Meteorologia

  • 29 MAIO 2023
Tempo
16º
MIN 14º MÁX 23º

Wall Street fecha em alta convencida de aterragem suave da economia

A bolsa nova-iorquina fechou esta sexta-feira em alta, com os investidores cada vez mais convencidos de que é possível um arrefecimento contudo da economia norte-americana, com uma paragem do endurecimento monetário em vista.

Wall Street fecha em alta convencida de aterragem suave da economia
Notícias ao Minuto

22:40 - 27/01/23 por Lusa

Economia Wall Street

Os resultados definitivos da sessão indicam que o índice seletivo Dow Jones Industrial Average a subir 0,08%, o tecnológico Nasdaq a ganhar 0,95% e o alargado S&P500 a avançar 0,25%.

O tom da sessão foi dado pela publicação do índice de preços PCE, que mostrou que a inflação tinha diminuído em dezembro, para cinco por cento anuais, depois dos 5,5% do mês anterior.

Os economistas preveniram que, "mesmo que a inflação abrande, permanece demasiado aelevada para a Reserva Federal" (Fed), disse Oren Klachkin, da Oxford Economics, o que deveria incitar a instituição a continuar a elevar a sua taxa de juro de referência.

Mas os investidores veem a economia dos EUA capaz de evitar uma recessão demasiado acentuada, que têm antecipado como resultado do aperto monetário a marchas forçadas feito pela Fed desde a passada primavera.

"Há, de facto, a possibilidade de uma aterragem suave", afirmou Art Hogan, da B. Riley Wealth Management.

Os operadores bolsistas também relevaram hoje a contração em 0,2% do consumo, em termos mensais, o dobro do 0,1% antecipado.

"Esperávamos que o consumo fosse débil no primeiro trimestre, mas não uma inversão", admitiu Ian Shepherdson, da Pantheon Macroeconomics, um cenário que satisfaz a bolsa, mas também a Fed, que procura travar o consumo.

O comité de política monetária da instituição (FOMC, na sigla em Inglês) vai reunir na terça e quarta-feira próximas, com Wall Street à espera que de mais uma subida da taxa de juro, desta vez em um quarto de ponto percentual (25 pontos-base).

A inversão do crescimento do consumo foi relativizada pelo índice de confiança dos consumidores publicado pela Universidade do Michigan, que saiu acima das expectativas, em 64,9 pontos contra os 64,6 esperados.

"Os dados económicos da semana foram bons, os resultados melhores do que se aguardava e os rendimentos obrigacionistas acalmaram-se", sintetizou Art Hogan.

Ao fim de meses de uma evolução em 'montanha-russa', os rendimentos propiciados pelos títulos de dívida parecem em vias de estabilização. Hoje, o rendimento da dívida federal a 10 anos foi de 3,51%, o que compara com os 3,49% da véspera.

Leia Também: Wall Street fecha em alta com S&P500 no seu melhor nível desde há 2 meses

Recomendados para si

Seja sempre o primeiro a saber.
Sétimo ano consecutivo Escolha do Consumidor para Imprensa Online.
Descarregue a nossa App gratuita.

Apple Store Download

;

Receba as melhores dicas de gestão de dinheiro, poupança e investimentos!

Tudo sobre os grandes negócios, finanças e economia.

Obrigado por ter ativado as notificações de Economia ao Minuto.

É um serviço gratuito, que pode sempre desativar.

Notícias ao Minuto Saber mais sobre notificações do browser

Campo obrigatório