Meteorologia

  • 21 NOVEMBRO 2018
Tempo
13º
MIN 12º MÁX 14º

Edição

Santa Casa e Montepio? "Acaba em inquérito parlamentar e investigação"

Na antena da SIC, Marques Mendes comentou o negócio da Santa Casa e do Montepio e mostrou não estar de acordo.

Santa Casa e Montepio? "Acaba em inquérito parlamentar e investigação"
Notícias ao Minuto

23:11 - 07/01/18 por Inês André de Figueiredo 

Economia Marques Mendes

Luís Marques Mendes aproveitou o seu comentário semanal na antena da SIC para recordar o tema da Santa Casa da Misericórdia de Lisboa e do Montepio, deixando um alerta para o caso de o negócio se concretizar.

“Se se concretizar a ideia da Santa Casa da Misericórdia de Lisboa de comprar 10% do Montepio por 200 milhões de euros, isto vai acabar num inquérito parlamentar e numa investigação judicial e os responsáveis da SCML por esta decisão ainda vão acabar no mínimo suspeitos de gestão danosa. Porquê? Porque o Montepio não vale 2 mil milhões de euros no mercado e 10% não valem 200 milhões”, atirou o social-democrata.

Nesta senda, o comentador defendeu que a Santa Casa “não devia entrar no capital” de um banco, seja ele o Montepio ou outro, até porque essa “não é a sua missão nem vocação”.

Além disso, Marques Mendes reiterou ainda que está em causa um “negócio arriscado” e que pode trazer problemas para a Santa Casa.

Saliente-se que, em entrevista à Antena 1, o ministro do Trabalho, Solidariedade e Segurança Social, Vieira da Silva, afirmou ter sido ideia de Pedro Santana Lopes o envolvimento da Santa Casa no setor financeiro, enquanto a hipótese de investimento no Montepio foi colocada pelo Governo.

Negociações entre PS e PSD há 20 anos foram "às claras"

Por outro lado, respondendo ao dirigente socialista Jorge Lacão, que na quinta-feira, na Assembleia da República, disse que teve em 1996 e 1997 inúmeras reuniões discretas, "sem atas pelo meio", com o então presidente do grupo parlamentar do PSD, o próprio Marques Mendes, o ex-dirigente social-democrata sustentou que as negociações ocorridas entre o PS e o PSD, no Parlamento, há vinte anos, "foram públicas, feitas às claras e escrutinadas durante meses".

"Não se podem confundir com esta vergonha" do processo que levou às alterações à lei de financiamento dos partidos, sublinhou Marques Mendes. Isto depois de o comentador político ter classificado, já anteriormente, como "vergonhoso" o processo político-parlamentar que conduziu à aprovação das alterações à lei de financiamento dos partidos - um diploma entretanto vetado pelo Presidente da República.

Recomendados para si

Seja sempre o primeiro a saber.
Acompanhe o site eleito pelo segundo ano consecutivo Escolha do Consumidor.
Descarregue a nossa App gratuita.

Apple Store Download Google Play Download

Receba as melhoras dicas de gestão de dinheiro, poupança e investimentos!

Tudo sobre os grandes negócios, finanças e economia.

Obrigado por ter ativado as notificações de Economia ao Minuto.

É um serviço gratuito, que pode sempre desativar.

Notícias ao Minuto Saber mais sobre notificações do browser

Campo obrigatório