Meteorologia

  • 13 ABRIL 2021
Tempo
17º
MIN 14º MÁX 21º

Edição

Cabo Verde prevê receber cerca de 220 mil vacinas da Pfizer

Cabo Verde prevê receber ainda no primeiro trimestre deste ano cerca de 220 mil doses de vacinas contra a Covid-19 da Pfizer e imunizar 20% da sua população, anunciou hoje o ministro da Saúde e da Segurança Social.

Cabo Verde prevê receber cerca de 220 mil vacinas da Pfizer

Em declarações na cidade da Praia, à margem da inauguração de obras no Hospital Agostinho Neto, Arlindo do Rosário avançou que as vacinas vão ser adquiridas através da plataforma Covax -- promovida pela Organização Mundial da Saúde (OMS) e pela Aliança para as Vacinas.

"Muito provavelmente nesta primeira fase vamos ter a Pfizer. É uma vacina que traz algum desafio, na medida em que precisa ser conservada a temperaturas negativas, até menos de 70 graus, mas já temos as arcas necessárias para conservação", afirmou o ministro.

Ainda segundo o governante, as vacinas serão adquiridas no âmbito da plataforma global, que determina que cada país tem direito, numa primeira fase, a doses suficientes para vacinar cerca de 20% da sua população com duas doses, em que no caso de Cabo Verde são pouco mais de 100 mil pessoas.

Apesar de sublinhar o "grau de fiabilidade bastante grande" da vacina da Pfizer, o ministro não descartou a possibilidade de o país adquirir mais doses posteriormente de outros laboratórios.

"Estaremos abertos, desde que hajam vacinas certificadas em termos de biossegurança e qualidade, estaremos a avançar para outras", enfatizou o titular da pasta da Saúde de Cabo Verde, esclarecendo que as vacinas serão adquiridas pelo país de forma gratuita.

O Governo cabo-verdiano anunciou na quinta-feira que tem 15 milhões de dólares (cerca de 12,3 milhões de euros) garantidos para implementar o plano de vacinação contra a covid-19, que vai cobrir na primeira fase 95% da população de risco.

Arlindo do Rosário disse que os valores até agora mobilizados, junto do Banco Mundial e de um programa da sub-região da Comunidade Económica dos Estados da África Ocidental (CEDEAO), vão servir para adquirir mais vacinas no futuro.

A vacinação em Cabo Vede vai começar pelos profissionais de saúde e pelas pessoas "com maior risco de ter a forma grave da covid-19".

Segundo o Governo, a lista prioritária integra ainda os elementos "que estão na linha da frente", como a Polícia Nacional, a Proteção Civil e as Forças Armadas.

Mas também "as pessoas que trabalham no domínio do turismo, no sentido de dar mais segurança aos turistas", setor que garante 25% do Produto Interno Bruto (PIB) de Cabo Verde.

O primeiro-ministro cabo-verdiano, Ulisses Correia e Silva, disse no início do ano que estão a ser "criadas as condições" para introduzir a vacina no arquipélago, para os grupos prioritários, durante o primeiro trimestre, e que o financiamento para a sua aquisição está garantido.

Já o Presidente da República, Jorge Carlos Fonseca, pediu que seja continuado um "combate determinado e inteligente" aos efeitos da covid-19, esperando pela disponibilização em breve da vacina contra o novo coronavírus no arquipélago.

Cabo Verde tinha até quinta-feira um acumulado de 13.307 casos positivos desde 19 de março, dos quais 122 óbitos, 12.517 casos recuperados e tinha 663 casos ativos.

A pandemia de covid-19 provocou, pelo menos, 2.092.736 mortos resultantes de mais de 97,4 milhões de casos de infeção em todo o mundo, segundo um balanço feito pela agência francesa AFP.

A doença é transmitida por um novo coronavírus detetado no final de dezembro de 2019, em Wuhan, uma cidade do centro da China.

Recomendados para si

Seja sempre o primeiro a saber.
Quinto ano consecutivo Escolha do Consumidor para Imprensa Online.
Descarregue a nossa App gratuita.

Apple Store Download Google Play Download

Campo obrigatório