Meteorologia

  • 30 NOVEMBRO 2021
Tempo
12º
MIN 7º MÁX 12º

Edição

UE/Presidência: Portugal quer cooperar com Índia na área da saúde

A proposta de cooperação nas áreas da saúde e dos produtos farmacêuticos feita por Portugal junto da Índia foi "bem aceite" e consta da declaração final da 5.ª Comissão Mista Económica bilateral hoje assinada, anunciou o Governo.

UE/Presidência: Portugal quer cooperar com Índia na área da saúde

Em declarações à Lusa, a partir de Nova Deli, o secretário de Estado da Internacionalização, que hoje termina uma deslocação de dois dias à Índia, adiantou que o Ministério da Saúde fez "uma proposta de colaboração", que "tem tido, pelo menos do ponto de vista técnico, bom acolhimento da parte indiana".

Portugal quer dar maior "abertura" à cooperação, que tem "um espetro amplo", com "um país [a Índia] produtor de 60 por cento das vacinas do mundo e da larga maioria dos princípios ativos para a indústria farmacêutica", referiu Eurico Brilhante Dias, que presidiu à 5.ª sessão da Comissão Mista Económica Portugal-Índia, estrutura negocial criada no âmbito do Acordo de Cooperação Económica e Comercial, Industrial e Técnica assinado entre os dois países, em 2000.

A cooperação bilateral foi também reforçada na área da ciência, tendo sido dados "alguns passos" junto de entidades científicas da Índia, "muito fortes nalguns domínios", realçou.

Por seu lado, a Índia fez uma proposta interessante -- que Portugal avaliou "muito positivamente" -- de abrir essa cooperação na investigação científica ao setor industrial, mencionou.

A Índia obteve ainda um acordo no calçado, área considerada "prioritária" para Nova Deli.

Na 5.ª sessão da Comissão Mista Económica Portugal-Índia foram dados "passos importantes" no acesso ao mercado indiano, especificou.

"Fechámos finalmente o período de testes fitossanitários à exportação de maçã portuguesa para o mercado indiano", anunciou, acrescentando que foram igualmente "removidas algumas barreiras" à exportação de couro.

No que respeita à pera, nomeadamente a pera rocha, "decorre ainda o período de testes".

A visita de Eurico Brilhante Dias pretendeu também "dar seguimento aos trabalhos de preparação" da Cimeira Portugal-Índia, que terá lugar no Porto, a 8 de maio, e será acompanhada de uma reunião de líderes UE-Índia.

"Estamos a fazer um esforço para termos uma agenda económica forte, que permita aproveitar o bom momento político das relações entre Portugal e a Índia", adiantou, recordando que as relações económicas entre os dois países -- comerciais e de investimento -- tiveram um "embalo" entre 2016 e 2019.

Nesse contexto, está a ser co-preparado pelas agências de investimento e comércio portuguesa e indiana um seminário empresarial para a altura da cimeira bilateral.

Simultaneamente, existe a expectativa de que a dimensão política possa "avançar" com o encontro entre os dois primeiros-ministros, português e indiano, no Porto.

Durante a estadia de dois dias, Eurico Brilhante Dias encontrou-se com o ministro do Comércio e Indústria, Hardeep S. Puri, e com o vice-ministro das Finanças, Anurag Singh Thakur, e desenvolveu contactos com "empresas indianas potencialmente interessadas em desenvolver atividade em Portugal".

O secretário de Estado encontrou um país preocupado com a evolução da pandemia de covid-19. "A Índia enfrenta uma segunda onda, que se tem traduzido num aumento de casos, no conjunto do país. As autoridades estão muito comprometidas em combater a pandemia e fazer diminuir os casos", relatou à Lusa.

A Índia, com 1,3 mil milhões de habitantes, ultrapassou hoje os 13 milhões de infetados com o novo coronavírus desde o início da pandemia, ao registar, nas últimas 24 horas, um recorde de mais de 130 mil casos e 780 mortos.

Leia Também: Índia passa os 13 milhões de infetados e regista recorde diário de casos

Recomendados para si

Seja sempre o primeiro a saber.
Quinto ano consecutivo Escolha do Consumidor para Imprensa Online.
Descarregue a nossa App gratuita.

Apple Store Download Google Play Download

Campo obrigatório