Meteorologia

  • 09 ABRIL 2020
Tempo
18º
MIN 14º MÁX 18º

Edição

Médico que violou paciente sedada escapa à prisão

A advogada do médico disse, durante o julgamento, que o seu cliente “perdeu a cabeça” depois de ter ficado dominado pelo desejo por Laura, uma “mulher latina de seios falsos”.

Médico que violou paciente sedada escapa à prisão

Shafeeq Sheikh, de 46 anos, era médico (perdeu a licença) e estava acusado de ter violado uma paciente numa cama de hospital quando esta estava sedada.

Na última sexta-feira, mais precisamente cinco anos após o crime, o tribunal considerou Shafeeq culpado, mas não lhe aplicou uma pena de prisão, conta o Huffington Post.

O caso remonta a 2013. Laura, a vítima, estava internada no Hospital Houston’s Ben Taub no Texas quando, numa noite, Shafeeq foi ao seu quarto. Apesar de estar consciente, Laura estava sedada e, por isso, não tinha forças para resistir ao ataque. Em tribunal, a vítima disse ter pressionado o botão para pedir ajuda, mas a investigação concluiu que o mesmo havia sido desligado e, assim, sem conseguir lutar e sem ajuda, Laura foi violada pelo médico.

Notícias ao MinutoShafeeq Sheikh já não pode exercer Medicina e está inscrito na lista de predadores sexuais© Houston Police Department

Dois anos depois, Shafeeq foi detido após os testes de ADN e um longo processo de recolha de evidências o terem dado como principal suspeito.

Agora, cinco anos após o crime, o julgamento chegou ao fim. Shafeeq, que confessou ter tido relações sexuais com Laura, mas garantindo que as mesmas foram consentidas, foi considerado culpado, mas o tribunal norte-americano não o condenou à prisão, aplicando-lhe antes uma pena de 10 anos de liberdade condicional e inscrevendo-o na lista de predadores sexuais, tal como o júri havia recomendado.

Recomendados para si

Seja sempre o primeiro a saber.
Acompanhe o site eleito pelo quarto ano consecutivo Escolha do Consumidor.
Descarregue a nossa App gratuita.

Apple Store Download Google Play Download

Campo obrigatório