Meteorologia

  • 16 AGOSTO 2018
Tempo
22º
MIN 19º MÁX 23º

Edição

Trabalhadores da IP fazem greve parcial a 10 de maio e total a 11

Os trabalhadores da Infraestruturas de Portugal (IP) vão realizar uma greve parcial no dia 10 de maio e uma total em 11 de maio, anunciou hoje José Manuel Oliveira, dirigente da Federação dos Sindicatos dos Transportes e Comunicações (FECTRANS).

Trabalhadores da IP fazem greve parcial a 10 de maio e total a 11
Notícias ao Minuto

13:10 - 19/04/18 por Lusa

Economia FECTRANS

Depois de um plenário realizado na manhã de hoje, "com boa participação", na estação de Santa Apolónia, em Lisboa, o dirigente sindical explicou à agência Lusa ter sido decidido "retomar a greve na empresa no dia 10 e no dia 11" de maio.

"No dia 10 [uma quinta-feira] todos os trabalhadores paralisarão uma hora no seu turno de trabalho, mas a uma hora fixa entre as 00h00 e a 01h00; entre as 08h00 e as 09h00 e entre as 16h00 e as 17h00 e depois uma greve de 24 horas no dia 11", precisou.

Questionado se ainda poderá haver acordo, o sindicalista respondeu "que só se pode chegar a bom porto de um processo, se houver negociação e, neste momento, não há negociação".

"Não temos interlocutor por parte da administração. Desde véspera da Páscoa [dia 31 de março] que não foi tomada mais nenhuma iniciativa para retomar as negociações e procurarmos as soluções que não quiseram aceitar naquele sábado, véspera da Páscoa", concluiu.

Os trabalhadores da IP, empresa que resultou da fusão da Estradas de Portugal e da REFER, estiveram em greve no dia 02 de abril, depois de uma tentativa de acordo falhado com o Governo e a administração da empresa, que envolve nomeadamente aumentos salariais.

No dia 04, após uma reunião da Comissão de Trabalhadores e sindicatos, os representantes dos trabalhadores anunciaram que iam dar 15 dias à administração da IP e ao Governo para criarem condições para um acordo que vá ao encontro das pretensões dos trabalhadores e "lamentam que a postura pouco séria" da administração e Governo tenha obrigado os trabalhadores a mais um esforço na defesa das suas reivindicações, em particular, da exigência do aumento intercalar dos salários que são os mesmos desde 2009".

A greve dos trabalhadores da IP logo depois do domingo de Páscoa, no passado dia 02, levou, por exemplo, a que 494 comboios da CP fossem suprimidos até às 20h00, afetando sobretudo as ligações de longo curso e as regionais.

Para esse dia, a empresa queria serviços mínimos correspondentes a 25% do número de composições habituais de transporte de passageiros, mas o tribunal arbitral entendeu não decretar este serviço face à curta duração da greve e por haver transportes alternativos.

Na lista de serviços mínimos estiveram apenas, por exemplo, os comboios que se encontravam em marcha à hora do início da greve, os "serviços necessários à movimentação dos 'comboios socorro'" e "os serviços urgentes relativos ao transporte de mercadorias perigosas e bens perecíveis".

Recomendados para si

Seja sempre o primeiro a saber.
Acompanhe o site eleito pelo segundo ano consecutivo Escolha do Consumidor.
Descarregue a nossa App gratuita.

Apple Store Download Google Play Download

Receba as melhoras dicas de gestão de dinheiro, poupança e investimentos!

Tudo sobre os grandes negócios, finanças e economia.

Obrigado por ter ativado as notificações de Economia ao Minuto.

É um serviço gratuito, que pode sempre desativar.

Notícias ao Minuto Saber mais sobre notificações do browser

Campo obrigatório

Os cookies ajudam-nos a melhorar a sua experiência como utilizador.

Ao utilizar o nosso website, está a aceitar o uso de cookies e a concordar com a nossa política de utilização.