Meteorologia

  • 25 SETEMBRO 2021
Tempo
19º
MIN 16º MÁX 23º

Edição

AO MINUTO: Mortes descem em Portugal, internamentos continuam a subir

Acompanhe aqui AO MINUTO os mais recentes desenvolvimentos sobre a Covid-19 em Portugal e no Mundo.

AO MINUTO: Mortes descem em Portugal, internamentos continuam a subir

Portugal registou, esta terça-feira, um novo aumento no número de pessoas internadas com Covid-19, 2.316 novas infeções e seis mortes. Segundo o boletim da DGS, estão internadas 928 pessoas, mais nove do que na segunda-feira, e 200 estão em unidades de cuidados intensivos, onde foram internadas mais duas pessoas.

Esta terça-feira, realizou-se, na sede do Infarmed, a primeira reunião entre peritos e políticos nos últimos dois meses para avaliar a situação epidemiológica da Covid-19. Os peritos propuseram, entre outras medidas, alterações à matriz de risco.

Consulte os mapas da evolução da pandemia do novo coronavírus em Portugal e no Mundo.

Acompanhe aqui AO MINUTO os mais recentes desenvolvimentos sobre a Covid-19:

15h52 - Encerrámos este registo informativo. Obrigado por ter ficado connosco. Pode continuar a acompanhar as últimas notícias aqui.

15h27 - Ministra da Saúde defende que vacinação de jovens "está já clarificada". A ministra da Saúde considerou hoje que a vacinação dos jovens abaixo dos 18 anos está clarificada e que será abordada no Conselho de Ministros, apesar de ainda não ser conhecida a posição final da Direção-Geral da Saúde.

15h03 - PSD apela ao Governo que "rapidamente" siga recomendações e altere matriz de risco. O PSD defendeu hoje que o Governo deve "rapidamente" acolher as recomendações dos especialistas e alterar a matriz de risco, apelando também a uma campanha de esclarecimento antes de se avançar para a eventual vacinação dos mais jovens.

14h44 - Greta Thunberg critica distribuição "extremamente desigual" de vacinas. Greta Thunberg criticou a "extremamente desigual" distribuição de vacinas em todo o mundo, mas apelou a que todas as pessoas se imunizem assim que tiverem oportunidade, no mesmo dia em que recebeu a sua primeira dose. "Ninguém está seguro até que todos estejam seguros. Se vos for oferecida uma vacina, não hesitem. Salva vidas", indicou a ativista de 18 anos de idade.

14h20 - Portugal soma seis mortes e 2.316 infetados nas últimas 24 horas. Portugal regista, esta terça-feira, mais seis mortes e 2.316 novos casos de Covid-19, como revela o mais recente boletim da Direção-Geral da Saúde. Em termos acumulados, o país totaliza 17.307 óbitos e 956.985 casos de SARS-CoV-2, desde o início da pandemia. 

Segundo o boletim da DGS, hoje estão internadas 928 pessoas, mais nove do que no domingo, e 200 estão em unidades de cuidados intensivos, onde foram internadas mais duas pessoas nas últimas 24 horas.

A maioria das novas infeções por SARS-CoV-2 regista-se hoje na região do Norte (920), enquanto em Lisboa e Vale do Tejo há mais 835 pessoas contagiadas.

14h16 - André Ventura, líder do Chega, reage. "Compreendemos a questão dos certificados como forma de reabertura. Se for a única solução, que seja. O importante é reabrir. Na nossa perspetiva, estas medidas, deviam ser uma recomendação e não uma obrigação", disse, alegando que essa diferenciação pode criar uma "profunda desigualdade entre os portugueses".

14h11 - Madeira tem autonomia para vacinar jovens, diz Governo Regional. A Madeira segue as diretivas da Agência Europeia do Medicamento e tem autonomia para antecipar a vacinação dos jovens com mais de 12 anos, mesmo sem o parecer da Direção-Geral da Saúde, esclareceu hoje fonte do Governo Regional.

13h54 - A ministra da Saúde, Marta Temido, fala aos jornalistas após a reunião no Infarmed, tendo começado por sublinhar que agora é possível preparar o próximo Conselho de Ministros "com alguma esperança". Acompanhe aqui:

13h47 - 43 novos casos de infeção e 66 recuperações nos Açores. O arquipélago registou, nas últimas 24 horas, 43 novos casos positivos, sendo 29 em São Miguel, 11 na Terceira, dois em São Jorge e um no Pico, e 66 recuperações, informa hoje a Autoridade de Saúde

13h40 - Trabalhadores que recusem vacinas podem ser despedidos em França. A ministra do Trabalho de França explicou hoje que as sanções contra os funcionários que têm a obrigação de apresentar o passe sanitário no trabalho pode chegar à demissão no caso de recusa em vacinarem-se.

13h35 - Rússia já ultrapassou as 150 mil mortes devido à pandemia. A Rússia já regista 155.380 mortes com covid-19, 779 das quais nas últimas 24 horas, informaram hoje as autoridades de saúde russas, que se mostram preocupadas com o aumento da mortalidade.

13h25 - Task force pediu à DGS redução do intervalo entre doses para três semanas. A task force da vacinação contra a covid-19 solicitou à Direção-Geral da Saúde (DGS) a redução do intervalo entre primeiras e segundas doses, a fim de aumentar mais rapidamente a proteção da população, anunciou hoje o coordenador da estrutura, Henrique Gouveia e Melo. 

"Há uma corrida entre o ritmo de vacinação e a incidência e nós estamos a ganhar essa corrida, mas não podemos folgar este ritmo, porque isso é 'dar oxigénio' ao vírus e temos de continuar a um ritmo muito elevado", resumiu.

12h57 - Autoridades de Saúde alemãs planeiam apertar restrições para quem regressa de férias. O ministério da Saúde alemão está a planear introduzir controlos mais apertados para cidadãos que regressem de férias ao país, numa tentativa de controlar o aumento de casos, noticia o Guardian. 

12h53 - Mais de 17 mil números de utente atribuídos a imigrantes para a vacina. Mais de 17 mil números nacionais de utente foram atribuídos a imigrantes sem este documento em Portugal, para que estes recebam a vacina contra a Covid-19, os quais já começaram a ser chamados para a vacinação, segundo fonte oficial. Num esclarecimento solicitado pela agência Lusa, o Alto Comissariado para as Migrações (ACM) informou que, desde março, foram submetidos 160 mil registos na plataforma que a Direção-Geral da Saúde (DGS) criou para identificar os cidadãos sem número de utente e o seu registo no Plano de Vacinação contra a Covid-19.

12h45 - Pandemia matou pelo menos 4,17 milhões de pessoas em todo o mundo. A pandemia provocada pelo coronavírus já fez pelo menos 4.169.966 mortos em todo o mundo desde que foi notificado o primeiro caso na China, segundo o balanço diário da agência France-Press.

12h40 - "Portugal pode receber 1 milhão de vacinas nas próximas duas semanas". Portugal pode vir a receber cerca de um milhão de vacinas contra a Covid-19 entre esta e as próximas duas semanas, adiantou hoje o coordenador da task force da vacinação, face a um corte de vacinas da AstraZeneca. "Vamos perder cerca de 470 mil vacinas da AstraZeneca, porque já não fazem sentido no nosso plano, mas há um esforço para adquirir vacinas em parceiros europeus e esse esforço pode trazer ao nosso plano de vacinação, neste momento, cerca de um milhão de vacinas, o que é muito importante para a aceleração do processo de vacinação", revelou Henrique Gouveia e Melo.

12h33 - Ferro Rodrigues fala no Infarmed. O presidente da Assembleia da República Portuguesa falou em duas questões:

  • "Gostaria que fossem abundantemente transmitidos e divulgados os números sobre as percentagens de não vacinados, porque são os novos casos, são as pessoas que estão nas enfermarias, nos cuidados intensivos e nos óbitos. São dados importantes para todos os portugueses";
  • "É necessário que a certificação faça a diferença neste período de transição".

12h25 - Hospitais de Banguecoque lotados devido a forte surto da doença. A pressão sobre os hospitais de Banguecoque encontra-se num momento crítico com uma ocupação de 100% de doentes com Covid-19 verificando-se um aumento preocupante do número de contágios, anunciaram as autoridades.

12h13 - Presidente da República fala no Infarmed. O chefe de Estado sublinhou a "importância de um diálogo único, que não houve em mais país nenhum, entre especialistas e políticos", reforçando que "a informação vem dos especialistas". Sobre as conclusões da reunião:

  • "Onde avança a vacina, recua o vírus. Logo no início se via que a incidência é mais clara e mais grave nos menos vacinados";
  • "O Rt (índice de transmissibilidade) tem vindo lentamente a descer";
  • "A variante Delta é esmagadora, em Portugal e noutros países da Europa. A Delta Plus tem, ainda, uma expressão muito pequena em Portugal, isso é bom";
  • "Quanto às medidas não farmacológicas (...) às vezes na sociedade portuguesa, em alguns aspetos, tem havido dificuldade. Um exemplo são as aglomerações (...). Aqui há um esforço de educação, de pedagogia. As pessoas têm de ajudar um bocadinho";
  • "Processo de levantamento de restrições depende da vacinação";
  • "Saio daqui irritantemente otimista. Os portugueses têm de ajudar um bocadinho, os especialistas já ajudaram muito. Penso que saímos daqui com uma esperança reforçada, que se chama vacinação".

12h00 - Adolescentes de 16 e 17 anos vacinados a 14 de agosto. O vice almirante Henrique Gouveia e Melo indicou que se espera alcançar 70% de primeiras inoculações à volta de 8 de agosto e 70% de vacinação completa no país entre o final do mesmo mês e início de setembro. "Relativamente à faixa dos adolescentes, a vacinação dos adolescentes de 16 e 17 anos será iniciada no fim de semana de 14 agosto. Crianças em idades menores serão vacinadas se a DGS apurar que deverão ser vacinadas", acrescentou.

11h51 - Dirigente de IPSS de Leiria acusado de falsas declarações na vacinação. Um dirigente de uma instituição particular de solidariedade social (IPSS) de Leiria foi acusado do crime de falsas declarações por alegadamente ter conseguido que uma pessoa fosse vacinada contra a Covid-19 apesar de não ser prioritária.

11h42 - "Fundamental a vacinação das crianças". Henrique Barros defende que "é fundamental a vacinação das crianças", uma questão que tem sido muito discutida nos últimos dias, e diz mesmo que "se não vacinarmos as crianças teremos um pico de casos". "Poderá ser um inverno feliz", conclui.

11h36 - "Apenas casos residuais" no Outono. O presidente do Conselho Nacional de Saúde, Henrique Barros, estima que, no outono, o país esteja "apenas com casos residuais" de infeções. No Inverno, afirma, "podemos esperar uma nova onda - pequena".

11h31 - Viagens com destino ao estrangeiro caem 89,5% no 1.º trimestre. As viagens turísticas de residentes em Portugal com destino ao estrangeiro caíram 89,5%, no primeiro trimestre, e as viagens em território nacional diminuíram 53,3%, divulgou hoje o Instituto Nacional de Estatística (INE).

11h27 - "Podemos chegar a 200 mil casos diários" nos EUA, diz antigo diretor do CDC. "Estamos a caminhar para uma fase difícil. Se a nossa trajetória for similar à do Reino Unido, é provável que os casos cheguem a 200 mil por dia", disse Tom Frieden, acrescentando, porém, que não se verificará "o horrendo número de mortes" de surtos anteriores, por causa do número de pessoas vacinas entre os idosos.

11h20 - Peritos propõem alterações à avaliação de risco. Andreia Leite, da Escola Nacional de Saúde Pública da Universidade Nova de Lisboa, propôs alterações à avaliação de risco, ainda que mantendo os indicadores de transmissibilidade e incidência como indicadores centrais. Raquel Duarte, da ARS Norte e do INSA, insiste em que se mantenham algumas medidas como o certificado digital, a ventilação adequada dos espaços e a utilização da máscara em locais fechados, eventos públicos e sempre que não seja possível manter o distanciamento.

11h00 - Vacinas mRNA conferem 85% de proteção contra hospitalização acima dos 80 anos. A efetividade das vacinas é de 37% na primeira dose para a população entre os 65 e os 79 anos e de 35% para maiores de 80. Com as duas doses da vacina, há pelo menos 14 dias, a efetividade aumenta para os 78% na população dos 65 aos 79 anos e para os 68% na população com mais de 80 anos. No que diz respeito às vacinas do tipo mRNA (Pfizer e Moderna), a efetividade contra a hospitalização é de 85% na população acima dos 80 anos, com esquema vacinal completo. 

10h42 - Variantes Delta e Delta Plus "têm representação nacional de cerca de 98,6%". João Paulo Gomes, do INSA, indicou que a "variante Delta tem uma prevalência de 97,8% em Portugal" e que, "se juntarmos a variante Delta Plus, que tem uma mutação adicional, há uma prevalência de 98,6%". "A variante Delta espalhou-se muito rapidamente por todo o país, que está em todas as regiões com uma prevalência superior a 95%. É uma variante muito mais transmissível e com mais cadeias de transmissão", afirmou.

10h34 - "Epidemia a diferentes velocidades". Ana Paula Rodrigues, do Instituto Nacional de Saúde Dr. Ricardo Jorge (INSA) fala de uma "epidemia a diferentes velocidades" e defende que é importante ter em causa o "aumento do número de internamentos em UCI de adultos jovens em relação ao número de casos observados".

Ainda assim, reconhece que a taxa de mortalidade nas pessoas mais velhas é superior em pessoas não vacinadas.

10h29 - Só 2% dos internados já estavam vacinados, diz DGS. André Peralta Santos, da Direção-Geral da Saúde (DGS), foi o primeiro interveniente do dia, tendo destacado  que é "muito notória" a redução do risco de hospitalização e de morte entre os infetados já vacinados. O especialista garante que os internamentos e a mortalidade "têm observado tendência crescente, se bem que muito atenuada por aquilo que é o esforço de vacinação", já que, em enfermaria, predominam as pessoas que ainda não estão vacinadas (só 2% dos internados já estavam vacinados).

10h15 - Madeira começa a vacinar adolescentes contra a Covid-19 no sábado. Região, que está a realizar esta terça-feira um 'open day' destinado vacinar residentes no arquipélago com mais de 18 anos ainda não inoculados, repete a ação no sábado para jovens entre os 12 e os 17 anos.

10h01 - Já começou a reunião em sede de Infarmed. Pode acompanhar aqui:

9h50 - 200 mil doses da vacina AstraZeneca chegaram a Portugal. Acabou de chegar ao aeroporto militar de Figo Maduro, em Lisboa, um lote de 200 mil doses da vacina da AstraZeneca. O lote foi comprado à Hungria e servirá para reforçar o apoio à vacinação nos Palop e em Timor-Leste.

9h36 - Tóquio com recorde diário de casos. A cidade anfitriã dos Jogos Olímpicos registou esta terça-feira mais 2.848 casos de novo coronavírus, o maior registo em Tóquio desde o início da crise pandémica. A imprensa local noticia que as autoridades de Saúde alertaram os hospitais para que preparem mais camas para novos pacientes. O Japão sempre esteve à margem dos surtos devastadores que impactaram a Índia ou a Indonésia, mas esta quinta vaga espoletada pela variante Delta está a acumular pressão nos hospitais da capital japonesa.

9h29 - "A vacina é ainda mais eficaz do que os ensaios clínicos mostravam". Em entrevista ao Notícias ao Minuto, Pedro Póvoa, diretor da Unidade de Cuidados Intensivos Polivalente do Hospital de São Francisco Xavier, explica que "o que se está a ver relativamente à eficácia da vacina é que é ainda mais eficaz do que os ensaios clínicos mostravam". 

9h23 - Filipinas com número diário de novos casos mais alto em seis semanas. As Filipinas registaram esta terça-feira mais 7.186 contágios e mais 72 óbitos, referentes às últimas 24 horas. O número de novos casos é o mais alto em seis semanas, numa altura em que o presidente do país, Rodrigo Duterte, avisa que poderá intensificar as medidas de restrição se o surto piorar.

8h55 - UE atinge meta de 70% de adultos vacinados com primeira dose. A União Europeia (UE) atingiu hoje a meta dos 70% de adultos vacinados contra a Covid-19, ainda com a primeira dose, em linha com o ambicionado pela Comissão Europeia, que fala num "marco importante" para a luta contra a pandemia.

8h10 - Mais de 11.300 suspeitas de reações às vacinas registadas em Portugal. Mais de 11.300 suspeitas de reações adversas às vacinas contra a Covid-19 foram registadas em Portugal e houve 68 casos de morte comunicados em idosos, mas não está demonstrada a relação causa-efeito, segundo o Infarmed. De acordo com o último relatório, até ao dia 22 de julho foram notificadas 11.314 reações adversas (uma por cada 1.000 vacinas administradas), a maior parte (6.485) referentes à vacina da Pfizer/BioNtech (Comirnaty), seguindo-se a da AstraZeneca (Vaxzevria), com 3.480, a da Moderna (Spikevax), com 970, e a da Janssen, com 379 casos.

8h01 - Índia com menos de 30 mil casos pela primeira vez desde março. A Índia registou hoje menos de 30 mil casos de covid-19, pela primeira vez desde março, quando começou a segunda vaga que levou a um colapso do sistema de saúde do país, disseram as autoridades indianas.

7h41 - Surto na cidade chinesa de Nanjing agrava-se com 31 novos casos. A cidade chinesa de Nanjing identificou 31 casos de Covid-19, nas últimas 24 horas, anunciou hoje a Comissão de Saúde da China. Nanjing lançou uma campanha de testes e colocou sob confinamento dezenas de milhares de pessoas.

7h32 - EUA voltam a colocar Portugal na lista de destinos a "evitar viajar". Os Estados Unidos da América (EUA) incluíram na segunda-feira novamente Portugal à lista de países em que recomenda a "evitar viajar", colocando-o no nível "muito alto", devido ao agravamento da pandemia da Covid-19. No que se refere a Portugal, a recomendação destina-se especificamente à pandemia.

Os avisos de viagem foram emitidos com base na recomendação do Centro de Controlo e Prevenção de Doenças (CDC), que colocaram Portugal e Espanha no "nível 4", devido à pandemia.

7h20 - Alemanha reporta mais 38 óbitos e 1.545 casos de novo coronavírus. As autoridades de Saúde alemãs reportam, esta terça-feira, mais 1.545 novos casos de infeção, elevando o número total para 3.758.401. Este registo é mais alto do que o reportado na véspera (958), e mantém sinais de algum recrudescimento no número de novos casos, embora muito longe do registado no pico da pandemia no país.

7h12 - Peritos e políticos voltam a reunir-se no Infarmed dois meses depois. O Infarmed acolhe hoje a primeira reunião entre peritos e políticos nos últimos dois meses para avaliar a situação epidemiológica da Covid-19 e o eventual levantamento de algumas medidas de restrição associadas ao processo de desconfinamento.

Num momento em que o país tem registado nas últimas semanas máximos de novos casos, internamentos e óbitos desde março, quando o país deixava a pior fase da pandemia, o Governo tem reiterado que apenas vai tomar decisões após escutar os pareceres dos peritos. Contudo, o secretário de Estado Adjunto e da Saúde, António Lacerda Sales, veio garantir na segunda-feira que a política não está refém da ciência.

7h10 - Ordem dos Médicos reitera necessidade de nova matriz de risco. O bastonário da Ordem dos Médicos reiterou hoje a necessidade de rever a matriz de risco, defendendo que o indicador que há duas semanas propôs ao Governo permite perceber os efeitos da vacinação na evolução da pandemia da Covid-19.

7h08 - Pandemia teve impacto no tráfico de seres humanos, dizem especialistas. Os especialistas não duvidam que a pandemia de Covid-19 produziu um impacto também no tráfico de seres humanos, nomeadamente deslocalizando a exploração sexual para o espaço 'online' e exigindo novas respostas às vítimas.

7h05 - Quase 70% dos internados em UCI têm menos de 59 anos. Quase 70% dos doentes com Covid-19 em unidades de cuidados intensivos (UCI) têm menos de 59 anos, segundo dados recolhidos pela Ordem dos Médicos, que apontam que em enfermaria os doentes abaixo dessa faixa etária são cerca de metade. 

Em concreto, àquela data, 68,1% dos doentes com Covid-19 em UCI tinham menos de 59 anos, 26,4% dos quais na faixa etária entre os 50 e os 59 anos, 23,9% com idades entre os 40 e 49 anos e apenas 12,3% entre os 30 e 39 anos. Já os doentes nestas unidades entre os 20 e os 29 são uma minoria (5,5%).

7h04 - Nova Iorque e Califórnia exigem vacina ou teste semanal à função pública. Todos os funcionários públicos do estado norte-americano da Califórnia e da cidade de Nova Iorque terão de estar vacinados contra a Covid-19 ou terão de realizar testes semanais, foi hoje divulgado pelas autoridades locais.

7h03 - Austrália anuncia fim do confinamento de cerca de oito milhões de pessoas. As autoridades australianas anunciaram hoje o fim do confinamento de cerca de oito milhões de residentes nos estados de Vitória (sudeste) e Austrália do Sul.

7h02 - Pandemia confrontou mundo com "injustiças sistémicas" globais. O Papa Francisco defendeu que a pandemia do novo coronavirus confrontou o mundo "com as injustiças sistémicas que minam a unidade da família humana", classificando de criminosa a fome quando há capacidade de produzir comida para todos.

7h00 - Bom dia! Estamos a iniciar um novo acompanhamento, esta terça-feira. Clique aqui para conferir as atualizações de segunda-feira, relativamente à pandemia do novo coronavírus.

Leia Também: AO MINUTO: 11.314 reações adversas às vacinas; 550 mil óbitos no Brasil

Recomendados para si

Seja sempre o primeiro a saber.
Quinto ano consecutivo Escolha do Consumidor para Imprensa Online.
Descarregue a nossa App gratuita.

Apple Store Download Google Play Download

Campo obrigatório