Meteorologia

  • 29 MAIO 2022
Tempo
17º
MIN 16º MÁX 22º

Ligações fluviais entre margem sul e Lisboa interrompidas quarta-feira

As ligações fluviais da Transtejo/Soflusa entre a margem sul e Lisboa vão estar interrompidas ao início da manhã e no final do dia de quarta-feira devido a plenários de trabalhadores, não sendo assegurado transporte alternativo pela empresa.

Ligações fluviais entre margem sul e Lisboa interrompidas quarta-feira
Notícias ao Minuto

16:05 - 27/04/21 por Lusa

Economia Transtejo

Na sua página da Internet, a Transtejo/Soflusa alerta para a realização de plenários de trabalhadores convocado por organizações sindicais, prevendo a interrupção do serviço regular no período da manhã e ao final do dia.

Contactada pela Lusa, a Transtejo/Soflusa disse "não estar em condições para assegurar transporte alternativo" aos passageiros do transporte fluvial.

Desta forma, a ligação fluvial do Barreiro, assegurada pela Soflusa, vai estar interrompida entre Barreiro - Terreiro do Paço das 07:00 às 10:25 e das 16:00 e às 19:15. No sentido Terreiro do Paço - Barreiro estará interrompido o serviço entre as 07:35 e as 10:55 e das 16:25 às 19:40.

Já as ligações fluviais asseguradas pela Transtejo, desde Cacilhas, Montijo, Seixal e Trafaria, vão estar interrompidas entre as 15:30 e as 21:00.

O serviço regular entre Cacilhas - Cais do Sodré estará interrompido das 16:00 às 19h45, Cais do Sodré -- Cacilhas das 16:30 às 20:00, entre Montijo - Cais do Sodré das 16:30 às 20:30 e entre Cais do Sodré - Montijo das 15:30 às 20:00.

Também as ligações entre o Seixal e o Cais do Sodré vão sofrer cortes das 16:20 às 20:30 e do Cais do Sodré -- Seixal das 15:55 às 20:15. Trafaria - Porto Brandão - Belém estará interrompida das 16:00 às 20h30, Porto Brandão - Belém das 16:10 às 20:40 e Belém - Porto Brandão - Trafaria das 15:30 às 21:00.

De acordo com a nota, em caso de paralisação do serviço regular, os terminais e estações são encerrados, nos períodos indicados, por questões de segurança.

Segundo disse à Lusa Paulo Lopes, sindicalista da FECTRANS - Federação dos Sindicatos dos Transportes e Comunicações, os plenários agendados para quarta-feira acontecem devido ao "descontentamento dos trabalhadores e à postura da empresa".

"Desde o início que a empresa tem a mesma postura negocial, ou seja, zero, continua a afirmar que não tem autorização do Governo para negociar. Desde a primeira reunião que não há avanços", explicou.

De acordo com o sindicalista, os aumentos ocorridos no ano passado foram "baixíssimos, cerca de 0,3%, o que valeu um euro em muitos casos", lembrando que os trabalhadores "tiveram de aguentar".

"Este ano já não estão disponíveis para manter a mesma situação", acrescentou, considerando que a empresa teve uma "postura errada" e que "caiu mal aos trabalhadores", pois durante a pandemia de covid-19 o que deu como reconhecimento do trabalho foi "um dia de férias", enquanto em outros sítios houve compensações monetárias.

"Em algumas carreiras há aproximação ao salário mínimo nacional", denunciou.

Leia Também: Fisco alerta para email falso que está a ser enviado aos contribuintes

Recomendados para si

Seja sempre o primeiro a saber.
Sexto ano consecutivo Escolha do Consumidor e Prémio Cinco Estrelas para Imprensa Online.
Descarregue a nossa App gratuita.

Apple Store Download

;

Receba as melhores dicas de gestão de dinheiro, poupança e investimentos!

Tudo sobre os grandes negócios, finanças e economia.

Obrigado por ter ativado as notificações de Economia ao Minuto.

É um serviço gratuito, que pode sempre desativar.

Notícias ao Minuto Saber mais sobre notificações do browser

Campo obrigatório