Meteorologia

  • 08 AGOSTO 2020
Tempo
24º
MIN 19º MÁX 31º

Edição

Covid-19. Cancelada maior feira de negócios em Moçambique

A 57.ª edição da Feira Agropecuária, Comercial e Industrial de Moçambique (FACIM), a maior do país, foi cancelada devido ao novo coronavírus, disse hoje à Lusa fonte da Agência para a Promoção de Investimento e Exportações (Apiex).

Covid-19. Cancelada maior feira de negócios em Moçambique
Notícias ao Minuto

09:35 - 03/07/20 por Lusa

Mundo Covid-19

"Não vai haver Facim este ano: não pode haver aglomerados de pessoas, segundo a lei", disse Lourenço Sambo, diretor da Apiex.

Do total de 32 países que já tinham confirmado presença para a feira deste ano, 14 cancelaram a sua participação, o que, além das restrições impostas pela pandemia, levou à anulação do evento, acrescentou.

"Vimos que não valia a pena esperar que os restantes também cancelassem", referiu Sambo.

A principal feira de atividades económicas moçambicana, que decorre anualmente entre agosto e setembro, conta com a participação de cerca de 20 a 30 países e serve de "montra da economia moçambicana e porta de entrada de investimento estrangeiro".

"O impacto é enorme, há muito negócio e dinheiro perdido", frisou.

A agência avançou que, para 2021, há três moldes diferentes em estudo, dependendo da evolução da doença no país e no mundo: feira digital, presencial ou a combinação dos dois.

"É provável que a feira perca o número de países e empresas participantes", assim como visitantes, observou.

Com um total de 918 casos positivos, seis óbitos e 249 recuperados, Moçambique vive em estado de emergência desde 01 de abril.

O chefe de Estado moçambicano anunciou no domingo a prorrogação do estado de emergência pela terceira vez - o máximo previsto na Constituição - com levantamento faseado de algumas restrições.

As escolas vão reabrir faseadamente, voltará a haver ligações aéreas internacionais com alguns países, será permitido mais pessoal nos locais de trabalho e os museus poderão reabrir.

A pandemia de covid-19 já provocou mais de 517 mil mortos e infetou mais de 10,76 milhões de pessoas em 196 países e territórios, segundo um balanço feito pela agência francesa AFP.

Recomendados para si

Seja sempre o primeiro a saber.
Acompanhe o site eleito pelo quarto ano consecutivo Escolha do Consumidor.
Descarregue a nossa App gratuita.

Apple Store Download Google Play Download

Campo obrigatório