Porque é que os cães e os gatos tendem a dar-se mal?

Há um ódio inato entre estes animais. Mas porquê?

© iStock
Lifestyle Pets

Claro, há sempre exceções à ‘regra’ e cães e gatos mais pacíficos até conseguem dar-se bem ou pelo menos tolerar-se quando vivem o mesmo espaço. Mas a verdade é que o mais comum é que se odeiem.

PUB

O Metro britânico explica que este ódio existe desde logo devido ao instinto predador, uma vez que ambos os animais são carnívoros. Portanto, originalmente as ‘lutas’ entre cães e gatos surgiram por causa da comida.

O Dr. John Bradshaw da Escola de Ciência Veterinária da Universidade de Bristol, explica que como os cães descendem dos lobos, quando têm comida à frente e estão perante um adversário mais dominante, o seu instinto natural de grupo faz com que recuem. Já os gatos, descendentes de predadores solitários e não de animais que andam em grupo, são mais cautelosos ao se aproximar da comida mas são menos propensos a recuar assim que decidem que não vão fugir – mesmo quando o animal que têm à frente é mais forte.

O resultado da combinação de ambos é, portanto, o choque e as conhecidas lutas entre cães e gatos. Ambos irão tentar intimidar o outro com latidos e rosnados, miados e outros ruídos agressivos.

Mas são inimigos naturais? Muitos cães, se tivessem oportunidade, comiam os gatos, mas mais do que tudo, adoram perseguir tudo o que corra (incluindo gatinhos). O que faz com que as gatas com crias sejam especialmente agressivas com eles.

Com a motivação certa, cães e gatos conseguem coexistir em harmonia. Especialmente quando são pequenos, é possível ensiná-los a comportar-se e a conviver com outros animais.

COMENTÁRIOS REGRAS DE CONDUTA DOS COMENTÁRIOS

Seja o primeiro a saber todas as novidades de Lifestyle

Obrigado por ter ativado as notificações do Desporto ao Minuto.

É um serviço gratuito, que pode sempre desativar.

Notícias Ao Minuto Saber mais sobre notificações do browser