Meteorologia

  • 25 MAIO 2022
Tempo
25º
MIN 14º MÁX 26º

Líder do PE recordado como "europeu dedicado" que lutou pelo "bem comum"

David Sassoli, que morreu esta madrugada aos 65 anos, foi alvo de uma homenagem espontânea no Parlamento Europeu, que presidia, e foi recordado pelos líderes políticos e instituições europeias como um "europeu dedicado", na luta pelo "bem comum".

Líder do PE recordado como "europeu dedicado" que lutou pelo "bem comum"
Notícias ao Minuto

20:54 - 11/01/22 por Lusa

Mundo Sassoli

O presidente do Conselho Europeu, Charles Michel, expressou a sua tristeza e comoção após a morte do líder do Parlamento Europeu (PE), frisando que Sassoli fará falta pelo "seu calor humano, generosidade, simpatia e sorriso".

A presidente da Comissão Europeia, Ursula von der Leyen, também no Twitter, lamentou a morte de "um grande europeu e italiano".

Também o Banco Central Europeu (BCE), instituição liderada por Christine Lagarde, manifestou a sua consternação pela morte de David Sassoli salientando que "era um europeu dedicado, um apaixonado presidente do Parlamento Europeu desde 2019 e um lutador pela democracia europeia e pelos direitos humanos".

O sumo-pontífice católico, o Papa Francisco, homenageou o presidente do PE, num telegrama enviado à viúva de Sassoli, divulgado pelos serviços do Vaticano, salientando a morte de um "crente animado de esperança e caridade que, de forma pacífica e respeitosa, trabalhou para o bem comum com um compromisso generoso".

Também os líderes dos sete grupos políticos no PE lamentaram hoje a morte do presidente da instituição, David Sassoli, aos 65 anos.

O chanceler alemão, Olaf Scholz, considerou que "a Europa perdeu um presidente de Parlamento empenhado, a Itália um político sensato e a Alemanha um amigo".

Já o primeiro-ministro italiano, Mario Draghi, compatriota de Sassoli, homenageou "um símbolo de equilíbrio, de humanidade e de generosidade", enquanto o seu homólogo holandês, Mark Rutte, evocou "um trabalhador árduo ao serviço da Europa e fervoroso defensor dos seus valores e princípios".

O primeiro-ministro português, António Costa, recebeu hoje com "profunda tristeza" a notícia da morte de "um amigo", com quem trabalhou de perto nos últimos dois anos e o líder do executivo espanhol, Pedro Sánchez, lembrou o "grande defensor dos valores europeus".

Também a comissária europeia portuguesa, Elisa Ferreira, manifestou a "profunda tristeza" pela "perda prematura" de Sassoli, lembrando-o como "um homem de princípios e integridade".

Por seu lado, o primeiro-ministro grego, Kyriakos Mitsotakis, manifestou-se chocado com a morte súbita de Sassoli.

O Alto Representante da UE para a Política Externa, Josep Borrell, expressou uma "grande dor" pela morte do presidente do Parlamento Europeu, "um político valioso, mas, acima de tudo, um amigo".

Já a presidência francesa do Conselho da União Europeia (UE) manifestou o profundo pesar pelo falecimento de David Sassoli, lembrando a sua "dignidade, profissionalismo e devoção".

As bandeiras da UE na sede da Comissão Europeia, em Bruxelas, foram colocadas a meia-haste para homenagear David Sassoli, com o executivo comunitário a destacar "um europeu apaixonado e um italiano orgulhoso", numa nota divulgada na rede social Twitter, juntamente com uma fotografia da homenagem, realizada no edifício Berlaymont, sede da Comissão.

Também o PE colocou as suas bandeiras a meia-haste "em honra" de David Sassoli, tinha avançado a assembleia europeia no Twitter.

Perto de 300 pessoas, na sua maioria eurodeputados, assistentes e funcionários do Parlamento Europeu, reuniram-se hoje, de forma espontânea, em frente à sede da instituição, em Bruxelas, para homenagear a memória do primeiro presidente que morreu em funções, segundo relataram as agências internacionais.

O PE vai homenagear David Sassoli na abertura da próxima sessão plenária, na segunda-feira, em Estrasburgo, França, na presença do antigo eurodeputado e ex-primeiro-ministro italiano Enrico Letta.

Segundo um comunicado, a abertura da sessão plenária em Estrasburgo será marcada por uma homenagem a Sassoli, eleito eurodeputado em 2009 e que presidiu à instituição entre julho de 2019 e 2022, que será conduzida pela primeira vice-presidente e candidata à sucessão, a maltesa Roberta Metsola, do Partido Popular Europeu (PPE).

A candidata do PPE para suceder a David Sassoli como presidente do Parlamento Europeu (PE), disse hoje estar de "coração partido" com a morte daquele político, salientado que "a Europa perdeu um líder".

As cerimónias fúnebres de Sassoli, segundo divulgou o porta-voz do presidente do PE, Roberto Cuillo, iniciam-se na quinta-feira, com uma câmara ardente, em Roma, das 10:00 às 18:00 (menos uma hora em Lisboa).

O funeral terá lugar na sexta-feira, 14, às 12:00 (11:00 de Lisboa) na igreja de Santa Maria degli Angeli, também na capital italiana.

Sassoli morreu hoje aos 65 anos num hospital em Itália, sendo o primeiro presidente do PE a morrer em exercício de funções nas quais estava prestes a ser substituído, no cumprimento de um acordo de partilha do mandato de cinco anos.

David Sassoli contraiu uma pneumonia em setembro de 2021, que o obrigou a receber tratamento hospitalar em Estrasburgo, França, e, embora tenha recebido alta hospitalar uma semana depois, prosseguiu a recuperação em Itália e esteve mais de dois meses ausente das sessões plenárias do parlamento, regressando no final do ano.

Leia Também: Bandeiras da UE a meia-haste para homenagear "europeu apaixonado"

Recomendados para si

Seja sempre o primeiro a saber.
Sexto ano consecutivo Escolha do Consumidor e Prémio Cinco Estrelas para Imprensa Online.
Descarregue a nossa App gratuita.

Apple Store Download

;
Campo obrigatório