Meteorologia

  • 23 JANEIRO 2022
Tempo
10º
MIN 6º MÁX 14º

Edição

Mulher que matou enteado é vítima de tentativa de envenenamento na prisão

Caso da morte do pequeno Arthur ganhou grande visibilidade no Reino Unido.

Mulher que matou enteado é vítima de tentativa de envenenamento na prisão

A madrasta de Arthur Labinjo-Hughes, criança de seis anos, morta no Reino Unido, foi vítima de tentativa de envenenamento por parte das colegas de prisão.

Emma Tustim, de 32 anos, recorde-se, foi acusada pelo homicídio da criança e condenada, na passada sexta-feira, a pena de prisão perpétua.

A criança morreu na sequência de uma hemorragia cerebral, causada pela madrasta, na casa onde viviam, em Solihull , em junho de 2020.

O pai da criança, Thomas, de 29 anos, foi condenado a uma pena de 21 anos por homicídio involuntário.

Nas semanas anteriores à morte da criança, o casal terá sujeitado Arthur a diversos atos cruéis, tendo obrigado a criança a passar fome e tentado provocar-lhe uma intoxicação com sal. O caso foi tao grave que chegou a ser considerado "crueldade infantil"

Ora, tomando conhecimento dos atos cometidos pela mulher, reporta o Metro britânico, algumas das reclusas da prisão de Eastwood Park tentaram fazer o mesmo a Emma.

Segundo conta uma das presidiárias, houve quem enchesse as refeições da homicida com sal, para se vingar. "Algumas das coisas que fizemos eram cruéis - mas ela foi cruel com o Arthur, por isso mereceu-o", disse Elaine Pritchard, ex-colega de cela de Emma.

Leia Também: Picada de escorpião mata criança angolana em Benguela

Recomendados para si

Seja sempre o primeiro a saber.
Sexto ano consecutivo Escolha do Consumidor e Prémio Cinco Estrelas para Imprensa Online.
Descarregue a nossa App gratuita.

Apple Store Download

;
Campo obrigatório