Meteorologia

  • 29 NOVEMBRO 2020
Tempo
12º
MIN 9º MÁX 14º

Edição

Sonangol justifica falta de combustível em Angola com más estradas

A Sonangol, petrolífera estatal angolana, rejeitou hoje que exista falta de combustível em algumas províncias do país, entre as quais Zaire, Lunda Norte e Lunda Sul, atribuindo a dificuldade em repor alguns produtos ao mau estado das estradas.

Sonangol justifica falta de combustível em Angola com más estradas
Notícias ao Minuto

20:13 - 22/10/20 por Lusa

Economia Sonangol

Em declarações emitidas pela rádio pública de Angola, o porta-voz da Sonangol, Dionísio Rocha, referiu que o ciclo de importação de combustíveis está a funcionar de acordo com as previsões da empresa, garantindo que há combustível suficiente para o país.

Segundo o responsável, os constrangimentos que se verificam hoje em algumas províncias, sobretudo as fronteiriças, têm a ver fundamentalmente com o mau estado das estradas, situações que "retardam um bocadinho o ciclo de reposição de produtos".

"Ou seja, para tirar o produto de Luanda, Malanje para as Lundas - estão a acompanhar os esforços que estão a ser feitos - mas as estradas ainda não estão boas e que se agravam nessa altura mais chuvosa", disse Dionísio Rocha.

A título de exemplo, o porta-voz da petrolífera angolana referiu que trajetos que eram feitos em três, quatro dias, hoje estão a demorar uma semana a ser feitos, um atraso agravado pela aplicação das medidas de biossegurança adotados no âmbito da prevenção e combate à covid-19.

Sobre a falta de combustíveis, o governador da Lunda Norte, Ernesto Muangala, disse que recebeu garantias da Sonangol de que a situação poderá ficar resolvida esta sexta-feira.

O governante angolano salientou que a situação é preocupante e que recebeu garantias da Sonangol de que a província, bem como a vizinha Lunda Sul, será reforçada com combustível proveniente dos stocks das províncias do Moxico e Malanje.

Na cidade de Mbanza Congo, capital da província petrolífera do Zaire, a falta de combustível já se arrasta há quatro dias, segundo relato de motoristas, que estão a recorrer ao mercado informal para adquirirem gasolina e gasóleo, segundo contaram à rádio pública angolana.

Recomendados para si

Seja sempre o primeiro a saber.
Acompanhe o site eleito pelo quarto ano consecutivo Escolha do Consumidor.
Descarregue a nossa App gratuita.

Apple Store Download Google Play Download

Receba as melhores dicas de gestão de dinheiro, poupança e investimentos!

Tudo sobre os grandes negócios, finanças e economia.

Obrigado por ter ativado as notificações de Economia ao Minuto.

É um serviço gratuito, que pode sempre desativar.

Notícias ao Minuto Saber mais sobre notificações do browser

Campo obrigatório