Meteorologia

  • 26 OUTUBRO 2021
Tempo
19º
MIN 14º MÁX 25º

Edição

Mais 125 milhões em respostas sociais, sistema deve ter revisão profunda

As respostas sociais do Estado tiveram um reforço de 125 milhões de euros devido à pandemia de covid-19, adiantou hoje a ministra do Trabalho, Solidariedade e Segurança Social no parlamento, defendendo uma "revisão profunda" do sistema de respostas sociais.

Mais 125 milhões em respostas sociais, sistema deve ter revisão profunda
Notícias ao Minuto

13:03 - 20/05/20 por Lusa

Economia Ministra

A ministra Ana Mendes Godinho adiantou o valor na intervenção inicial da audição regimental pela comissão parlamentar de Trabalho e Segurança Social, que decorre esta manhã na Assembleia da República.

Defendeu ainda um "reforço do sistema de segurança social" e "uma revisão profunda do sistema de respostas sociais", o que o PSD interpretou como um anúncio de reforma da Segurança Social, que os sociais-democratas defendem, o que a ministra recusou.

"Não falei de reforma", disse Ana Mendes Godinho em resposta às deputadas do PSD, clarificando depois a sua posição.

"Temos todos que fazer uma revisão profunda do sistema de respostas sociais, de uma capacidade, de uma melhor organização para uma maior eficiência das respostas sociais, não é do sistema de proteção social, é das respostas sociais. Aliás, já desencadeei, já lancei este repto aos parceiros do setor social para fazermos uma avaliação do que deve ser a alteração deste sistema de respostas sociais para que seja mais eficaz, para que haja uma maior eficiência de recursos e não sobreposição de respostas e também responder a novas necessidades", disse a ministra.

Ana Mendes Godinho defendeu ainda a "capacitação das redes locais para uma maior capacidade de resposta".

Sobre a situação nos lares, a ministra referiu que numa população de 100 mil idosos em lares em Portugal, 1,5% apresentaram resultados positivos em testes de despiste à covid-19, tendo-se registado uma taxa de letalidade em lares de 0,4%. Adiantou ainda que já foram feitos mais de 88 mil testes a trabalhadores destas instituições.

Através do programa de apoio à colocação de trabalhadores em lares para dar resposta a necessidades no contexto da pandemia, criado em conjunto com o Instituto do Emprego e Formação Profissional (IEFP), já foram colocados 3.400 trabalhadores nestas instituições.

A Cruz Vermelha Portuguesa foi ainda responsável pela colocação de 300 trabalhadores em lares.

De forma genérica, o ministério de Ana Mendes Godinho já apoiou 1.175.000 pessoas em apoios extraordinários devido à pandemia, que abrangem 169 mil empresas e representam uma despesa de 418 milhões de euros em pagamentos.

A Segurança Social já recebeu 172 mil pedidos de apoio à família, que abrangem trabalhadores independentes, por conta de outrem e do setor doméstico, havendo já 49 mil pedidos de prorrogação.

Quanto aos trabalhadores a recibos verdes, 188 mil apresentaram pedidos de apoio através da medida criada para os trabalhadores independentes e 112 mil já pediram prorrogação desse apoio.

Ainda questionada pelo PSD sobre a situação das crianças em risco e do acompanhamento que está a ser feito dos processos, a ministra respondeu com o reforço de verbas alocadas às Comissões de Proteção de Crianças e Jovens (CPCJ) em 20% para contratação de técnicos para acompanhamento de processos. Referiu ainda o reforço do acompanhamento nas casas de acolhimento, afirmando que os 18 centros distritais criaram uma rede permanente para esse acompanhamento.

A Comissão Nacional de Promoção de Direitos e Proteção de Crianças e Jovens, que na terça-feira anunciou a criação de uma linha telefónica para denúncia de situações de risco, de abuso e violência contra menores, adiantou que as CPCJ acompanham neste momento 43 mil processos.

A ministra referiu ainda, a propósito da resposta a pessoas sem-abrigo durante a pandemia, a criação de 21 espaços de acolhimento em todo o país, que o Governo pretende aproveitar para o desenvolvimento de "projetos para o momento seguinte na vida destas pessoas, para projetos de vida e de reintegração".

Sobre o reforço do programa alimentar, Ana Mendes Godinho disse que o número de beneficiários se situa já nos 90 mil e que deve aumentar para 120 mil em julho. A alteração das regras comunitárias que permitiram o alargamento do acesso a um maior número de pessoas estão a ser simplificadas, para retirar a carga burocrática e garantir, em algumas situações, o "reconhecimento automático" do direito a este apoio.

No que diz respeito às cantinas sociais, a ministra referiu que houve um aumento de 103 mil refeições.

Portugal contabiliza 1.247 mortos associados à covid-19 em 29.432 casos confirmados de infeção, segundo o último boletim diário da Direção-Geral da Saúde (DGS) sobre a pandemia

Recomendados para si

Seja sempre o primeiro a saber.
Quinto ano consecutivo Escolha do Consumidor para Imprensa Online.
Descarregue a nossa App gratuita.

Apple Store Download Google Play Download

Receba as melhores dicas de gestão de dinheiro, poupança e investimentos!

Tudo sobre os grandes negócios, finanças e economia.

Obrigado por ter ativado as notificações de Economia ao Minuto.

É um serviço gratuito, que pode sempre desativar.

Notícias ao Minuto Saber mais sobre notificações do browser

Campo obrigatório