Meteorologia

  • 02 JULHO 2022
Tempo
30º
MIN 15º MÁX 32º

Tempestade Ana já matou 47 pessoas em Madagáscar, Moçambique e Malauí

A tempestade tropical Ana já causou a morte de pelo menos 47 pessoas em Madagáscar, Moçambique e Malaui, e a maioria destes países tem estado sem eletricidade nos últimos dias, segundo relatórios divulgados hoje pelas autoridades locais.

Tempestade Ana já matou 47 pessoas em Madagáscar, Moçambique e Malauí
Notícias ao Minuto

19:22 - 25/01/22 por Notícias ao Minuto

Mundo África

A tempestade, que se formou no leste da ilha principal de Madagáscar, desencadeou fortes chuvas que provocaram inundações e deslizamentos de terras na capital, Antananarivo.

De acordo com um relatório elaborado hoje pela agência de gestão de catástrofes naturais, 39 pessoas morreram naquele país e cerca de 65.000 ficaram sem casa, desde o final da semana passada.

Depois de atravessar o oceano Índico, as fortes chuvas da tempestade Ana atingiram o norte e o centro de Moçambique, país onde provocou hoje a morte de duas pessoas na província de Manica, no centro, elevando para quatro o total de óbitos, anunciaram as autoridades moçambicanas num balanço preliminar.

Uma das vítimas morreu após o desabamento de uma das paredes da sua casa, durante a madrugada de hoje, referiu Borges Viagem, porta-voz do Instituto Nacional de Gestão de Desastres (INGD), sem avançar as causas da morte da segunda vítima.

Segundo as autoridades, pelo menos 40 famílias foram afetadas pelo vento e chuva forte naquela zona havendo também dezenas de casas destruídas, na sua maioria de construção precária, avançou o porta-voz.

Na segunda-feira, a tempestade causou pelo menos duas mortes, quando mãe e filha foram arrastadas pela subida das águas do rio Licungo em Mocuba, Zambézia, também no centro de Moçambique.

No total, a tempestade já causou quatro mortes, 66 feridos, afetou 771 famílias, o correspondente a 3.870 pessoas, destruiu total e parcialmente 661 casas, 16 salas de aula e uma unidade hospitalar, segundo um balanço do INGD enviado à Lusa.

A tempestade afeta sobretudo as "populações altamente vulneráveis que já sofreram, recentemente, com desastres naturais e conflitos no norte de Moçambique", advertiu o Gabinete de Coordenação dos Assuntos Humanitários da ONU (OCHA).

O Governo moçambicano e as agências da ONU estimam que 500.000 pessoas sejam afetadas pela tempestade Ana nas províncias de Nampula, Zambézia e Sofala.

No vizinho Malaui, já morreram quatro pessoas. A tempestade mergulhou a maior parte do país na escuridão, na segunda-feira. As cheias repentinas forçaram as empresas de eletricidade a desligar os seus geradores.

"O nível da água é demasiado alto para continuar a funcionar, é demasiado arriscado", disse à agência de notícias France-Presse (AFP) o porta-voz da Companhia de Geração de Electricidade Moses Gwaza.

Hoje, a empresa disse ter começado a retomar o funcionamento da produção de eletricidade no Malaui.

O Instituto Meteorológico de Moçambique prevê quatro a seis ciclones na região durante a estação chuvosa, que termina no final de março.

Leia Também: Moçambique. Tempestade Ana deixa alunos e professores sem condições

Recomendados para si

Seja sempre o primeiro a saber.
Sexto ano consecutivo Escolha do Consumidor e Prémio Cinco Estrelas para Imprensa Online.
Descarregue a nossa App gratuita.

Apple Store Download

;
Campo obrigatório