Meteorologia

  • 13 JULHO 2024
Tempo
17º
MIN 15º MÁX 25º

Economia portuguesa com excedente de 3,2% do PIB no 1.º trimestre

A economia portuguesa, incluindo Administrações Públicas, famílias, empresas e bancos, registou um excedente de 3,2% do Produto Interno Bruto (PIB) no primeiro trimestre, mais 0,5 pontos percentuais do que no trimestre anterior, divulgou hoje o INE.

Economia portuguesa com excedente de 3,2% do PIB no 1.º trimestre
Notícias ao Minuto

12:39 - 24/06/24 por Lusa

Economia INE

"A economia portuguesa registou uma capacidade de financiamento de 3,2% do Produto Interno Bruto (PIB) no primeiro trimestre de 2024, que representa um aumento de 0,5 pontos percentuais face ao trimestre anterior", refere o Instituto Nacional de Estatística (INE) nas "Contas Nacionais Trimestrais Por Setor Institucional".

De acordo com o instituto estatístico, "a melhoria do saldo da economia refletiu o aumento do excedente das famílias, que mais do que compensou a redução do excedente das AP [Administrações Públicas] e das Sociedades Financeiras".

O PIB nominal cresceu 1,5% face ao trimestre anterior e 8,6% comparativamente com o trimestre homólogo, "refletindo sobretudo o crescimento do respetivo deflator implícito".

O Rendimento Nacional Bruto (RNB) e o Rendimento Disponível Bruto (RDB) registaram ambos um aumento de 1,6% relativamente ao trimestre anterior e de 8,2% e 8,0%, respetivamente, face ao trimestre homólogo.

O INE detalha que o aumento do RDB da economia no primeiro trimestre de 2024 foi superior ao crescimento de 1,2% da despesa de consumo final (que engloba as despesas de consumo final das famílias e das AP), "o que determinou um aumento de 3,2% da poupança bruta da economia".

Assim, no primeiro trimestre deste ano, a poupança bruta representou 21,3% do PIB (mais 0,4 pontos percentuais que no trimestre anterior e mais 1,8 pontos percentuais que no trimestre homólogo).

O aumento da poupança determinou a melhoria da capacidade de financiamento da economia em 0,5 pontos percentuais, de 2,7% para 3,2% do PIB no primeiro trimestre de 2024.

No primeiro trimestre, a diminuição do saldo das AP foi o resultado de um aumento da despesa (2,3%) superior ao da receita (1,5%).

A necessidade de financiamento das Sociedades não Financeiras (SNF) manteve-se em 2,2% do PIB, enquanto a capacidade de financiamento das Sociedades Financeiras diminuiu 0,2 pontos percentuais para 2,3% do PIB.

Quanto à capacidade de financiamento das famílias, "cresceu progressivamente desde o segundo trimestre de 2023, situando-se em 2,2% do PIB no primeiro trimestre de 2024, refletindo o aumento da poupança das famílias".

No primeiro trimestre de 2024, a poupança das famílias cresceu 24,6%, em resultado do aumento de 2,6% do rendimento disponível, superior ao crescimento de 1,1% do consumo privado.

Leia Também: Portugal com défice orçamental de 0,2% no 1.º trimestre

Recomendados para si

;

Receba as melhores dicas de gestão de dinheiro, poupança e investimentos!

Tudo sobre os grandes negócios, finanças e economia.

Obrigado por ter ativado as notificações de Economia ao Minuto.

É um serviço gratuito, que pode sempre desativar.

Notícias ao Minuto Saber mais sobre notificações do browser

Campo obrigatório