Meteorologia

  • 02 AGOSTO 2021
Tempo
28º
MIN 18º MÁX 28º

Edição

Plano frustrado para matar Presidente de Madagáscar acaba com seis presos

Um plano para assassinar o Presidente malgaxe, Andry Rajoelina, foi frustrado e seis pessoas foram presas, incluindo dois cidadãos franceses, anunciaram hoje fonte judicial e o Governo de Madagáscar.

Plano frustrado para matar Presidente de Madagáscar acaba com seis presos
Notícias ao Minuto

21:30 - 22/07/21 por Lusa

Mundo Andry Rajoelina

Vários "estrangeiros e malgaxes foram detidos na terça-feira no seguimento de uma investigação sobre o ataque à segurança do Estado", disse o Procurador-Geral Berthine Razafiarivony, na quarta-feira à noite, a alguns meios de comunicação social.

"De acordo com as provas materiais na nossa posse, estes indivíduos elaboraram um plano para eliminar e neutralizar várias personalidades malgaxes, incluindo o chefe de Estado", disse o procurador, sem dar mais pormenores sobre o plano ou as circunstâncias das detenções.

O ministro da Segurança Pública, Fanomezantsoa Rodellys Randrianarison, disse hoje que seis pessoas tinham sido presas no total e que "a polícia teve informações sobre este caso durante vários meses".

"Armas e dinheiro foram apreendidos" durante as detenções simultâneas, "mas em locais diferentes", bem como "documentos oficiais que provam o seu envolvimento", insistiu.

A oposição condenou "qualquer tentativa de assassínio, seja contra os líderes ou qualquer outra pessoa", disse Rivo Rakotovao, antigo presidente interino do país, em declarações à agência AFP.

"Não devemos aproveitar esta situação para minar a democracia em Madagáscar", advertiu, numa altura em que o atual Presidente é objeto de críticas, particularmente no que diz respeito à liberdade de imprensa.

Madagáscar, que sofreu várias crises políticas graves ao longo dos últimos 20 anos, tem estado sob bloqueio virtual desde a pandemia de covid-19.

Em 2009, o Presidente Marc Ravalomanana foi obrigado a transferir plenos poderes para uma junta militar, que os entregou a Andry Rajoelina, tendo a comunidade internacional considerado um "golpe de Estado".

Depois de muitos outros episódios, os tribunais validaram a vitória de Rajoelina nas eleições presidenciais de janeiro de 2019.

Leia Também: Vários detidos por suspeitas em atentado contra presidente de Madagáscar

Recomendados para si

Seja sempre o primeiro a saber.
Quinto ano consecutivo Escolha do Consumidor para Imprensa Online.
Descarregue a nossa App gratuita.

Apple Store Download Google Play Download

Campo obrigatório