Conjuntivite. Oito sintomas a ter em atenção

Tudo o que precisa de saber para evitar esta inflamação.

© iStock
Lifestyle Olho

A conjuntivite é uma das inflamações mais comuns nos olhos. Acontece quando a conjuntiva (membrana transparente que envolve o globo ocular e a parte interna da pálpebra) é afetada por agentes tóxicos, alergias, bactérias ou vírus, causando irritação e inflamação.

PUB

O contágio de um olho para o outro (ou de uma pessoa para a outra) é quase inevitável, especialmente quando existe um contacto com as mãos e se está em ambientes fechados e pouco ou nada arejados.

Embora não seja fácil prever ou até mesmo prevenir aparecimento de uma conjuntivite, é possível evitar males maiores ao prestar atenção a alguns dos sintomas mais comuns desta condição, como explica à revista Self a presidente da Associação Americana de Optometria Andrea Thau.

O sintoma mais comum e que mais facilmente ajuda a decifrar a conjuntivite é o vermelhão no olho, um sinal claro de irritação e infeção que se pode tornar mais grave quando vem acompanhado de comichão ou sensação de queimadura.

Diz a especialista que “quanto mais de coça, mais comichão se tem”, sendo, por isso, fundamental manter as mãos fora da zona afetada, uma vez que a intensidade com que se coça o olho pode ainda danificar a córnea e espalhar mais intensamente as bactérias. Por isso, mesmo que ocorra uma sensação de areia no olho ou uma sensibilidade à luz, o melhor é mesmo mantê-lo fechado e nunca o coçar. Pode-se usar um pano ou um lenço para limpar, mas deve-se evitar ao máximo o contacto das mãos com a zona afetada.

Uma maior secreção do olho, produção de lágrima e ainda inchaço dos gânglios linfáticos e das pálpebras são outros sinais a ter em conta e que pedem uma ida ao médico ou à farmácia mais próxima.

COMENTÁRIOS REGRAS DE CONDUTA DOS COMENTÁRIOS