Meteorologia

  • 07 JULHO 2022
Tempo
38º
MIN 21º MÁX 38º

Imposto mínimo de 15% para grandes empresas só deve vigorar em 2024

O secretário-geral da OCDE, Mathias Cormann, admitiu hoje que o imposto mínimo de 15% para as grandes multinacionais não será aplicado antes de 2024, quando a ideia inicial era aplicá-lo em 2023.

Imposto mínimo de 15% para grandes empresas só deve vigorar em 2024
Notícias ao Minuto

16:34 - 24/05/22 por Lusa

Economia OCDE

Cormann considerou que o imposto aprovado pela Organização para a Cooperação e Desenvolvimento Económico (OCDE) no ano passado é "histórico" e com um calendário "ambicioso", mas sublinhou que há ainda muito trabalho técnico a fazer para a sua aplicação.

O secretário-geral da OCDE, que participava no Fórum Económico Mundial de Davos, reconheceu que esperava que o acordo multilateral fosse concluído em meados deste ano, mas agora considera que é improvável que isso aconteça antes do fim do ano, calculando, por isso, que a aplicação prática deste imposto seja a partir de 2024.

Apesar do atraso e das dificuldades técnicas, o secretário-geral da OCDE mostrou-se otimista, esperando que seja possível ter um acordo sobre os aspetos técnicos deste imposto para o levar à reunião de ministros das Finanças do G20 que terá lugar em Bali, no mês de novembro.

O acordo exige que os Estados adaptem a sua legislação nacional, o que não é fácil porque há países que têm de mudar a constituição, como é o caso da Suíça, que acolhe o Fórum Económico Mundial.

Em 2021, mais de 100 países aprovaram esta iniciativa no seio da OCDE, tendo recebido depois o apoio do G20.

Leia Também: Petrobras. Lula diz que Bolsonaro tem "rabo preso" e pede-lhe "coragem"

Recomendados para si

Seja sempre o primeiro a saber.
Sexto ano consecutivo Escolha do Consumidor e Prémio Cinco Estrelas para Imprensa Online.
Descarregue a nossa App gratuita.

Apple Store Download

;

Receba as melhores dicas de gestão de dinheiro, poupança e investimentos!

Tudo sobre os grandes negócios, finanças e economia.

Obrigado por ter ativado as notificações de Economia ao Minuto.

É um serviço gratuito, que pode sempre desativar.

Notícias ao Minuto Saber mais sobre notificações do browser

Campo obrigatório