Meteorologia

  • 27 JUNHO 2019
Tempo
17º
MIN 15º MÁX 18º

Edição

Histórico socialista Alfredo Pérez Rubalcaba morre aos 67 anos

O ex-vice-presidente do governo espanhol e antigo secretário-geral do PSOE foi internado de urgência esta quarta-feira após sofrer um AVC.

Histórico socialista Alfredo Pérez Rubalcaba morre aos 67 anos

Alfredo Pérez Rubalcaba morreu, esta sexta-feira, aos 67 anos no Hospital Universitario Puerta de Hierro de Majadahonda. O ex-vice-presidente do governo espanhol e antigo secretário-geral do PSOE não resistiu a um Acidente Vascular Cerebral (AVC) que sofreu na última quarta-feira.

Logo após o incidente, Rubalcaba foi transportado de urgência para o hospital, sendo o seu estado considerado desde logo grave. E, no último comunicado, emitido ontem pelo hospital, as notícias não eram animadoras. "De extrema gravidade", era assim descrito o estado de saúde do histórico socialista.

Um porta-voz da família de Rubalcaba anunciou à imprensa que o corpo estará a partir de hoje em câmara ardente instalada na Câmara dos Deputados, onde ocupou assento entre 1993 e 2014.

O presidente do Governo espanhol, o socialista Pedro Sánchez já anunciou a suspensão da campanha para as europeias e está, de acordo com o La Vanguardia, a dirigir-se à unidade hospitalar.

"Um homem de Estado e socialista comprometido. Uma vida inteira dedicada a servir o seu país. O fim da ETA e grandes avanços sociais têm a sua assinatura. Obrigada, Alfredo. Todos, Espanha e o PSOE, estaremos sempre em dívida contigo", escreveu, entretanto, Pedro Sanchez na sua página na rede social Twitter.

Também o PSOE já publicou uma mensagem de homenagem ao histórico socialista. "Acaba de nos deixar o nosso companheiro Alfredo Pérez Rubalcaba. Estamos sem palavras e cheios de dor. Deixa-nos um homem bom e brilhante em todos os sentidos. Deixa-nos um homem de Estado que trabalhou pela paz e pelo bem-estar de todos e todas. Até sempre", lê-se no tweet.

O primeiro-ministro português também já lamentou a morte do antigo líder dos socialistas espanhóis, considerando que foi um homem com uma "inteligência brilhante" e que se destacou em defesa da liberdade contra o terrorismo.

"Rubalcaba foi um colega e um companheiro. Homem de uma inteligência brilhante e de extraordinária coragem na defesa da liberdade contra o terrorismo. Alfredo Pérez Rubalcaba faleceu, mas ficaremos para sempre com a liberdade que nos deixou como legado", escreveu Costa que amanhã, pelas 12h15 (menos uma hora em Portugal) marcará presença em Madrid para as cerimónias fúnebres.

Fora da política ativa desde 2014, quando abandonou a presidência do PSOE - partido do qual era membro desde 1974 - e depois de ter sido ministro em vários governos socialistas, Rubalcaba dava agora aulas como professor de Química na Universidade Complutense de Madrid.

Recomendados para si

Seja sempre o primeiro a saber.
Acompanhe o site eleito pelo segundo ano consecutivo Escolha do Consumidor.
Descarregue a nossa App gratuita.

Apple Store Download Google Play Download

Campo obrigatório