Meteorologia

  • 18 DEZEMBRO 2018
Tempo
14º
MIN 11º MÁX 15º

Edição

Químicos convertem lamas de celulose em biocarvão

Uma equipa de químicos da Universidade de Aveiro conseguiu converter as lamas da indústria do papel num biocarvão que, tal como um íman, é capaz de atrair e reter substâncias tóxicas, anunciou hoje fonte académica.

Químicos convertem lamas de celulose em biocarvão
Notícias ao Minuto

12:30 - 22/05/18 por Lusa

Lifestyle Estudo

O trabalho, realizado no Departamento de Química da Universidade de Aveiro (UA) centrou-se na remoção da água de resíduos de analgésicos e os resultados são considerados promissores: "os biocarvões resultantes das lamas, uma matéria-prima barata que de outra forma iria para o aterro, conseguem competir com outros já existentes no mercado". A equipa de investigadores desenvolveu um biocarvão adsorvente (material capaz de fixar na respetiva superfície moléculas presentes em fluidos) utilizando como matéria-prima resíduos agrícolas e industriais produzidos em grande escala.

O propósito final da equipa do Departamento de Química, constituída por Catarina Ferreira, Marta Otero, Vânia Calisto, Helena Nadais e Valdemar Esteves, consistiu na utilização dos adsorventes produzidos para remoção de poluentes das águas dos sistemas de recirculação em aquacultura e foram escolhidos os anestésicos veterinários como os contaminantes a testar.

No que respeita aos adsorventes desenvolvidos, os investigadores concluíram que, "de todos os resíduos testados, as lamas da indústria da pasta e do papel são os precursores mais promissores para produção de adsorventes", podendo competir com os materiais já existentes no mercado.

Na descontaminação das águas, o método de absorção tem a vantagem de concentrar em poucas gramas de um sólido - o adsorvente - o contaminante que se encontra num grande volume de água, não havendo produção de subprodutos que podem ser tóxicos, o que é característico de outros processos avançados de tratamento de águas.

O uso de um resíduo para a produção desses adsorventes, neste caso através da utilização das lamas, é uma vantagem relativamente aos comerciais que são produzidos através de materiais de origem mineral, evitando a exploração destes recursos naturais e o custo associado à sua extração.

"Os biocarvões produzidos a partir dos resíduos industriais (lamas primárias e biológicas resultantes do tratamento de efluentes da indústria da pasta e do papel) mostraram ser adsorventes bastante promissores, com percentagens de remoção dos anestésicos muito boas", congratulam-se os investigadores.

Recomendados para si

Seja sempre o primeiro a saber.
Acompanhe o site eleito pelo segundo ano consecutivo Escolha do Consumidor.
Descarregue a nossa App gratuita.

Apple Store Download Google Play Download

Receba dicas para uma vida melhor!

Moda e Beleza, Férias, Viagens, Hotéis e Restaurantes, Emprego, Espiritualidade, Relações e Sexo, Saúde e Perda de Peso

Obrigado por ter ativado as notificações de Lifestyle ao Minuto.

É um serviço gratuito, que pode sempre desativar.

Notícias ao Minuto Saber mais sobre notificações do browser

Campo obrigatório