Meteorologia

  • 02 MARçO 2024
Tempo
11º
MIN 10º MÁX 14º

Atividade da zona euro melhora ligeiramente em setembro

A atividade da zona euro melhora ligeiramente em setembro face a agosto, mas permanece em contração pelo quarto mês consecutivo, segundo a S&P Global, que prevê uma queda de 0,4% do PIB da região no terceiro trimestre.

Atividade da zona euro melhora ligeiramente em setembro
Notícias ao Minuto

11:18 - 22/09/23 por Lusa

Economia Zona Euro

O índice PMI (Purchasing Managers' Index) 'flash' da atividade na zona euro do Hamburg Commercial Bank (HCOB), elaborado pela S&P Global e publicado hoje, situa-se em 47,1 pontos em setembro, contra 46,7 em agosto, registando o máximo dos últimos dois meses, mas ainda abaixo dos 50 pontos que significariam a entrada na zona de expansão.

De acordo com a consultora, o resultado de setembro deve-se a uma redução da atividade empresarial no setor da indústria transformadora, mas também nos serviços, embora a sua taxa de contração tenha diminuído ligeiramente em relação a agosto.

"As empresas da zona euro registaram a maior queda nas novas encomendas em quase três anos", refere o comunicado, sublinhando que esta foi a quarta descida mensal consecutiva e a "mais acentuada desde novembro de 2020".

"Prevemos que a zona euro entre em território contracionista no terceiro trimestre. A nossa estimativa em tempo real, que incorpora os índices PMI, sugere um declínio de 0,4% em comparação com o segundo trimestre", disse o economista-chefe do HCOB, Cyrus de la Rubia, na nota.

Os custos dos fatores de produção aumentaram ao "ritmo mais rápido" em quatro meses, num contexto em que a taxa de inflação está a ser impulsionada pelo setor dos serviços, especialmente por um aumento dos custos salariais e dos preços dos combustíveis.

Além disso, o comunicado do HCOB sublinha que os fabricantes da zona euro estão a reduzir intensamente a sua atividade de compra e as suas existências de matérias-primas e produtos acabados.

As empresas da zona euro indicam baixa confiança nas perspetivas para os próximos 12 meses, atingindo o valor mais baixo desde novembro de 2022.

O declínio da confiança está a fazer com que as empresas sejam cautelosas na contratação de pessoal, pelo que este mês a taxa de criação de emprego é "marginal", com o setor da indústria transformadora a registar a sua quarta redução mensal do número de trabalhadores, enquanto o setor dos serviços apresenta ligeiros aumentos.

De la Rubia especifica que a contratação de pessoal em setembro, que está a decorrer a um ritmo mais rápido do que em agosto, demonstra "resiliência e otimismo face à redução da procura".

Leia Também: Confiança dos consumidores recua pelo 2.º mês consecutivo na Zona Euro

Recomendados para si

;

Receba as melhores dicas de gestão de dinheiro, poupança e investimentos!

Tudo sobre os grandes negócios, finanças e economia.

Obrigado por ter ativado as notificações de Economia ao Minuto.

É um serviço gratuito, que pode sempre desativar.

Notícias ao Minuto Saber mais sobre notificações do browser

Campo obrigatório