Meteorologia

  • 27 NOVEMBRO 2021
Tempo
11º
MIN 9º MÁX 15º

Edição

EUA acreditam que Irão é responsável por ataque a base militar na Síria

As autoridades dos Estados Unidos acreditam que o Irão está por trás do ataque de 'drones' que atingiu na semana passada um posto militar no sul da Síria, onde as tropas norte-americanas estão baseadas, foi hoje divulgado.

EUA acreditam que Irão é responsável por ataque a base militar na Síria
Notícias ao Minuto

23:54 - 25/10/21 por Lusa

Mundo Síria

Segundo os responsáveis norte-americanos, o Irão terá fornecido recursos e encorajado o ataque, mas os 'drones' não foram lançados desde aquele país, noticia a agência AP.

"Eram 'drones' iranianos, e o Irão parece ter facilitado o seu uso", revelaram as autoridades dos EUA que falaram sob a condição de anonimato para poderem discutir dados que não foram divulgados.

As mesmas fontes disseram ainda que acreditam que os ataques envolveram até cinco 'drones' carregados com cargas explosivas e que atingiram a base de Al-Tanf, no sul, utilizada pela coligação internacional liderada pelos EUA perto das fronteiras com a Jordânia e o Iraque.

Como resultado do ataque não resultaram relatos de feridos ou mortes.

A coligação internacional está baseada em Al-Tanf para treinar as forças sírias para combater os membros do Estado Islâmico.

O porta-voz do Pentágono, John Kirby, recusou a fornecer detalhes durante uma conferência de imprensa na segunda-feira, considerando este "um ataque complexo, coordenado e deliberado".

E acrescentou que os Estados Unidos já assistiram a ataques semelhantes por parte de grupos de milícias xiitas apoiados pelo Irão, sem fornecer mais detalhes ou atualizações sobre as munições utilizadas no ataque.

John Kirby também não adiantou informações sobre se os militares foram avisados com antecedência ou se os Estados Unidos irão responder a este ataque.

"A proteção e segurança das nossas tropas no estrangeiro continua a ser uma preocupação principal para o secretário", atirou, referindo-se ao secretário da Defesa Lloyd Austin.

"Se houver uma resposta, será no momento, no local e de uma forma à nossa escolha. Certamente que não nos vamos precipitar neste tipo de decisões", acrescentou.

Os órgãos de comunicação social têm referido que o ataque a Al-Tanf foi realizado por "aliados da Síria" em retaliação a um ataque que ocorreu dias antes perto da histórica cidade síria, Palmira.

Israel foi responsabilizada por este ataque e as autoridades norte-americanas referiram que não tiveram qualquer envolvimento neste.

O ataque a Al-Tanf acontece num período de tensões crescentes entre EUA e Irão.

O Governo liderado por Joe Biden destacou esta semana que os esforços internacionais para colocar o Irão de volta às negociações para um acordo nuclear estão "num ponto crítico" e que a paciência se está a esgotar.

O último grande ataque iraniano contra as forças norte-americanas aconteceu em janeiro de 2020, quando Teerão lançou vários mísseis contra a base aérea de Al-Asad, no Iraque.

Na altura, as tropas dos EUA e da coligação internacional foram alertadas para o ataque e protegeram-se, mas mais de cem militares norte-americanos desenvolveram lesões cerebrais devido às explosões.

O ataque do Irão tinha sido uma resposta a um ataque com 'drones' dos Estados Unidos, no início da janeiro de 2020, perto do aeroporto de Bagdade, que causou a morte ao general iraniano Qassem Soleimani, líder da milícia iraquiana Abu Mahdi al-Muhandis.

Dois meses após o ataque a Al-Asad, caças norte-americanos atingiram cinco locais em retaliação, visando membros da milícia xiita apoiada pelo Irão que acreditavam serem responsáveis pelo ataque de janeiro.

Leia Também: Síria: Damasco acusa Telavive de novo bombardeamento no sul do país

Recomendados para si

Seja sempre o primeiro a saber.
Quinto ano consecutivo Escolha do Consumidor para Imprensa Online.
Descarregue a nossa App gratuita.

Apple Store Download Google Play Download

Campo obrigatório