Meteorologia

  • 20 OUTUBRO 2021
Tempo
23º
MIN 16º MÁX 26º

Edição

Brasil recebe pedido para uso de emergência de segunda vacina chinesa

A Agência Nacional de Vigilância Sanitária (Anvisa) brasileira recebeu hoje o pedido para uso de emergência da vacina Convidecia, contra a covid-19, do laboratório chinês CanSino e que seria a segunda no país proveniente da nação asiática.

Brasil recebe pedido para uso de emergência de segunda vacina chinesa
Notícias ao Minuto

20:44 - 19/05/21 por Lusa

Mundo Covid-19

A "autorização temporária para uso de emergência", que restringe o seu uso aos grupos prioritários definidos pelo Plano Nacional de Imunização (PNI) e não permite a sua comercialização, deverá ser analisada no prazo de sete dias, conforme estipulado pela legislação brasileira, refere um comunicado da Anvisa.

Os ensaios da vacina, desenvolvida em conjunto com a Academia de Ciências Militares da China a partir de adenovírus não replicantes, foram realizados no Paquistão, Rússia, México, Argentina e Chile, e cujos dados serão avaliados pelo órgão regulador brasileiro.

O Brasil, juntamente com os Estados Unidos da América e a Índia, é um dos três países mais afetados pela covid-19 no mundo em números absolutos e, na terça-feira, ultrapassou os 439 mil mortos devido à covid-19 e acumula mais de 15,7 milhões de casos confirmados.

Apesar de mais de 90 milhões de doses de vacinas distribuídas e quase 54,4 milhões aplicadas, o país inoculou com duas doses apenas 8,3% da sua população e algumas localidades tiveram que suspender a imunização por falta de antídotos.

O país, com 212 milhões de habitantes, utiliza as vacinas Coronavac, da farmacêutica chinesa Sinovac e que é produzida no Brasil pelo Instituto Butantan, que responde por quase 80% da vacinação, e a Covishield, da anglo-sueca AstraZeneca e da Universidade Oxford, numa associação com a estatal brasileira Fiocruz.

As primeiras doses importadas da vacina Cominarty, do consórcio Pfizer-BionTech, também começaram a ser aplicadas em menor escala.

As vacinas Covishield e Cominarty possuem registo definitivo, o que permite a sua comercialização aberta. Já a Coronavac e o imunizante do laboratório belga Janssen, braço europeu da multinacional Johnson&Johnson, são autorizados apenas para uso em caráter de emergência.

A pandemia de covid-19 provocou, pelo menos, 3.406.803 mortos no mundo, resultantes de mais de 164,1 milhões de casos de infeção, segundo um balanço feito pela agência francesa AFP.

A doença é transmitida por um novo coronavírus detetado no final de 2019, em Wuhan, uma cidade do centro da China.

Leia Também: Ala brasileira da IURD em Angola anuncia nova liderança

Recomendados para si

Seja sempre o primeiro a saber.
Quinto ano consecutivo Escolha do Consumidor para Imprensa Online.
Descarregue a nossa App gratuita.

Apple Store Download Google Play Download

Campo obrigatório