Meteorologia

  • 02 DEZEMBRO 2021
Tempo
11º
MIN 10º MÁX 14º

Edição

Palestinianos e polícia israelita confrontam-se em Jerusalém

Palestinianos e a polícia israelita envolveram-se hoje em confrontos num popular local de encontro junto à Cidade Velha e quando milhares celebravam um feriado muçulmano, numa repetição da violência do início do ano que degenerou numa guerra em Gaza.

Palestinianos e polícia israelita confrontam-se em Jerusalém
Notícias ao Minuto

19:15 - 19/10/21 por Lusa

Mundo Israel

A polícia israelita disse que os palestinianos arremessaram pedras em direção aos agentes e a autocarros perto da Porta de Damasco que dá acesso à Cidade Velha, e anunciou a detenção de 11 suspeitos.

Previamente, milhares de palestinianos desfilaram ao longo dos muros da Cidade Velha, onde uma banda de jovens interpretou o hino nacional palestiniano. Dezenas de milhares rezaram na mesquita Al-Aqsa numa celebração em torno da data de nascimento do profeta Maomé.

Os palestinianos acusaram a polícia israelita de restringir a celebração anual no interior e em torno da Porta de Damasco, no que foi considerado uma provocação.

Algumas dezenas de jovens palestinianos enfrentaram as forças policiais com palavras de ordem e arremesso de garrafas, com os agentes a responderem com o envio de granadas ensurdecedoras, indicou a agência noticiosa Associated Press (AP).

O serviço de emergência do Crescente Vermelho palestiniano disse que 17 pessoas ficaram feridas.

Em abril e maio passados, durante o mês do Ramadão, palestinianos e a polícia israelita envolveram-se em confrontos diários noturnos após as autoridades judaicas terem decidido colocar barreiras policiais na Porta de Damasco, um popular local de encontro para as famílias palestinianas.

Os confrontos prosseguiram após a retirada das barricadas, que foram espalhadas pelo espaço reservado à mesquita Al-Aqsa, num local considerado sagrado por muçulmanos e judeus.

A violência, e os esforços dos colonos judaicos em expulsar dezenas de famílias palestinianas das suas casas, implicou a convocação de uma greve geral com ampla adesão em todos os territórios palestinianos -- com destaque para a Cisjordânia ocupada e população palestiniana que vive em Israel --, e serviu de pretexto para o início da quarta guerra entre o Estado judaico e o grupo militante Hamas que governa a Faixa de Gaza.

A Cidade Velha situa-se em Jerusalém Oriental, que Israel ocupou na guerra de 1967 e de seguida anexou, mas ainda sem obter generalizado reconhecimento internacional.

Israel considera toda a cidade como a sua capital, enquanto os palestinianos pretendem que Jerusalém Oriental seja a capital do seu futuro Estado.

A mesquita de Al-Aqsa é o terceiro local mais sagrado do Islão e o mais sagrado para os judeus, que o designam de Monte do Templo devido à localização dos templos judaicos na antiguidade.

Nas duas últimas semanas registaram-se confrontos esporádicos no exterior da Porta de Damasco entre palestinianos e israelitas, e entre palestinianos e a polícia.

Leia Também: Israel regista quatro mil palestinianos indocumentados da Cisjordânia

Recomendados para si

Seja sempre o primeiro a saber.
Quinto ano consecutivo Escolha do Consumidor para Imprensa Online.
Descarregue a nossa App gratuita.

Apple Store Download Google Play Download

;
Campo obrigatório