Meteorologia

  • 19 MAIO 2024
Tempo
20º
MIN 12º MÁX 21º

Quinta da Manoella apresenta quinteto de novidades

Quinta da Manoella surge um quinteto de novidades

Quinta da Manoella apresenta quinteto de novidades
Notícias ao Minuto

06:00 - 22/04/24 por Notícias ao Minuto

Lifestyle Vinhos

Conhecida pelos 20 hectares de vinha, com uma envolvente de 40 hectares de mata mediterrânica, é na Quinta da Manoella que nascem cincos vinhos. Marcados pela frescura, complexidade e equilíbrio inerentes ao Douro, são "uma ode ao legado da região vinhateira". São também o resultado da expertise do casal de enólogos Sandra Tavares da Silva e Jorge Serôdio Borges. 

As novas colheitas da trilogia Manoella chegam agora ao mercado e dão continuidade ao perfil de vinhos desta gama, recorrendo a uvas de vinhas velhas e castas autóctones do Douro. O Manoella Douro Branco 2023 (13€) tem origem numa parcela com 57 anos, situada numa encosta virada a Norte, com solo de granito, onde estão plantadas as castas Gouveio, Viosinho, Rabigato e Códega do Larinho, a 600 metros de altitude em solos graníticos.

Notícias ao Minuto Enólogos Jorge Serôdio Borges e Sandra Tavares da Silva© Quinta da Manoella

As uvas, colhidas no dia 27 de Agosto, foram selecionadas e desengaçadas, depois prensadas numa prensa pneumática. A fermentação decorreu em cubas de aço, inox e ovo de cimento, a baixas temperaturas durante oito semanas, com mais seis meses de estágio sobre as borras finais. De cor intensa e brilhante, com aromas de flores primaveris e lima fresca, este branco revela-se redondo e com um bom volume na boca, marcado pela sua frescura, pureza de sabores e excelente equilíbrio.

Leia Também: Quando a arte e o vinho se juntam surge... um pack de experiências

O Manoella Douro Rosé 2023  (13€), oriundo de uma vinha de Touriga Nacional com 43 anos plantada em patamares de exposição sudoeste a 450 metros de altitude, denota uma tonalidade muito clara, fazendo dele um rosé clássico, fresco e aromático. Com notas frescas de framboesas, rosas e um ligeiro toque de clementina, o rosé duriense apresenta frescura na boca, notas minerais e um final muito longo.

No processo de vinificação, as uvas são devidamente selecionadas e desengaçadas, antes de serem prensadas numa prensa pneumática. Depois, o mosto fermenta a baixas temperaturas, durante cinco semanas, e estagia sobre borras finas durante seis meses.

Leia Também: Vinhos Alabastro conquistam certificação de produção sustentável

Já o Manoella Douro Tinto 2022 (13€) tem origem numa parcela de 42 anos. As uvas, colhidas no dia 2 de setembro, fermentaram em cuba ao longo de oito dias, com extração suave. O estágio decorreu em barricas neutras de carvalho francês durante 16 meses. Blend das castas Touriga Nacional (60%), Touriga Franca (25%), Tinta Roriz (10%) e Tinta Francisca (5%), é um tinto de cor púrpura, com notas intensas e frescas de cereja, framboesa e ervas indígenas. De sabores com notas de frutos do bosque e especiarias em harmonia, revela taninos e frescura.

Feito a partir de uma vinha centenária no coração do Douro, com mais de 30 castas indígenas, o Quinta da Manoella Vinhas Velhas Douro tinto 2021 (92,50€) é elaborado segundo práticas tradicionais, procurando a máxima qualidade e carácter, de forma a garantir o seu perfil complexo e elegante. Após a vindima realizada a 28 de setembro, as uvas foram selecionadas e desengaçadas para fermentação em lagar com pisa a pé durante 10 dias e o seu estágio decorreu em barricas neutras de carvalho francês durante 22 meses. O Quinta da Manoella Vinhas Velhas 2021 é um vinho com aromas delicados de frutos de bosque, notas florais e especiarias. Mostra-se um tinto intenso e delicado na boca com frescura e mineralidade e, uma impressionante harmonia e pureza de sabores.

Leia Também: Vinhos de castas esquecidas no Dão chegam às mesas dos portugueses

Por último, e sendo a segunda colheita de um dos mais recentes lançamentos do casal de enólogos, o Quinta da Manoella Vinha Alecrim Douro Tinto 2014 (150€) é proveniente de uma vinha centenária plantada pelo trisavô de Jorge Serôdio Borges e implantada em muros pré-filoxéricos. Com um estágio total de seis anos em garrafa com o fim de assinalar a elegância do seu terroir. Os vinhedos antigos estão rodeados por um alecrim e por uma floresta mediterrânica que definem o ADN desta primeira colheita pontuada pelas evidentes notas de bosque e pelo omnipresente lado vegetal.

Considerado um vinho que cresce com o envelhecimento, é um exemplar da interessante tensão tânica, de profundidade e frescura significativas. De edição limitada, existem apenas 496 garrafas de 75cl.

Leia Também: Um vinho do Porto tónico pronto a beber? Sim, existe!

Recomendados para si

;

Receba dicas para uma vida melhor!

Moda e Beleza, Férias, Viagens, Hotéis e Restaurantes, Emprego, Espiritualidade, Relações e Sexo, Saúde e Perda de Peso

Obrigado por ter ativado as notificações de Lifestyle ao Minuto.

É um serviço gratuito, que pode sempre desativar.

Notícias ao Minuto Saber mais sobre notificações do browser

Campo obrigatório