede social Twitter.

Sublinhe-se que a atriz Mila Kunis nasceu em Chernivtsi, na Ucrânia, e mudou-se para os Estados Unidos da América (EUA) com a família quando tinha apenas sete anos. 

23h00 - Rússia faz ultimato para que as forças ucranianas abandonem Mariupol

A Rússia ordenou hoje as forças ucranianas para que abandonem a cidade de Mariupol, cercada há semanas e em grande parte já destruída, até à manhã de segunda-feira.

22h59 - Boris "expressou admiração pela bravura da Ucrânia" a Zelensky

O primeiro-ministro do Reino Unido, Boris Johnson, conversou este domingo com o presidente ucraniano, Volodymyr Zelensky, ao telefone e exprimiu-lhe a sua “admiração pela bravura da Ucrânia.”

21h55 - Ouvidas explosões em Kyiv

Foram ouvidas várias explosões no centro de Kyiv. Segundo o autarca Vitali Klitschko, as explosões foram sentidas em áreas residenciais e comerciais.

20h37 - Vice-comandante da frota russa do Mar Negro morto em combate

O vice-comandante da frota russa do Mar Negro, Andreï Paliï, morreu nos combates entre as forças russas e ucranianas perto de Mariupol, na Ucrânia, anunciaram as autoridades russas. De acordo com o governador de Sebastopol, Mikhaïl Razvojaïev, Paliï era "um verdadeiro oficial de uma dinastia militar", que tinha "grande autoridade na frota" russa, tendo morrido no sábado em confrontos na zona de Mariupol.

20h20 - "Putin não deve vencer esta guerra"

A primeira-ministra da Estónia, Kaja Kallas, defendeu este domingo que o presidente russo, Vladimir Putin, “não deve ganhar” a guerra contra a Ucrânia e assegurou que a Estónia está a fazer “o possível para apoiar e ajudar” o país. “Estamos a fazer tudo o que é possível para apoiar e ajudar a Ucrânia nesta guerra. Putin não deve ganhar esta guerra”, frisou em entrevista à CNN Internacional.

19h58 - "Esta é já a 3.ª Guerra Mundial porque nada ficará como dantes"

Ana Gomes recorreu, este domingo, ao Twitter, para fazer um comentário acerca da ofensiva militar lançada pela Rússia na Ucrânia que, hoje, vai já no 25.º dia. Para a ex-diplomata, "esta é já a 3.ª Guerra Mundial". 

19h12 - Sanções contra a Rússia fazem disparar venda de preservativos 

Depois da corrida aos restaurantes da McDonald’s e dos açambarcamentos nas lojas Ikea, motivados pelos encerramentos face à condenação da invasão da Ucrânia pela Rússia, os russos receiam agora que as sanções ao país prejudiquem o fornecimento de preservativos

18h28 - EUA descartam "inflexão" russa por utilização de mísseis hipersónicos
 
O secretário de Defesa dos Estados Unidos, Lloyd Austin, descartou hoje que a utilização, pela Rússia, de mísseis hipersónicos na invasão da Ucrânia seja um "ponto de viragem" no conflito desencadeado por Moscovo, mas antes uma forma de "ganhar impulso".

18h27 - Russos contam que estão a perder empregos devido a opiniões antiguerra

Relatos indicam que pessoas com opiniões contra a invasão russa estão a ser convidadas a deixar os seus empregos. Caso não o façam, acabam despedidas.

17h41 - Ucrânia? "Estado não se imiscui" na participação de portugueses na guerra

O Presidente da República, Marcelo Rebelo de Sousa, afirmou hoje, em Moçambique, que a participação de cidadãos portugueses na guerra na Ucrânia "é uma realidade em que o Estado não se imiscui".

17h28 - “Massacre insensato”. Papa Francisco pede fim desta “guerra repugnante”

O Papa Francisco apelou, este domingo, ao fim da “guerra repugnante” na Ucrânia e pediu a “todos os atores da comunidade internacional” que se “empenhem realmente” para chegar a tal objetivo.

17h23 - "Nós queremos viver. Os nossos vizinhos querem ver-nos mortos"
 
O presidente ucraniano afirma que o Kremlin está a utilizar a mesma justificação para invadir a Ucrânia que o Hitler utilizou durante o Holocausto. Numa intervenção no parlamento israelita, questionou ainda o país do porquê de não ajudar a Ucrânia e não implementar sanções à Rússia.

17h22 - EUA questionam vontade russa de negociar fim da guerra na Ucrânia
 
A embaixadora dos Estados Unidos (EUA) na Organização das Nações Unidas (ONU), Linda Thomas-Greenfield, questionou hoje a vontade do governo russo de chegar a um acordo com a Ucrânia para cessar a invasão militar em território ucraniano.

17h12 - "Desinformação". Pequim não está a enviar assistência militar a Moscovo
 
A China não está a enviar assistência militar a Moscovo para a ofensiva na Ucrânia, disse hoje o embaixador chinês nos Estados Unidos, sem especificar se essa posição também se aplica no futuro.

16h34 - "Não há planos" para uma visita de Joe Biden à Ucrânia

A secretária da imprensa da Casa Branca, Jen Psaki, revelou este domingo que “não há planos” para uma visita do presidente dos Estados Unidos da América (EUA), Joe Biden, à Ucrânia.

16h33 - Zelensky descarta reconhecer independência de Donbass pedida pelo Kremlin
 
O presidente ucraniano, Volodymyr Zelensky, descartou hoje reconhecer a independência dos territórios da região do Donbass e a soberania russa sobre a Crimeia, noticiou a agência EFE.

16h25 - A guerra é um começo na maternidade subterrânea de Jitomir
 
Desde o início da invasão russa e dos bombardeamentos nas imediações do Centro Neo-Natal de Jitomir, na Ucrânia central, nasceram 55 bebés nas caves desta unidade, outros sete estão quase, um deles já hoje, e nenhum se perdeu.

15h56 - Jornalista russa antiguerra apela a denúncia da ofensiva na Ucrânia
 
A jornalista russa Marina Ovsiannikova, que se tornou num símbolo antiguerra após interromper a emissão de um noticiário pró-Kremlin, apelou hoje ao povo do seu país para que denuncie a ofensiva do exército russo na Ucrânia.

15h52 - Cinco feridos em explosão de obus defronte de prédio residencial em Kiev
 
Um obus explodiu hoje no pátio exterior de um prédio de apartamentos no noroeste de Kiev, ferindo pelo menos cinco pessoas, duas das quais foram hospitalizadas, disse o presidente da câmara da capital ucraniana, Vitali Klitschko.

15h40 - Forças ucranianas acusam russos de matar 56 pessoas em lar de idosos

As forças armadas ucranianas na região de Lugansk acusaram hoje o exército russo de matar "pelo menos" 56 pessoas, ao bombardearem um lar de idosos na cidade de Kreminna.

15h38 - UE condena sequestro de jornalistas e funcionários por tropas russas
 
A União Europeia (UE) condenou hoje, "com a maior firmeza possível", as detenções e sequestros de jornalistas, ativistas da sociedade civil, funcionários locais e outros civis na Ucrânia, por parte das tropas de ocupação russas e os seus representantes.

15h37 - ONU confirma 902 civis mortos e 1.459 feridos até sábado
 
A guerra na Ucrânia provocou pelo menos 902 mortos e 1.459 feridos entre a população civil, incluindo mais de 170 crianças, até ao final de sábado, anunciou hoje a ONU.

15h36 - Zelensky defende que "sem negociações" a guerra "não vai parar"
 
O presidente ucraniano Volodymyr Zelensky disse hoje que "sem negociações" a "guerra" levada a cabo pela Rússia na Ucrânia "não vai parar", e insistiu estar "pronto para negociar" com o presidente russo, Vladimir Putin.

15h36 - Zelensky prolonga lei marcial por 30 dias a partir de 26 de março

O presidente ucraniano, Volodymyr Zelensky, prorrogou hoje a lei marcial no país por 30 dias, a partir de 26 de março, devido à continuação da guerra com a Rússia, noticiou a agência Ukrinform.

15h30 - Para recordar:

15h30 - Boa tarde, iniciamos um novo registo de acompanhamento do conflito na Ucrânia. Pode recordar o anterior através deste link

Leia Também: AO MINUTO: Mais de 100 crianças mortas; Rússia e Ucrânia perto de acordo?

Recomendados para si

Seja sempre o primeiro a saber.
Sexto ano consecutivo Escolha do Consumidor e Prémio Cinco Estrelas para Imprensa Online.
Descarregue a nossa App gratuita.

Apple Store Download

;
Campo obrigatório