Salgado condenado a multa de 4 milhões e proibido de trabalhar na banca

Ex-líder do Banco Espírito Santo foi condenado pelo Banco de Portugal a uma das penas mais pesadas de sempre. Informação é avançada pelo jornal Expresso.

© Reuters
Economia BdP

A mão do Banco de Portugal foi muito pesada para Ricardo Salgado na sequência do processo de investigação sobre as alegadas infrações cometidas pela antiga liderança do Banco Espírito Santo.

PUB

De acordo com o Expresso, o antigo homem-forte do império familiar foi condenado a 10 anos sem exercer qualquer atividade no setor bancário e a uma multa de 4 milhões de euros devido a cinco atos ilícitos referentes à venda de dívida da Espírito Santo International a clientes do antigo BES e da ESAF. Numa investigação com mais de 100 testemunhas e 800 páginas de detalhes, o Banco de Portugal expõe várias provas da alegada falsificação de contas da Espírito Santo International pela administração, com Ricardo Salgado como figura de proa.

O ex-líder do BES foi considerado culpado e teria direito a uma multa de 5,5 milhões de euros, mas segundo a legislação vigente na altura dos ilícitos, a coima máxima era de 4 milhões, sendo esse o valor a aplicar.

A decisão relativa aos restantes 14 administradores do antigo BES não foram reveladas pelo Expresso, mas é certo que receberam penalizações menores do que Ricardo Salgado. Todas as condenações do Banco de Portugal podem ser alvo de recurso na Justiça nacional.

O Economia ao Minuto tentou contactar o Banco de Portugal e o advogado de Ricardo Salgado para obter reações à notícia. Até agora apenas foi possível obetr resposta da defesa de Salgado, que fala numa "farsa" e numa "decisão de uma parte interessada, que estava já pré-definida antes do suposto apuramento dos factos".

[Notícia atualizada às 18h30]

COMENTÁRIOS REGRAS DE CONDUTA DOS COMENTÁRIOS

Acompanhe as transmissões ao vivo da Primeira Liga, Liga Europa e Liga dos Campeões!

Obrigado por ter ativado as notificações do Desporto ao Minuto.

É um serviço gratuito, que pode sempre desativar.

Notícias Ao Minuto Saber mais sobre notificações do browser