Meteorologia

  • 28 MAIO 2020
Tempo
21º
MIN 19º MÁX 34º

Edição

PT quis processar Novo Banco mas recuou na decisão

A decisão da PT SGPS em processar o BES foi aprovada em fevereiro deste ano, mas não chegou a ser implementada.

PT quis processar Novo Banco mas recuou na decisão

A queda do império Banco Espírito Santo (BES) espoletou uma série de prejuízos, entre eles, o caso mais conhecido dos detentores do papel comercial do BES.

Entre os lesados estava também a PT SGPS, agora Pharol, que foi prejudicada em 900 milhões de euros, facto que levantou a vontade de processar o BES, o Novo Banco e o BESI. Esse processo foi aprovado, mas não chegou a ser implementado, conta hoje o Expresso.

A história remonta a fevereiro deste ano onde, em reunião de conselho de administradores da PT, foi debatida a decisão de processar ou não o agora Novo Banco (antigo BES). O Expresso soube que três dos administradores da PT votaram a favor, ao passo que os líderes da Ongoing votaram contra, alegando que os custos da acusação podiam chegar aos 15 milhões de euros.

Mesmo assim, a vontade em processar o BES foi aprovada na altura. No entanto, na assembleia geral prevista para a tarde de hoje, o tema não está na ordem de trabalhos. Em vez disso, estão previstas decisões quanto a processos contra ex-administradores, lote no qual estão incluídos Henrique Granadeiro, Luís Pacheco de Melo e Zeinal Bava. De fora ficou João de Mello Franco, presidente da comissão de auditoria e antigo administrador da PT, que depois chegou a presidente da PT SGPS.

Fora da discussão ficou a Oi, acionista de 10% de capital da Pharol, que no ano passado acordou não dar entrada com qualquer processo contra os administradores da PT SGPS.

Recomendados para si

Seja sempre o primeiro a saber.
Acompanhe o site eleito pelo quarto ano consecutivo Escolha do Consumidor.
Descarregue a nossa App gratuita.

Apple Store Download Google Play Download

Receba as melhores dicas de gestão de dinheiro, poupança e investimentos!

Tudo sobre os grandes negócios, finanças e economia.

Obrigado por ter ativado as notificações de Economia ao Minuto.

É um serviço gratuito, que pode sempre desativar.

Notícias ao Minuto Saber mais sobre notificações do browser

Campo obrigatório