Meteorologia

  • 05 DEZEMBRO 2019
Tempo
15º
MIN 10º MÁX 16º

Edição

Encontrado sangue líquido e urina em carcaça de potro com 42 mil anos

Especialistas russos e sul-coreanos estão a trabalhar em conjunto para encontrar células intactas que permitam a clonagem do animal pré-histórico, já extinto.

Encontrado sangue líquido e urina em carcaça de potro com 42 mil anos

Os cientistas russos que analisam os restos mortais de um potro encontrado na Sibéria em agosto do ano passado revelaram agora que encontraram sangue líquido e urina dentro da carcaça congelada, que se estima ter morrido há 42 mil anos.

Conforme explica a CNN, que cita o diretor do Museu do Mamute da Universidade Estatal de Yakutsk (NEFU), Semyon Grigoriev, os fluídos corporais do potro foram extraídos durante a autópsia e testados na esperança de conseguir clonar a espécie, já extinta.

A descoberta de líquidos é muito rara. Semyon Grigoriev indica que só assistiu a outro caso em que foram encontrados fluídos numa carcaça pré-histórica, um mamute adulto, descoberto em 2013.

"Por regra, o sangue coagula ou transforma-se em pó nos restos de animais da Idade do Gelo, mesmo que a carcaça esteja bem conservada. Isto acontece por causa da mumificação, quando a gordura e outros fluídos biológicos evaporam gradualmente ao longo dos milhares de anos, mesmo que os restos estejam no gelo do subsolo", explicou.

Os arqueólogos e cientistas russos estão agora a trabalhar com homólogos sul-coreanos para conseguir cultivar as células necessárias para uma clonagem. O responsável admite, porém, que as hipóteses de sucesso são poucas.

"Acho que o estado de conservação único do sangue é absolutamente inútil para um processo de clonagem porque as principais células sanguíneas - os glóbulos vermelhos ou eritrócitos - não têm núcleo nem ADN", explicou, adiantando que estão a tentar encontrar "células intactas no tecido muscular e nos órgãos internos, que também estão bem conservados".

Notícias ao MinutoRemoção da carcaça na cratera de Batagaika© Reprodução Universidade Estatal de Yakutsk (NEFU)

A carcaça estava embutida no gelo do subsolo da cratera de Batagaika, que fica a 660 quilómetros da cidade de Yakutsk, e estava em excelentes condições de conservação por causa das condições atmosféricas e do solo do local. Ainda foi possível recuperar cabelo, cauda e alguns órgãos internos.

Semyon Grigoriev explicou, ainda, que a cria de cavalo deveria ter apenas duas semanas de idade quando morreu, presumivelmente por se ter afogado na lama, ficando depois a carcaça embutida no gelo.

Recomendados para si

Seja sempre o primeiro a saber.
Acompanhe o site eleito pelo segundo ano consecutivo Escolha do Consumidor.
Descarregue a nossa App gratuita.

Apple Store Download Google Play Download

Campo obrigatório