Meteorologia

  • 07 DEZEMBRO 2021
Tempo
16º
MIN 13º MÁX 17º

Edição

EasyJet quer dois testes antigénio para que voar não seja "luxo"

O diretor da easyJet para Portugal defendeu hoje a substituição da exigência de teste PCR para o SARS-CoV-2 por dois testes antigénio,mais baratos, para que a retoma não seja "regresso ao passado, em que voar era um luxo".

EasyJet quer dois testes antigénio para que voar não seja "luxo"
Notícias ao Minuto

14:27 - 20/05/21 por Lusa

Economia EasyJet

"Não podemos transformar esta retoma num regresso ao passado, em que voar era um luxo só ao alcance de quem tinha dinheiro", disse à Lusa José Lopes, dando o exemplo de uma família de quatro pessoas que queira voar para Portugal, que vê o custo da viagem acrescido em cerca de 1.000 euros devido à exigência de um teste PCR negativo para a presença de SARS-CoV-2, para poder efetuar os voos de ida e volta.

"Esse custo, é o custo de uma semana num hotel, possivelmente, neste momento. [...] Estamos a diminuir, sem dúvida, a capacidade de muitos consumidores por essa Europa fora de poderem fazer férias, principalmente as famílias", acrescentou o responsável.

José Lopes referiu um estudo levado a cabo por epidemiologistas da Universidade de Yale, nos Estados Unidos, que demonstrou que dois testes antigénio, feitos três a cinco dias antes da viagem apresentam o mesmo nível de proteção para a saúde pública e de eficácia na captação de possíveis casos que um teste PCR, "sendo extremamente mais baratos".

O responsável apontou que esta é, aliás, uma decisão que o Governo português tem adotado para outros países da União Europeia (UE), no âmbito da presidência portuguesa do Conselho da UE, mas que ainda não fez o mesmo "dentro de portas".

A easyJet considera ainda "importante" que se apliquem em Portugal continental as mesmas regras que foram adotadas na Madeira, onde não é exigida a apresentação de um teste negativo a quem já foi vacinado contra o coronavírus.

"É muito importante nós, como país que depende do turismo, cuja percentagem do PIB que depende do turismo é tão elevada, tomarmos medidas para aproveitar esta vantagem que nós temos relativamente aos outros países", para que este verão seja ainda "algo positivo para a economia nacional", sublinhou José Lopes.

Nos meses de abril, maio e junho, a easyJet vai operar globalmente cerca de 15% da sua capacidade normal, embora em Portugal "bastante mais".

"Neste mês de maio estamos já a operar pouco mais de um terço da nossa capacidade normal e esperamos, para o mês que vem, operar cerca de 58% da nossa capacidade normal", disse o responsável.

A easyJet vai abrir uma nova base no Algarve, com três aviões e 100 postos de trabalho adicionais.

As primeiras operações com aviões vão ter início em 01 de junho e a inauguração formal será no dia 15.

A easyJet anunciou hoje prejuízos antes de impostos declarados de 747 milhões de euros (645 milhões de libras) no primeiro semestre fiscal encerrado em 31 de março, face a 409 milhões de euros de perdas do mesmo período de 2020.

A companhia aérea de baixo custo britânica disse que os resultados estão "em linha com as expectativas", tendo em conta as restrições às viagens devido à pandemia de covid-19.

Leia Também: Covid-19. Comissária europeia garante reforço da sequenciação do vírus

Recomendados para si

Seja sempre o primeiro a saber.
Quinto ano consecutivo Escolha do Consumidor para Imprensa Online.
Descarregue a nossa App gratuita.

Apple Store Download Google Play Download

;

Receba as melhores dicas de gestão de dinheiro, poupança e investimentos!

Tudo sobre os grandes negócios, finanças e economia.

Obrigado por ter ativado as notificações de Economia ao Minuto.

É um serviço gratuito, que pode sempre desativar.

Notícias ao Minuto Saber mais sobre notificações do browser

Campo obrigatório