Meteorologia

  • 13 NOVEMBRO 2019
Tempo
17º
MIN 13º MÁX 20º

Edição

Quer falar de superalimentos? Comece por mencionar o agrião

Superalimentos são aqueles que são super, super preventivos, super nutritivos, super saudáveis. Mas, serão assim tantos os superalimentos como os noticiados nos dias de hoje?

Quer falar de superalimentos? Comece por mencionar o agrião

Serão as frutas e vegetais alimentos demasiado valorizados pela sociedade? São eles superalimentos ou apenas alimentos bons e saudáveis?

Estas questões levaram o Centro de Prevenção e Controlo de Doenças dos Estados Unidos a analisar minuciosamente 47 alimentos naturais de forma a detetar a existência ou não de critérios suficientes para serem classificados como superalimentos.

Com base na existência dos 17 nutrientes importantes para a saúde pública - potássio, fibras, proteínas, cálcio, ferro, tiamina, riboflavina, niacina, folato, zinco e vitaminas A, B6, B12, C, D, E, e K – e no valor calórico na sua forma bruta, os investigadores norte-americanos pontuaram os alimentos analisados de zero a cem, sendo que a classificação de superalimento é dada aos vegetais e frutas mais próximos da pontuação máxima.

Para este cálculo, tiveram ainda em conta a capacidade do alimento fornecer pelo menos 10% da dose diária recomendada de alguns nutrientes, entre eles os que apresentam maior eficácia no combate a doenças de coração e cancro, como as fibras, ácido fólico, zinco, e vitaminas B 6 , B 12 , C, D, e E.

Assim sendo, lê-se numa publicação feita no site do Centro de Prevenção e Controlo de Doenças dos Estados Unidos, existe um alimento que se mostra altamente nutritivo e que, por isso, merece ser classificado como o melhor superalimentos de todos: o agrião. Este foi o único alimento analisado a ultrapassar a pontuação máxima de 100, mais concretamente 122,68.

Segue-se o repolho chinês (91.99 em 100), a acelga (89,27/100), a beterraba verde (87,08/100), o espinafre (86,43/100), chicória (73,36/100), alface (63,48/100), couve-galega (62,49/100), rama do nabo (62,12/100), mostarda verde (61,93/100), endívia (60,44), cebolinho (54,80/100), couve-de-folhas (49,07/100), dente-de-leão (46,34/100) e pimenta-vermelha (41,26/100), que completa o top 15 de superalimentos.

No final da lista, apresentada em 2014, constam o nabo (11,43/100), a amora preta (11,39/100), o alho-porro (10,69/100), a batata-doce (10,51/100) e citrinos brancos (10,47/100), incluindo-se aqui alguns tipos de limão e toranja.

A framboesa, tangerina, Oxicoco, alho, cebola, e mirtilos não satisfizeram os critérios de potência, uma vez que são fortes em determinados nutrientes, mas não de um modo geral.

À CBC, o nutricionista Rosie Schwartz, a exercer em Toronto, não se mostra surpreendido com os resultados obtidos na análise feita no ano passado, contudo indica que as pessoas não se devem focar no rótulo de superalimento, pois isso apenas fará com que desvalorizem o poder e importância de outros.

Recomendados para si

Seja sempre o primeiro a saber.
Acompanhe o site eleito pelo segundo ano consecutivo Escolha do Consumidor.
Descarregue a nossa App gratuita.

Apple Store Download Google Play Download

Receba dicas para uma vida melhor!

Moda e Beleza, Férias, Viagens, Hotéis e Restaurantes, Emprego, Espiritualidade, Relações e Sexo, Saúde e Perda de Peso

Obrigado por ter ativado as notificações de Lifestyle ao Minuto.

É um serviço gratuito, que pode sempre desativar.

Notícias ao Minuto Saber mais sobre notificações do browser

Campo obrigatório