Meteorologia

  • 25 OUTUBRO 2021
Tempo
22º
MIN 14º MÁX 23º

Edição

Alegada vítima de ataque homofóbico recua e fala em atos consentidos

O jovem que afirmou ter sido vítima de um violento ataque homofóbico no centro de Madrid, provocando indignação em Espanha, retirou a acusação e explicou que os factos foram consentidos, anunciaram hoje as autoridades.

Alegada vítima de ataque homofóbico recua e fala em atos consentidos
Notícias ao Minuto

23:38 - 08/09/21 por Lusa

Mundo Madrid

"O jovem que apresentou uma queixa no domingo, alegando ter sido vítima de uma agressão na zona de Malasaña, em Madrid, decidiu retificar a sua declaração inicial e disse que os ferimentos que alegadamente sofreu foram consensuais", adiantaram fontes do Ministério do Interior à AFP.

O jovem de 20 anos tinha afirmado que tinha sido atacado por oito pessoas mascaradas no átrio do seu prédio no bairro da Malasaña, em Madrid, e que os seus agressores tinham proferido insultos homofóbicos, usado um canivete para lhe cortar o lábio e escrito "maricon" nas suas nádegas.

O alegado ataque provocou alvoroço entre a classe política, com os partidos de esquerda a acusarem o partido de extrema-direita Vox de encorajar ataques homofóbicos.

O primeiro-ministro, o socialista Pedro Sanchez, apressou-se a convocar uma comissão governamental sobre crimes de ódio e a expressar a sua "mais firme condenação" do ataque.

O partido de esquerda Podemos, parceiro minoritário da coligação governamental, disse na quarta-feira nas redes sociais que "o Vox mergulhou o país no ódio a um grupo que sofre ataques violentos nas ruas".

Esta alteração na versão desencadeou uma cascata de reações no Twitter.

"Os crimes de ódio contra os LGTBI aumentaram 43% na primeira metade de 2021", afirmou a Ministra da Igualdade, Irene Montero, apelando para que não se concentre "na árvore que esconde a floresta".

O realizador e ativista Javier Giner, alegando "impotência" e "raiva", escreveu no Tweet que "este idiota, sozinho, veio trazer a água ao moinho de todos os discursos ultra e de todos os agressores".

Os acontecimentos ocorreram apenas dois meses após o assassinato de um jovem homossexual no norte do país, uma suspeita de ataque homofóbico que indignou e levou a numerosos protestos em Espanha.

Leia Também: Jovem transsexual agredido na rua em Valência. Polícia abre investigação

Recomendados para si

Seja sempre o primeiro a saber.
Quinto ano consecutivo Escolha do Consumidor para Imprensa Online.
Descarregue a nossa App gratuita.

Apple Store Download Google Play Download

Campo obrigatório