Meteorologia

  • 18 ABRIL 2024
Tempo
17º
MIN 16º MÁX 26º

Líderes do G20 reconheceram desafios para crescimento sustentável

A ministra das finanças de Angola, Vera Daves, considera que a reunião dos responsáveis das Finanças e Bancos Centrais do G20, organizada no Brasil, teve saldo positivo, com os participantes a reconheceram os desafios para um crescimento sustentável.

Líderes do G20 reconheceram desafios para crescimento sustentável
Notícias ao Minuto

12:22 - 02/03/24 por Lusa

Economia G20

"O principal a destacar é que todos os participantes na reunião reconheceram que há desafios para assegurarmos que tenhamos um crescimento sustentável e inclusivo a curto, médio e longo prazo. Os desafios são de várias ordens", disse à Lusa Vera Daves de Sousa.

"Tensões geopolíticas, foi o que mais se falou, e conflitos que decorrem dessas tensões, cada vez mais um sentimento de protecionismo em que algumas economias se vão fechando, desafios climáticos e como se geram os equilíbrios entre as economias envolvidas e as economias emergentes", acrescentou.

A ministra disse que os participantes do encontro do G20, na cidade brasileira de São Paulo, trocaram experiências sobre questão ligadas às desigualdades económicas e sociais, "como é que se endereçam essas desigualdades e, ao mesmo tempo, se considera o peso da dívida em alguns dos países em que essas desigualdades estão presentes".

Vera Daves lembrou que a questão demográfica também foi outro tema importante num sentido, para alguns países, num outro sentido, para outros, que debateram como é que os países crescem, como é que se geram empregos, como é que se assegura a prosperidade num mundo tão polarizado.

"Não foi possível termos um comunicado final, sinal dessa polarização e ausência do consenso, de modo que houve muita discussão a nível dos fundamentos económicos e do que deve ser feito. Estamos de acordo, agora, como é que impedimos que as tensões geopolíticas nos impeçam de endereçar essa agenda", realçou contudo a ministra das Finanças angolana.

Entre as subdivisões de temas dos debates, a representante do Governo angolano destacou o facto de os seus homólogos terem olhado para a tributação e como é que se assegura a tributação progressiva, como é que se assegura, ou como é que se mitiga a evasão fiscal, como é que se alarga a base tributária, formas de lidar com a economia digital e com a tributação das moedas virtuais.

"O desafio agora será, ainda mais na ausência do comunicado final, como é que depois tudo isso que foi discutido se materializa em compromissos e em ações concretas", referiu.

Vera Daves também comentou, na entrevista exclusiva à Lusa, a reunião bilateral que realizou com o ministro das Finanças de Portugal, Fernando Medina, à margem das reuniões do G20.

"Portugal tem financiado um conjunto de projetos em Angola e a reunião foi basicamente para fazer um balanço de como estão esses projetos a andar e o que, tanto o Ministério das Finanças de Portugal como o Ministério das Finanças da Angola, podem fazer para assegurar que processos que não estejam a andar tão rápido quanto gostaríamos, andem mais rápido", referiu, sem detalhar.

"A conversa foi positiva. Com o ministro Medina as coisas avançam sempre, ele é muito pragmático", concluiu.

O Brasil, que assumiu a presidência do G20 a 01 de dezembro de 2023, foi o anfitrião da cimeira organizada em 28 e 29 de fevereiro, que reuniu os máximos responsáveis pelas pastas de Finanças das 20 maiores economias do mundo, incluindo também a União Europeia e a União Africana.

A reunião, com a presença também dos governadores dos Bancos Centrais (sem a presença de Mário Centeno) decorreu num contexto global volátil, marcado por novas tensões geopolíticas e em pleno debate sobre o ritmo da flexibilização monetária, na sequência da escalada inflacionista pós-pandemia.

As prioridades da presidência brasileira para o seu mandato são o combate à fome, à pobreza e à desigualdade, o desenvolvimento sustentável e a reforma da governança global.

O Brasil convidou Portugal, Angola, Egito, Emirados Árabes Unidos, Espanha, Nigéria, Noruega e Singapura para observadores do G20 em 2024.

Leia Também: Reunião do G20 termina sem declaração conjunta devido a impasses

Recomendados para si

;

Receba as melhores dicas de gestão de dinheiro, poupança e investimentos!

Tudo sobre os grandes negócios, finanças e economia.

Obrigado por ter ativado as notificações de Economia ao Minuto.

É um serviço gratuito, que pode sempre desativar.

Notícias ao Minuto Saber mais sobre notificações do browser

Campo obrigatório