Meteorologia

  • 01 DEZEMBRO 2021
Tempo
MIN 6º MÁX 17º

Edição

"Alemanha foi o primeiro país do euro a suportar a austeridade"

João César das Neves faz, esta quarta-feira, no seu espaço de opinião do Diário de Notícias, referência à forma como a máquina política alemã é tratada pela opinião pública no âmbito da crise grega.

"Alemanha foi o primeiro país do euro a suportar a austeridade"

“A Alemanha, em geral, e a senhora Merkel, em particular, são acusadas de estarem dominadas por um súbito e inexplicável sadismo anti-helénico e cegueira antieuropeia”, começa por escrever João César das Neves, no Diário de Notícias.

O antigo assessor económico de Cavaco Silva sublinha, no entanto, que este discurso é cheio de contradições, lembrando que a “Alemanha foi o primeiro país do euro a suportar a austeridade, com as medidas do chanceler Schroder, no poder de 1998 a 2005”.

César da Neves adianta que foi essa “violenta reestruturação orçamental” que permitiu aos alemães controlar a crise que se seguiu e que agora afeta os seus parceiros.

Referindo-se aos discursos que acusam o projeto da união monetária ser um “truque” para ganhar à custa de outros estados membros, o professor universitário questiona: “mesmo admitindo que seja verdade, como podem agora denunciar a Alemanha de forçar a Grécia a sair? Então, afinal os alemães ganham prendendo os pobres dentro ou expulsando-os?”.

César das Neves aponta, mais uma vez, a contradição nos discursos de crítica à Alemanha e lembra que “a crise é grega, profunda e complexa” e que “afeta toda a Europa”.

“Para o compreender é preciso esforço, argúcia, serenidade e, sobretudo, respeito por todos os participantes, envoltos em dolorosas escolhas”, remata.

Recomendados para si

Seja sempre o primeiro a saber.
Quinto ano consecutivo Escolha do Consumidor para Imprensa Online.
Descarregue a nossa App gratuita.

Apple Store Download Google Play Download

Receba as melhores dicas de gestão de dinheiro, poupança e investimentos!

Tudo sobre os grandes negócios, finanças e economia.

Obrigado por ter ativado as notificações de Economia ao Minuto.

É um serviço gratuito, que pode sempre desativar.

Notícias ao Minuto Saber mais sobre notificações do browser

Campo obrigatório